Programa teratruga viva - captura e recaptura no monitoramento de populações de taratrugas marinhas na Baía de Lha Grande, RJ / Teratruga viva program - capture and recapture in the monitoring of marine taratruga populations in the bay of Lha Grande, RJ

Marcos Bastos Pereira, Mônica Dias Corrêa da Silva, Renato Velloso da Silveira, Naiara Tessaro, Ana Carolina Lustosa, Felipe Ferreira Miguel, Sidnei Honório Candido Filho, Ubirajara Aluizio de Oliveira Mattos

Abstract


O litoral do estado do Rio de Janeiro é considerado de extrema importância para a conservação das tartarugas marinhas, todas classificadas como ameaçadas ou criticamente ameaçadas de extinção. O programa Tartaruga Viva da Eletronuclear, executado pela Faculdade de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, realiza o Monitoramento de Tartarugas Marinhas na Área de Influência da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto – CNAAA e busca elucidar eventuais alterações comportamentais ou de distribuição das populações na área de influência. Uma das abordagens do monitoramento é a amostragem populacional através de capturas e recapturas de animais, com utilização de anilhamento para registro e acompanhamento. No período de set/18 a jan/21 foram amostrados 92 quelônios sendo 58 em primeira captura e 34 em recapturas, a maioria (>50%) com ótimo “score” corporal. Todos os animais recapturados estavam nas mesmas áreas onde foram amostrados pela primeira vez, se alimentando ou descansando a menos de 50 m do ponto da primeira captura, indicando a tendência destes em permanecer em áreas favoráveis a alimentação e descanso.


Keywords


Captura e Recaptura, Monitoramento de Tartarugas Marinhas, Baía de Ilha Grande, Amostragem Populacional.

References


Bastos, M.P. (2018). Levantamento da Biota do substrato consolidado da Ilha do Pingo D’água, Baía da Ribeira, RJ. Projeto de Desenvolvimento e Implantação de Projeto de Pesquisa e Educação Ambiental: Subsídios à preservação e o ordenamento de atividades na faixa continental-costeira da Estação Ecológica de Tamoios- TAC – Ministério Público Federal, ICMBio, INEA – 2016-2018. Relatório técnico final. 230 p.

Bastos, M.P. & Callado, C.H. (Eds.) (2009). Estudos para o Plano de Manejo do Parque Estadual da Ilha Grande. Relatório de Pesquisas. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Vol 1-9.

Bjorndal, K.A. (1997). Foraging ecology and nutrition of sea turtles. The biology of sea turtles. v. 1, p. 199-231, 1997.

Bowen, B. W.; Karl, S. A. (1997). Population genetics, phylogeography and molecular evolution. In: LUTZ, P.L.; MUSICK, J. A. (eds). The biology of sea turtles. v. 1. Boca Raton: CRC Press. 1997.

Colman, L. P.; · Patrício, A.R.C.; · McGowan, A.; · Santos, A. J. B.; Marcovaldi. M.A.; · Bellini, C.; Ggodley, B.J. (2014). Long-term growth and survival dynamics of green turtles (Chelonia mydas) at an isolated tropical archipelago in Brazil. Marine Biology. 2014.

Corrêa, M.S.D. (2000). Caracterização das Populações de Cirripédios da Faixa Entremarés de dois Costões Rochosos Sujeitos a Diferentes Graus de Hidrodinamismo em Angra dos Reis. Monografia de Especialização. Instituto de Biologia, Programa de Pós-graduação em Biologia Marinha. Universidade Federal Fluminense. 61p.

Corrêa, M.S.D. (2003). Impacto por óleo (árabe leve) em repovoamento de costões rochosos Dissertação de Mestrado. Instituto de Biologia, Programa de Pós-graduação em Biologia Marinha. Universidade Federal Fluminense. 95p.

ELETROBRÁS ELETRONUCLEAR Relatório de Impacto Ambiental – RIMA da Unidade 3 da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, Angra dos Reis – RJ. (2006).

Disponível em http://www.eletronuclear.gov.br/hotsites/eia/, acessado em 25/09/2020.

Gallo, B.M.; Macedo, S.; Giffoni, B. B.; Becker, J. H.; Barata, P. C. R. (2006). Sea Turtle Conservation in Ubatuba, Southeastern Brazil, a Feeding Area with Incidental Capture in Coastal Fisheries. Chelonian Conservation and Biology, 5(1): 93-101.

International Union for Conservation of Nature (IUCN). (2004). Red list of threatened animals. Disponível em: http://www.redlist.org.

Lôbo-Hajdu, G. (2016). Relatório Final do Projeto PROMONTAR – ANGRA: Programa de Monitoramento de Tartarugas Marinhas na Área de Influência das Usinas Nucleares de Angra dos Reis. Termo de Referência Nº 01/2008, editado pelo Centro TAMAR – ICMBio/MMA. 2016.

Márquez, R. M. (1990). FAO species catalogue: Sea turtles of the world. Na annotated and illustrated catalogue of sea turtle species known to date. FAO Fisheries Synopsis n°.125, Vol. 11.81 pp. Rome, F AO.

Medina, R. M. (2013). Histopatologia de tartarugas marinhas vítimas de encalhe nos litorais capixaba e fluminense. Dissertação de Mestrado. Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

Moraes, L.G.C. (2005). Estudo preliminar da distribuição das tartarugas marinhas na Ilha Grande, Rio de Janeiro - Brasil. II Jornada de Conservação e Pesquisa de Tartarugas Marinhas no Atlântico Sul Ocidental, Praia do Cassino, Brasil.

Pough, F. H. (2003).Vida dos Vertebrados. 3ª ed. São Paulo: Ed. Atheneu. 699 p

Raphael, B.L. (2003). Chelonians (Turtles, Tortoises). In: Fowler, M. E.; Miller, R. E. Zoo and Wild Animal Medicine. 5 ed. Missouri: Saunders, p. 48-58.

Reisseri, J.W.; Proietti, M.C.; Kinas. P.G. (2005). Tartarugas marinhas da Ilha do Arvoredo, Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, SC. II Jornada de Conservação e Pesquisa de Tartarugas Marinhas no Atlântico Sul Ocidental, Praia do Cassino, Brasil.

TAMAR. (2016) Programa Brasileiro de Conservação das Tartarugas Marinhas (TAMAR). Disponível em: http://tamar.org.br/interna.php?cod=84.

UERJ/TRANSPETRO (2015). Monitoramento de costões rochosos e praias arenosas na Baía de Ilha Grande. Relatório técnico final. 324p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n5-568

Refbacks

  • There are currently no refbacks.