Caracterização gravimétrica dos resíduos sólidos oriundos da coleta seletiva na cidade do Rio de Janeiro no ano de 2019 / Gravimetric characterization of solid waste from selective collection in the city of Rio de Janeiro in 2019

Júlio César Garcez, Bianca Ramalho Quintaes, Juacyara Carbonelli Campos, André Luiz Ferreira Menescal Conde

Abstract


Essa pesquisa descreve os tipos de embalagens plásticos consumidas no Rio de Janeiro, por meio da coleta seletiva de recicláveis realizada pela Companhia Municipal de Limpeza Urbana da Cidade do Rio de Janeiro (COMLURB). Foram levantadas as quantidades, tipos e as empresas fabricantes dos produtos contidos nas embalagens nos bairros de diferentes Área de Planejamento (AP). Os resíduos foram caracterizados quanto à sua composição física: papel, plástico, vidro e metal. A Classificação da Sociedade das Indústrias dos Plásticos (SPI) foi o parâmetro para classificar os materiais plásticos. Foram analisadas 28 amostras de resíduos plásticos. Os resultados apontam para percentuais em massa maiores para o componente papel, 38,05 %; plástico, 31,63%; vidro, 24,36% e metal 5,95%. Foi observado que 25,51% dos plásticos são de Polietileno Tereftalato (PET) Cristal e 1,97% são PET Rejeito (sem tecnologia conhecida para reciclagem); plásticos filme de Polietileno (PE) são 4,01%. A pesquisa identificou 496 marcas e 5.325 produtos dessas marcas, dentre eles embalagem de limpeza, higiene pessoal, e alimentação. As marcas Coca Cola, Nestlé, Ambev, Unilever, Minalba, Ypê, Bombril, foram observadas com os maiores índices de consumo de embalagens plásticas pela população.


Keywords


resíduo plástico; gravimetria; logística reversa; reciclagem.

References


ABIPLAST. Associação Brasileira da Industria do Plástico. Perfil 2017. Disponível em: < http://www.abiplast.org.br/publicacoes/perfil-2017/>. Acesso em: 20/12/2018

ABIPLAST. Associação Brasileira da Indústria do Plástico. Relatório de Atividades da Abiplast 2017. Disponível em: . Acesso em 18/12/2018.

BFFP. Break Free From Plastic. BRANDED in Search of the World’s Top Corporate Plastic Polluters Volume 1. Disponível em. Acesso em: 15/11/2019.

BRASIL. Lei Federal 12.305/10. Institui a política nacional de resíduos sólidos, altera a Lei Federal 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 e dá outras providências. 2010a.. Disponível em: . Acesso em: 18/12/2018.

BRASIL. Ministério das Cidades - Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental. Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2016. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS. Brasília, março de 2018.

CEMPRE. Compromisso Empresarial Para Reciclagem. Lixo municipal: manual de gerenciamento integrado / Coordenação geral. André Vilhena. – 4. ed. – São Paulo (SP): 2018. Disponível em:. Acesso em 12/11/2018. 316 p.

EMF. Ellen MacArthur Foundation. Climate change. How the circular economy tackles climate change. Disponível em: . Acesso em 23/09/2019.

EMF. Ellen MacArthur Foundation. The New Plastics Economy – Catalysing Action. 2017. Pag.68.

LEITE, P. R. Os Dilemas Do Mercado E Da Reciclabilidade De Produtos E Materiais Reaproveitáveis. Disponível em: . Acesso em 05/06/19.

Portal Saneamento Básico. Agora é lei: coleta seletiva precisará avançar em 10% a cada dois anos. Disponível em: . Acesso em 11/11/2018.

Portal Saneamento Básico. Pepsico, Danone e Nestlé se unem para tirar o plástico de suas garrafas. Disponível em: . Acesso em 11/11/2018.

VLACHOS, I. P. Reverse food logistics during the product life cycle. International Journal of Integrated Supply Management, v. 9, n. 1-2, p. 49-83, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30179

Refbacks

  • There are currently no refbacks.