Análise das patologias levantadas no sistema predial hidrossanitário de edificações da Universidade Federal do Maranhão/ Analysis of the pathologies raised in the hydrosanitary predial system of building at Universidade Federal do Maranhão

Solange da Silva Nunes Boni, Deyvisson Ribeiro Pires, Glaucielle de Castro Silva, Patrick Luan Oliveira de Jesus

Abstract


O surgimento de patologias nos Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários é um problema comum em edificações e pode ser causado por uma gama de motivos como especificação inadequada de materiais, conexões e aparelhos utilizados, executadas inadequadamente, instalação executada incorretamente, uso inadequado, entre outros. Assim, o presente trabalho tem como objetivo identificar, registrar e expor as principais problemáticas observadas nos sistemas prediais de edificações no campus da UFMA. Para tal foram realizadas inspeções visuais a partir de levantamentos de campo em posse de planilhas de anotações e câmera fotográfica do Smartphone. Dessa forma, foi possível observar que os mictórios são os aparelhos com maior incidência de patologias, sendo que a maior parte das incidências foi oriunda de vazamentos, defeitos de utilização e falta de manutenção. Portanto, faz-se necessário que, principalmente em ambientes de responsabilidade pública, haja uma rotina de manutenção e programação de recursos por parte dos administradores, sendo obrigatoriamente destinados à manutenção preventiva e corretiva, de forma que garanta a preservação do patrimônio público institucional.


Keywords


Edifícios Públicos, Manutenção, Patologia, Sistemas prediais hidráulico sanitários.

References


ARAÚJO, L. S. M. Avaliação Durante Operação dos Sistemas Prediais Hidráulicos e Sanitários em Edifícios Escolares. Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Civil. Campinas, 2004.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 14037: Manual de Operação Uso e Manutenção das Edificações. Rio de Janeiro, 1998.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 15575-1: Edifícios Habitacionais de até 5 Pavimentos – Desempenho. Parte 1: Requisitos Gerais. Rio de Janeiro, 2008.

BARRO JUNIOR. L. H. Patologia em Instalações Hidráulicas: Guia Prático para o Profissional. Universidade de Araraquara, São Paulo, 2018.

BARROS, F. A; SILVA, V. C. S; PAES, R. P. Instalações Prediais Hidráulicas e Sanitárias em Escolas Públicas: Patologias e Satisfação dos Usuários. Revista Eletrônica de Engenharia Civil, Volume 11, 2016.

BARROS, J. C. G. Avaliação do desempenho dos sistemas prediais de aparelhos sanitários em edifícios escolares da rede municipal de Campinas. Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Dissertação de Mestrado. Campinas, 2004.

BORCHGREVINK CP, Cha J, Kim S. Hand washing practices in a college town environment. J Environ Health. 2013.

BRITISH STANDARDS INSTITUTION (BSI). BS 3811: Glossary of terms used in terotechnology. London, 1992.

CANIDO, C. S. R. Patologia dos sistemas prediais hidráulicos e sanitários. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2012.

GNIPPER, S. F. Diretrizes para formulação de método hierarquizado para investigação de patologias em sistemas prediais hidráulicos e sanitários. Mestrado em Engenharia Civil. Universidade Estadual de Campinas. São Paulo, 2010.

HADJRI, K.; CROZIER, C. Post-occupancy evaluation: purpose, benefits and barriers. Facilities. v. 27, 2009.

MARCELI, M. Sinistros na Construção Civil. Causas e soluções para danos e prejuízos em obras. São Paulo: Pini, 2007.

NETO, P. G. de A. A Manutenção Predial nas Edificações Públicas, um Estudo sobre a Legislação. Revista Engineering and Science. Universidade Federal de Mato Grosso, 2015.

PERES, A.R.B. Avaliação durante operação de sistemas de medição individualizada de água em edifícios residenciais. 2006. 161 f. Dissertação (Mestrado). Escola de Engenharia Civil da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2006.

RAMOS, H. R. Manutenção de sistemas hidráulicos prediais: manual de intervenção preventiva. Dissertação de Mestrado – Departamento de Engenharia Civil, Universidade do Porto, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30126

Refbacks

  • There are currently no refbacks.