Memórias gastronômicas do curso superior de tecnologia em gastronomia do UNICEUB/ Gastronomic memories from the technology course in gastronomy at UNICEUB

Marina Noro dos Santos, Alessandra Santos dos Santos

Abstract


A presente pesquisa foi realziada a fim de registrar a memória gastronômica e gustativa do Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia do UniCEUB, procurando construir as  singularidades e simbolismos do processo de trabalho prático exercido ao longo do período de formação dos discentes. Para que o objetivo fosse alcançado, o método utilizado foi a pesquisa documental e bibliográfica, bem como um estudo etnográfico nos protocolos de experimentos, que são utilizados nas aulas práticas como ferramenta pedagógica do curso. As entrevistas com docentes, alunos egressos e matriculados, auxiliaram para desvendar a memória gastronômica e gustativa do curso, por meio, de análise de conteúdo que expressaram nos resultando qualitativo e quantitativos da formação dos docentes e suas influências sobre os discentes, onde os simbolismos apresentam a maneira coletiva de afetividade e a valorização do patrimônio culinário, transcendendo a visão biológica ou a materialidade do alimento. Tema relevante, não só para o Curso em questão, mas para a identificação posterior do papel transformador realizado pela formação acadêmica na área da gastronomia, em um destino de grande importância no cenário nacional.


Keywords


Papel Social, Gastronomia, Construção de Memória.

References


BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rebaleis. São Paulo: Hucitec, 1987.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 10. Ed., São Paulo: Brasiliense, 1996. Obras Escolhidas, v. 1.

BERGSON, Henri. Matéria e memória. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BERGSON, Henri. Memória e Vida: textos escolhidos. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BERNARDO, Teresinha. Memória em branco e negro: olhares sobre São Paulo. São Paulo: Editora UNESP, 1998.

BONIM, A, A.: ROLIM, M. do C. Hábitos alimentares: tradição e inovação. Boletim de Antropologia. Curitiba, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Antropologia, 1991.

BOURDIEU, P. Esboço de uma sociologia da prática. In: ORTIZ, R. Pierre Bourdieu: Sociologia, São Paulo: Ática, 1983. Coleção Grandes Cientistas Sociais.

BRASIL. Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. É um guia de informações sobre o perfil de competências do tecnólogo. Ele apresenta a carga horária mínima e a infraestrutura recomendada para cada curso. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2014.

BRASIL. Instituições de Educação Superior e Cursos Cadastrados. Portal do E-Mec. Disponível em: < http://emec.mec.gov.br/>. Acesso em: 02 dez. 2014.

BRILLAT-SAVARIN, J. A. A fisiologia do gosto. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

CAMPORESI, P. No século 18, jesuítas só queriam chocolate. Folha de São Paulo - Caderno Ilustrada. São Paulo, 2 de ago. 1996

CANESQUI, A.M. Antropologia e alimentação. Revista saúde pública. São Paulo, v. 22, 1988

CONCONE, M. H. Villas Boas. Lendo os jornais - a memória cristalizada. VI Reunião da Anpocs. Águas de São Pedro: Mimeo, 1983

COOPER, D. R.; SHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

DEMO, P. Pesquisa e informação qualitativa: aportes metodológicos. Campinas: Papirus, 2001.

DUARTE, J. Entrevista em profundidade. In: DUARTE, J.; BARROS, A.[Òrg.] Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

ECLÉA BOSI. Memória e sociedade - lembranças de velhos, Companhia das Letras, 2004.

FISCHLER, Claude. El (h)omnívoro. Editorial Anagrama, Barcelona, 1995.

FRANCO, Ariovaldo. De caçador a gourmet: uma história da gastronomia – 3º Ed. Revista e Ampliada. São Paulo: Editora Senac, 2004.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 2. Ed. Brasília: Líber Livro Editora, 2005.

FREIRE, Fábio. Segredos da cozinha asiática. In: Diário do Nordeste – Caderno 3, Fortaleza, 2008. Disponível em: . Acessado em: 27 set. 2012.

FREIXA, D.; CHAVES, G. Gastronomia no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2008.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Invista em Brasília: Capital do Brasil, Cidade Criativa e Sustentável do Século XXI 5. Disponível em: http://www.wbrasilia.com/investimentos/gdf.pdf. Acesso em: 01/09/2014.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro Editora, 2006.

KANDEL, L. Reflexões sobre o uso da entrevista, especialmente a não-diretiva, e sobre as pesquisas de opinião. In: THIOLLENT, M. J. Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. 2. Ed. São Paulo: Polis, 1981.

LEAL, M. L. de M. S. A história da gastronomia. Rio de Janeiro: Ed. SENAC Nacional, 1998.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia estrutural. Rio de Janeiro: Biblioteca Tempo Universitário, 1996.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MONTANARI, M. Comida como cultura. São Paulo: SENAC, 2008.

PEIRANO, M. A favor da etnografia. Série Antropologia. Brasília, Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Antropologia, v. 130, 1992.

VETTORASSI, A. “Mapas Afetivos: Reflexão sobre memórias e identidades temporais e especiais”. In: Brazilian Journal of Development, vol. 6, n.7. 2020. P.52811-52828.

WOORTMANN, K. (Coord.) Hábitos e ideologias alimentares em grupos sociais de baixa renda. In.: Relatório mimeografado do conjunto de trabalhos produzidos pela equipe do programa de pós-graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, participando do projeto "Hábitos alimentares em camadas de baixa renda", convênio FINEP e Fundação da Universidade de Brasília, 1978.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30088

Refbacks

  • There are currently no refbacks.