Produção de mudas de plantas nativas e frutíferas utilizando garrafas pet como recipiente/ Production of native and fruit plant seedlings using pet bottles as containers

Vanessa Cardoso Nunes, Jéssica Trindade dos Santos, Diones Krinski

Abstract


As embalagens do tipo PET estão muito presentes hoje em todos os setores, principalmente de alimentos e bebidas. Esse tipo de embalagem, por ser descartável, acaba por gerar mais comodidade para o consumidor, porém os transtornos ambientais gerados são extremamente graves. A poluição da água e do solo é o principal problema enfrentado, com relação a esse tipo de material. Assim, a reciclagem e a reutilização dessas embalagens é uma forma de diminuir a quantidade de plástico na natureza. Uma das formas que essas embalagens podem ser reutilizadas é como recipientes para produção de mudas de plantas para reflorestamento, hortas caseiras, entre outras atividades. Quando se utiliza esse material para produzir mudas de árvores, acabamos gerando um impacto positivo no meio ambiente, pois além de estar reduzindo a quantidade de lixo em aterros sanitários, lixões, rios, mares e oceanos, e na natureza como um todo, ainda vai contribuir para o reflorestamento de áreas onde a vegetação foi retirada. Além disso, o plantio de árvores em ambientes urbanos também é uma forma de contribuição ambiental e social, por trazer inúmeros benefícios para as pessoas que convivem nas cidades, pois ajuda na diminuição da amplitude térmica, absorve gases emitidos por automóveis e indústrias, diminui os ruídos e serve de abrigo para aves e animais que vivem nestas áreas. Ações de incentivo a diminuição de descarte de lixo e de consciência ambiental são meios necessários para a formação de futuras gerações de pessoas que busquem desenvolvimento cada vez mais sustentável e harmônico. Nesse sentido, o Projeto Plante uma PET, da UNEMAT/Tangará da Serra, produziu mais de 12 mil mudas de plantas nativas e frutíferas desde o ano de 2019 até agora. E grande parte das mudas produzidas já foram doadas para a população, contribuindo assim para um ambiente mais sustentável.

 


Keywords


Sustentabilidade, Sociedade, Reflorestamento.

References


ABIPET- Associação Brasileira de Indústria do PET. 2020. Censo da Reciclagem de PET. Disponível em: . Acesso em: 01/09/2020.

ARRAES, Ronaldo de Albuquerque; MARIANO, Francisca Zilania; SIMONASSI, Andrei Gomes. Causas do desmatamento no Brasil e seu ordenamento no contexto mundial. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 50, n. 1, p. 119-140, 2012.

ANGELOTTI, F.; SA, I. B. ; MELO, R. F. . Mudanças Climáticas e Desertificação no Semi-Árido Brasileiro. In: Angelotti,F.; Sá,I.B;Pellegrino, G.Q.. (Org.). Mudanças Climáticas e Desertificação no Semi-Árido Brasileiro. : , 2009, v. 1, p. 41-52.

CANDIDO, S. E. A. Emergência e dinâmicas das práticas de reciclagem de PET no BRASIL: múltiplos campos e embates de valores. São Carlos: UFSCar, 2016. 289 p.

GORNI, A. A. A evolução dos materiais poliméricos ao longo do tempo. 2003. Revista plástico industrial. Disponível em: . Acesso em: 01/09/2020.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS. Taxas de desmatamento no Estado de Mato Grosso. Mato Grosso, 10 mar. 2021. Disponível em: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/app/dashboard/deforestation/biomes/cerrado/increments.

LANDIM, A. P. M., et al. Sustentabilidade quanto às embalagens de alimentos no Brasil. Polímeros, v. 26(spe), 82-92, 2016.

MMA. Ministério do meio Ambiente, 2020. Impacto das embalagens no meio ambiente Acesso em 31/09/2020. Disponível em: . Acesso em: 01/09/2020.

PIOLLI, A. L.; CELESTINE, R. M.; MAGON, R. Teoria e prática em recuperação de áreas degradadas: plantando a semente de um mundo melhor. Secretaria do Meio Ambiente. Estado de São Paulo, 2004. 29p.

RODRIGUES, C. A. G., et al. Arborização urbana e produção de mudas de essências florestais nativas em Corumbá, MS. Embrapa Pantanal-Documentos (INFOTECA-E). 2002.

ROMÃO, W., SPINACÉ, M. A.; PAOLI, M. A. D. Poli (tereftalato de etileno), PET: uma revisão sobre os processos de síntese, mecanismos de degradação e sua reciclagem. Polímeros, v. 19, n. 2, p. 121-132. 2009.

SILVA, E, B; ANJOS, A, F, O MONITORAMENTO DO DESMATAMENTO E AS AÇÕES DE CONSERVAÇÃO DO BIOMA CERRADO NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI. Cerrados: perspectivas e olhares, p. 71- 91, 2010, 181 p. Ed. Vieira.

ZANELLA, T. V. Poluição Marinha Por Plásticos e o Direito Internacional do Ambiente. Revista do Instituto do Direito Brasileiro, v. 2 n.12, p.14473-14500, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30083

Refbacks

  • There are currently no refbacks.