HIV e AIDS, passado e presente: os gays como representação social da doença / HIV e AIDS, past and present: gays as a social representation of the disease

Pablo de Oliveira Lopes

Abstract


Os primeiros casos brasileiros de infecção pelo HIV (da sigla em inglês, Vírus da Imunodeficiência Humana) e de AIDS (também da sigla em inglês, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) foram relatados em 1983. Os anos 1980 foram marcados pelo surgimento dessa infecção sexualmente transmissível, uma enfermidade que chegou a ser chamada de Doença dos 5H, em razão de casos identificados em homossexuais, hemofílicos, haitianos, heroinômanos (usuários de heroína injetável) e prostitutas (hookers em inglês), e foi responsável pela estigmatização de gays. A própria homossexualidade já foi considerada doença: em 1952, a Associação Americana de Psiquiatria publicou, em seu primeiro Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, que a homossexualidade era uma desordem, o que levou diversos cientistas a tentar comprovar que havia um distúrbio mental nos gays. Então chamada de homossexualismo, a homossexualidade foi incluída na Classificação Internacional de Doenças (CID) de 1977 pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 1975, a Associação Americana de Psicologia deixou de considerar a orientação sexual como transtorno mental e a OMS seguiu o mesmo caminho em 1990. Apesar de não ser mais considerada uma doença, a homossexualidade ainda é associada a uma enfermidade: a AIDS. Além disso, para algumas pessoas, ser homossexual significa necessitar de cura. A sexualidade é um tema que controverso, um tabu, que desperta sentimentos e percepções distintos e é alvo de discussões em diversos segmentos da sociedade. Partindo de tais premissas, tem-se como problema de pesquisa: AIDS e homossexualidade ainda se confundem? Destarte, o objetivo desta pesquisa é mostrar se esta associação ocorre e de que maneira ela se dá. Para tanto, o presente ensaio, um estudo teórico escrito a partir de uma pesquisa exploratória, de caráter bibliográfico e documental, baseia-se em uma revisão de literatura especializada no domínio estudado, que utiliza o método de revisão narrativa, não sistemático e não exaustivo.  


Keywords


Homossexualidade. HIV. AIDS. Representação social.

References


CIASCA, Saulo Vito; POUGET, Frederic. Aspectos históricos da sexualidade humana e desafios para a despatologização. In: CIASCA, Saulo Vito; HERCOWITZ, Andrea; Lopes Junior, Ademir. Saúde LGBTQIA+: práticas de cuidado transdisciplinar. Santana de Parnaíba: Manole, 2021, p. 18-27.

HALL, Stuart. “A identidade em questão” In: ______. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A editora, 1992, p. 7-22.

MOSCOVICI, Serge. A Representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

PAULA, Thayane Fraga de; PAULA, Thaís Fraga de. A Construção Social da AIDS e as Repercussões na Prática dos Profissionais de Saúde. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, n. 4, v. 3, p. 9844-985,7 jul./aug. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/14409/11976. Acesso em: 05 maio 2021.

PAVARINO, Rosana Nantes. Teoria das representações sociais: pertinência para as pesquisas em comunicação de massa. In: XXVI Congresso anual em ci6encia da comunicação, 26., 2003, Belo Horizonte. Anais… Belo Horizonte: Congresso Anual em Ciência da Comunicação, 2003, p. 01-15. Disponível em:< http://www.academia.edu/1939362/Teoria_das_Representa%C3%A7%C3%B5es_Sociais_Pertin%C3%AAncia_para_as_pesquisas_em_comunica%C3%A7%C3%B5es_de_massa >. Acesso em: 02 maio 2021.

PELUCIO, Larissa. Ativismo soropositivo: a politização da AIDS. Ilha - Revista de Antropologia, n. 1, 2, v. 9, p. 119-141, 2007.

SCARDUA, Anderson; SOUZA FILHO, Edson Alves de. O Debate sobre a homossexualidade mediado por representações sociais: perspectivas homossexuais e heterossexuais. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 482-490, 2006. Disponível em:< -http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-79722006000300017&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 01 maio 2021.

SIMÕES, Júlio Assis; FRANÇA, Isadora Lins. Do “gueto” ao mercado. In: GREEN, James N.; TRINDADE, Ronaldo. (Org). Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2005. cap. 5, p. 309-333.

SPIRE, Bruno. Entretien avec. Cahiers Philosophiques, n. 125, v. 2, p. 153-171, 2011.

Fontes documentais

Medo da Aids põe países europeus em alerta total. O Globo, Rio de janeiro, 22 de fevereiro de 1987. Caderno O Mundo, p. 30. Disponível em:< http://acervo.oglobo.globo.com/busca/?tipoConteudo=pagina&ordenacaoData=relevancia&allwords=gays+e+promiscuidade&anyword=&noword=&exactword=&decadaSelecionada=1980&anoSelecionado=1987>. Acesso em: 25 mar. 2018.

MILLER, Victor. CNN Brasil demite comentarista Leandro Narloch após discurso homofóbico. Disponível em: https://gay.blog.br/gay/cnn-brasil-demite-comentarista-leandro-narloch-apos-discurso-homofobico/. Acesso em: 02 maio 2021.

VASCONCELOS, Rico. Aprendizados da epidemia de HIV que são úteis para a de coronavírus. Disponível em: https://ricovasconcelos.blogosfera.uol.com.br/2020/02/28/aprendizados-da-epidemia-de-hiv-que-sao-uteis-para-a-de-coronavirus/. Acesso em: 02 maio 2021.

VASCONCELOS, Rico. Entenda por que é um erro associar o aumento do HIV à homossexualidade. Disponível em: https://ricovasconcelos.blogosfera.uol.com.br/2019/09/13/entenda-por-que-e-um-erro-associar-o-aumento-do-hiv-a-homossexualidade/. Acesso em: 02 maio 2021.

VILLELA, Heloisa. Aids: estudo aponta vírus africano no Brasil. O Globo, Rio de Janeiro, 13 abril de 1989. Caderno O Mundo, p. 15. Disponível em:< http://acervo.oglobo.globo.com/busca/?tipoConteudo=pagina&ordenacaoData=relevancia&allwords=hiv+%2B+aids&anyword=&noword=&exactword=&decadaSelecionada=1980&anoSelecionado=1989>. Acesso em: 05 maio 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.30028

Refbacks

  • There are currently no refbacks.