Produção de grafeno por esfoliação em fase líquida do grafite / Graphene production by liquid phase exfoliation of graphite

Anna Julia Henrique Ribeiro, Nattácia Rodrigues de Araújo Felipe Rocha, Bacus de Oliveira Nahime

Abstract


Uma vez que a nanotecnologia se torna uma influência enorme na maioria dos ramos profissionais, faz-se necessária a investigação de nanomateriais, dentre eles, o grafeno. Esse material proporciona uma alta resistência quando inserido dentro de um objeto, como telas de celulares – tornando-as inquebráveis – ou em baterias as deixando mais duráveis. A aplicação mais eficaz dessa nano-folha transparente seria em materiais compósitos, em evidência, o concreto. Porém, para que toda essa revolução nanotecnológica aconteça, é imprescindível a obtenção desse elemento, o que remete à sua produção, essencialmente ligada à área química. Diante da temática apresentada, este projeto teve como objetivo comparar a utilização de duas concentrações de surfactante (betaína) para produzir grafeno pelo método de esfoliação em fase líquida do grafite, para posteriormente testar em compósitos ligados ao campo da Engenharia Civil – campo cuja emissão de CO2 é a maior no mundo – uma vez que o grafeno reduz a exalação desse gás, possuindo também um cunho sustentável. Foi observado que o método estudado, é apropriado para uma produção de maior quantidade de material, além de apresentar resultados satisfatórios, mas que a utilização do teor de 2g de betaína, apresenta picos maiores de absorbância mostrado em espectofotometria, logo pôde-se dizer que essa concentração favoreceu a produção de grafeno em maior quantidade.


Keywords


Grafeno. Materiais. Nanotecnologia.

References


Alencar, E.; Santana, D. Centro de Pós Graduação Oswaldo Cruz. Processos de obtenção do grafeno, suas aplicações e sua importância para o Brasil. São Paulo, 2017.

BADRI, Muhammad Ashraf Saiful et al. Green synthesis of few-layered graphene from aqueous processed graphite exfoliation for graphene thin film preparation. Materials Chemistry and Physics, v. 193, p. 212-219, 2017.

Marion, B., Hassan, N. Interfaces Científicas. Grafeno: inovações, aplicações e sua comercialização. Aracaju, 2016.

Novoselov, K. S. et al. Nature Materials. The structure of suspended graphene sheets. Manchester, 2004.

Paton, et al. Nature Materials. Scalable production of large quantities of defect-free few-layer grapheme by shear-exfoliation in liquids. Dublin, 2014.

Soldano, et al. ScienceDirect. Production, properties and potencial of graphene. Toulouse, 2010.

Zarbin, A. J. G., Oliveira, M. M. Química Nova. Nanoestruturas de Carbono (Nanotubos, Grafeno): QUO VADIS? Curitiba, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29923

Refbacks

  • There are currently no refbacks.