Ações do programa de cessação do tabagismo na Atenção Primária a Saúde: uma revisão integrativa / Actions of the smoking cessation program in Primary Health Care: an integrative review

Neide Batista da Silva das Neves, Thamires Fernanda Cury Schmidt, Igor Fernando Neves, Ana Carolina Simões Pereira, Flávia Cristina de Souza, Renata Rodrigues Mendonça, Jessica dos Santos Pini

Abstract


O tabagismo é um transtorno mental e de comportamento causado pelo uso do fumo. É também considerado fator de risco modificável de várias doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). Conhecer as ações desenvolvidas pela Atenção Primária a Saúde para a cessação do tabagismo e os resultados destas. Trata-se de um estudo de revisão integrativa. A questão norteadora utilizada nesta pesquisa foi: “Quais as ações são desenvolvidas pela Atenção Primária a Saúde para a cessação do tabagismo e seus resultados”. Foram utilizadas as bases de dados online: PubMed, Scielo e BVS. Os critérios de inclusão foram, publicações em português e disponíveis no período entre 2013 e 2020, ao final, foram selecionados 4 artigos. Identificou-se nos artigos selecionados que a atenção primária em saúde é um centro de saúde muito importante para controle e acompanhamento de usuários de cigarro. Os principais resultados sobre os programas de cessação do tabaco, foram subdivididos em duas temáticas, as quais: 1) Utilização de grupos operativos para cessação do tabaco e 2) Estratégias/ferramentas diversas para ações de combate ao tabagismo. A literatura permitiu identificar as ações e ferramentas utilizadas na APS para cessação do uso do tabaco, assim como as dificuldades encontradas nas atividades de trabalho das equipes de saúde. As ações de enfermagem, os atendimentos de prevenção e promoção ao uso do tabaco durante o pré-natal e a busca ativa dos indivíduos tabagistas para participação em atividades de cessação do tabaco mostra-se essencial na base da atenção primária à saúde.


Keywords


Tabagismo, Abandono do hábito de fumar, Atenção Primária à Saúde.

References


CID-10. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. Disponível em: https://www.cid10.com.br/buscacode?query=F179. Acesso em 16 de novembro de 2020.

MÜLLER, Erildo Vicente et al. Fatores associados ao tabagismo em usuários da estratégia saúde da família. Cogitare Enfermagem, v. 22, n. 4, 2017.

DOS SANTOS MELO, Everson; ARAGAKI, Sérgio Seiji. Ampliação do tratamento do tabagismo para a atenção básica no município de palmeira dos índios-al: uma atuação multidisciplinar. Gep News, v. 2, n. 2, p. 439-447, 2019.

OPAS (BRASIL). Folha Informativa – Tabaco. 2019 (atualizada em julho de 2019). Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5641:folha-informativa-tabaco&Itemid=1097. Acesso em 26 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2018. Brasília: Ministério da Saúde, 2019. 132 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer (INCA). Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2014: incidência de câncer no Brasil. Brasília: INCA, 2014.

RANGEL, Erica Cavalcanti et al. O processo decisório de ratificação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, p. e00126115, 2017. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2017001505001&lng=en&nrm=iso.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 571, de 5 de abril de 2013. Atualiza as diretrizes de cuidado à pessoa tabagista no âmbito da Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) e dá outras providências. Brasília, 2013. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0571_05_04_2013.html. Acesso em: 18 maio 2020.

MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira; GALVÃO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto enfermagem, v. 17, n. 4, p. 758-764, 2008.

MOHER D. Et al. Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement. PLoS Med. [Internet]. 2009

LUCCHESE, Roselma et al. A tecnologia de grupo operativo aplicada num programa de controle do tabagismo. Texto & Contexto Enfermagem, v. 22, n. 4, p. 918-926, 2013.

PORTES, Leonardo Henriques et al. Ações voltadas para o tabagismo: análise de sua implementação na Atenção Primária à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 439-448, 2014.

SIQUEIRA, Lucíola D.’Emery; FRACOLLI, Lislaine Aparecida; MAEDA, Sayuri Tanaka. Influência do contexto social na manutenção do tabagismo em gestantes. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, p. 259-265, 2019.

SATTLER, Alexandre Coutinho; CADE, Nágela Valadão. Prevalência da abstinência ao tabaco de pacientes tratados em unidades de saúde e fatores relacionados. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 1, p. 253-264, 2013.

ALMEIDA, Shirley Pereira de; SOARES, Sônia Maria. Aprendizagem em grupo operativo de diabetes: uma abordagem etnográfica. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, p. 1123-1132, 2010.

MENEZES, Kênia Kiefer Parreiras de; AVELINO, Patrick Roberto. Grupos operativos na Atenção Primária à Saúde como prática de discussão e educação: uma revisão. Cadernos Saúde Coletiva, v. 24, n. 1, p. 124-130, 2016.

VINCHA, Kellem Regina Rosendo; SANTOS, Amanda de Farias; CERVATO-MANCUSO, Ana Maria. Planejamento de grupos operativos no cuidado de usuários de serviços de saúde: integrando experiências. Saúde em Debate, v. 41, p. 949-962, 2017.

MOURA, Bárbara Laisa Alves et al. Atenção primária à saúde: estrutura das unidades como componente da atenção à saúde. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 10, p. s69-s81, 2010.

BESTETTI, Maria Luisa Trindade. Ambiência: espaço físico e comportamento. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 17, n. 3, p. 601-610, 2014.

MELLO, Paulo Roberto Bezerra de; PINTO, Gilberto Rodrigues; BOTELHO, Clovis. Influência do tabagismo na fertilidade, gestação e lactação. Jornal de pediatria, v. 77, n. 4, p. 257-264, 2001.

VIANA, Tatiana Barreto Pereira et al. Fatores associados ao consumo do cigarro entre adolescentes de escola pública. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 52, 2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderno de Atenção ao pré-natal risco habitual. Rede Mãe Paranaense. Acesso em : 24 de novembro de 2020. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2020-07/pdf6.pdf

LUCCHESE, Roselma et al. Fatores associados ao uso nocivo do tabaco durante a gestação. Acta Paulista de Enfermagem, v. 29, n. 3, p. 325-331, 2016.

NUNES, Rodrigo Dias; DE CAMPOS, Andressa Caroline Cardoso. Avaliação do hábito tabágico e fatores associados ao tabagismo na gestação. Arquivos Catarinenses de Medicina, v. 44, n. 3, p. 23-36, 2016.

RIBEIRO, Fabiane Alves de Carvalho et al. Percepção dos pais a respeito do tabagismo passivo na saúde de seus filhos: um estudo etnográfico. Revista Paulista de Pediatria, v. 33, n. 4, p. 394-399, 2015.

SANTOS, Sergio Ricardo et al. Perfil dos fumantes que procuram um centro de cessação de tabagismo. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 34, n. 9, p. 695-701, 2008.

SANTOS, Maria Eduarda Rodrigues et al. Perfil do tabagista participante do GATT da Região Continental de Vitória. In: Anais do Congresso Capixaba de Medicina de Família e Comunidade. 2017. p. 41-41.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica : o cuidado da pessoa tabagista / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2015.

Aung MN, Y9uasa M, Moolphate S, Kitajima T. Challenges for smoking cessation intervention as part of primary health care services in developing countries. J Smok Cessat [Internet]. 2016;11(4):211-8.

HOOD, Camila Furtado et al. Hábitos de vida e sua relação com doenças crônicas não transmissíveis na população adulta atendida em unidades de estratégia saúde da família em Pelotas, RS. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 6, p. 34995-35001, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29791

Refbacks

  • There are currently no refbacks.