Jogos didáticos: uma análise de pesquisas produzidas sobre métodos ativos com foco nos conhecimentos de Genética / Educational games: an analysis of research produced on active methods with a focus on knowledge of Genetics

Luciele Matos do Carmo Costa, Edna Lopes Hardoim

Abstract


No processo educativo existem fragilidades principalmente no aspecto metodológico empregado no processo ensino aprendizagem que torna necessária a utilização de vários recursos didáticos, que facilitem esse processo de aquisição e produção de conhecimento. O presente artigo registra uma pesquisa qualitativa acerca do uso dos jogos didáticos no ensino de genética como proposta de estímulo para o desenvolvimento de competências e de habilidades no ensino de Biologia, de maneira lúdica, oportunize o protagonismo do estudante frente às propostas pedagógicas. O objetivo do estudo foi realizar uma discussão acerca do estado da arte sobre a temática, levantando em bancos de dados os artigos publicados no período de 2008 a 2018, além de salientarmos os trabalhos apresentados no Catálogo de Teses e Dissertações da Capes.  A seleção dos estudos teve início a partir dos descritores: “jogos didáticos no ensino de genética”. Os trabalhos analisados possibilitaram a compreensão expressiva da temática da proposta de pesquisa, que resultou na elaboração da Dissertação como requisito para o Programa de Pós-Graduação de Ensino de Ciências Naturais – PPGECN/UFMT.


Keywords


Jogos, Ensino de Genética, Ludicidade, Aprendizagem Ativa.

References


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. Editora Edições 70. Lisboa. 1977.

BARRETO, Jéssica Oliveira da Silva. A produção de Jogos Didáticos Por Estudantes: Assimilação Funcional e Acomodação Um Estudo de Caso. UFRJ. Rio de Janeiro, 2016.

de outubro de 2009.

BRÃO, Arianne Francielle Silva. Biotecnétika: jogo integrador de conceitos em genética. Maringá, 2013.

CAMPOS, L. M. L.; BORTOLOTO, T.M.; FELICIO, A. K. C. A produção de jogos didáticos para o ensino de ciências e biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Caderno dos núcleos de Ensino, v. 47, p. 47-60, 2003.

COSTA, Luciele Matos do Carmo. Jogos e a Aprendizagem Híbrida: Desafios e Possibilidades Didáticas Colaborativas no Ensino de Genética. Dissertação (mestrado profissional) – Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação Profissional em Ensino de Ciências Naturais. Cuiabá. 2021.129 p.

DANTAS, M. M. Jogos pedagógicos no ensino de Genética: um estudo psicométrico. 2018.

DE CARVALHO, C. V. Aprendizagem baseada em jogos-Game-based learning. In: II World Congress on Systems Engineering and Information Technology. p. 176-181. 2015.

DE SOUZA, Rodrigo Fernando; DE SOUZA, Eliane Batista; CORDEIRO, Rogério Soares. “Dungeons and troubles”: uma proposta de RPG educativo sobre genética para o Ensino Médio. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 6, p. 38746-38767, 2020.

DOLIVEIRA, Helio Sylvestre Dias. Projeto Genus: Uma Ferramenta Pedagógica para auxiliar no Processo Ensino-Aprendizagem de Genética. Curitiba. 2015.

FADEL, L. M., ULBRICHT, V. R., BATISTA, C. R. E VANZIN, T. (Org.) “Gamificação na Educação”, São Paulo, Pimenta Cultural, 2014.

FERRAZ, A.P.C.M. BELHOT, R. V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/gp/v17n2/a15v17n2.pdf Acesso em:15/04/19

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Revista Educação & Sociedade, Campinas, n. 79, p. 257-272, Agosto, 2002.

FREIRE, Alexandre de Sá. O Jogo Genoma: um estudo sobre o ensino de Genética no e Ensino Médio. Rio de Janeiro. 2009.

GONZÁLEZ REY, F. L. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. Editora Pioneira Thomson Learning. 2005.

HARDOIM, E. L., et al.. Biologia no cotidiano: abordagens voltadas a Educação Básica. Cuiabá, MT: Tanta Tinta Edit., 2010.

MATO GROSSO, Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer – SEDUC. Documento de Referência Curricular para Mato Grosso – Concepções para a Educação Básica, 2018.

MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. In: Ciência Hoje, v.28, 2001 p. 64-66.

MORAN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. 2015. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso: 10/06/2019.

NASCIMENTO, Tuliana Euzébio do. e COUTINHO, Cadidja. Metodologias ativas de aprendizagem e o ensino de Ciências, 2016.

NEVES, Marina Amaral. O ensino da genética com caráter investigativo em um jogo de biologia forense: uma ferramenta pedagógica para aumentar a motivação de alunos do ensino médio. Belo Horizonte, 2017.

PEREIRA, Alba Flora. Diagnóstico das dificuldades de articulação e sobreposição dos conceitos básicos da genética utilizando jogos didáticos. 2008.

PERRENOUD, Philippe. Construir as Competências desde a escola. Porto Alegre, Artmed, 1999. Disponível em http://abenfisio.com.br/wp-content/uploads/2016/06/Construir-as-competec%C3%AAncias-desde-a-escola.pdf

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

ROCHA, D. F; RODRIGUES, M.S. Jogo didático como facilitador para o ensino de biologia no ensino médio. Cippus, v.6, n.2, p. 01-08, 2018.

SANTANNA, Alexandre; NASCIMENTO, Paulo Roberto. A história do lúdico na educação The history of playful in education. Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 6, n. 2, p. 19-36, 2011.

SANTO, Pâmala Jéssica de Oliveira. Análise do uso de jogos didáticos de Biologia no Ensino Médio: Desvelando sua eficácia na Aprendizagem dos Alunos. São Cristovão.2014.

SOUZA, T. M., & CHAGAS, A. M. Ensino híbrido: Alternativa de personalização da aprendizagem. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, 6(1), 59-66, 2019.

TORRES, P. L.; IRALA, E. A. F. Aprendizagem colaborativa: teoria e prática. Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento. Curitiba: Senar, p. 61-93, 2014.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar; Ernani F. da Rosa – Porto Alegre: ArtMed, 1998.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29750

Refbacks

  • There are currently no refbacks.