Sobreviver de honorários periciais? O que dizem os peritos contadores?/ Surviving on expert fees? What do the expert accountants say?

Nauro de Jesus Rocha Sousa, Idalberto José das Neves Júnior

Abstract


A prova pericial contábil é uma importante ferramenta na resolução de controvérsias no âmbito judiciário e fora dele, contribuindo para tornar o mercado de trabalho atraente para os contadores. No entanto, tem-se observado um número reduzido de profissionais da Contabilidade atuando no nicho em questão e, aqueles que aí laboram, fazem da atividade um complemento da renda familiar. Nesse ínterim, a presente pesquisa teve por objetivo verificar se os honorários recebidos pelos contadores, enquanto peritos, são suficientes para manter o sustento da família, buscando certificar-se da sustentabilidade financeira da atividade. Como metodologia, aplicou-se, no período de 17 de setembro a 07 de outubro de 2019, um questionário com 24 questões a 1.200 contadores que atuam como perito contábil em todas as esferas judiciais brasileiras, dos quais 138 contadores responderam ao questionário. Os resultados evidenciaram que 22,31% dos respondentes sobrevivem exclusivamente da renda oriunda de honorários periciais, 75% afirmaram receber entre R$ 100,00 (cem reais) a R$ 300,00 (trezentos reais) por hora trabalhada, enquanto os profissionais que sobrevivem exclusivamente de honorários periciais cobram um valor médio de R$ 343,33 (trezentos e quarenta e três reais e trinta e três centavos) por hora. Concluiu-se que outras variáveis podem ser pesquisadas no futuro, partido do ponto que se logrou um valor médio praticado por contadores que sobrevivem exclusivamente de honorários periciais, sendo passível de investigação a quantidade de horas/mês trabalhadas por cada perito, outras combinações e outros resultados.


Keywords


Honorários periciais, Perícia contábil, Perito contábil, Prova pericial.

References


Cestare, T. B., Peleias, I. R., & Ornelas, M. M. G. (2007). O laudo pericial contábil e sua adequação às normas do Conselho Federal de Contabilidade e à doutrina: Um estudo exploratório. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 12(1), 1-14.

Código de Processo Civil. (2015). Retirado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm.

Conselho Federal de Contabilidade. (2019). Vice-Presidência de Registro. Coordenadoria de Registro. Profissionais Ativos nos Conselhos Regionais de Contabilidade. Retirado de http://www3.cfc.org.br/spw/crcs/ConselhoRegionalAtivo.aspx.

Constante, R. S., & Maino, J. R. (2007). Marketing pessoal: Um difencial para o sucesso profissional. Gestão e Desenvolvimento, 4(2), 67-75.

Crepaldi, S. A., & Crepaldi, G. S. (2018). Manual do perito contábil. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (1991). Com Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, P. C., Machado, M. R. R., Machado, L. S., & Zanolla, E. (2014). Características do perito-contador: Perspectiva segundo juízes da Justiça Federal, advogados da União e peritos-contadores no contexto goiano. Revista Contemporanea de Contabilidade, 11(22), 119-140.

Laville, C., & Dionne, J. (1999). A construção do saber. Porto Alegre: Artmed.

Levecke, P. H. (2014). O profissional contador investido na função de perito contabil. Revista Visão: Gestão Organizacional, 66-71.

Lima, J. R., Bortoli, E., & Silva, N. O. (2014). A função do perito contábil judicial e sua influência na solução de litígios na percepção dos magistrados do munícipio de Cárceres MT. Revista UNEMAT de Contabilidade, 3(5), 115-130.

Marconi, M., & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Melo, W. M., & Neves, I. J., Jr. (2010). Períto contábil judicial: Um estudo exploratório sobre a inserção do perito contador no mercado de trabalho. Revista Brasileira de Contabilidade, 55-69.

Neves, I. J., Jr., Costa, M. S., & Barreto, M. D. (2016). O estado da arte de práticas de honorários periciais contábeis na Justiça do Distrito Federal. Brasília.

Neves, I. J., Jr., & Oliveira, D. S. (2010). A relevância do trabalho de perícia contábil desenvolvida por assistente técnico nas ações revisionais de contratos: Uma análise documental dos processos da Caixa Econômica Federal – CEF. Revista Brasileira de Contabilidade, 73-87.

Neves, I. J., Jr., Santos, A. M., & Candido, I. S. (2012). Proposição de metodologia para determinação dos custos que compõem a hora técnica do perito que atua em litigios do Sistema Financeiro de Habitação. ABCustos, 7(1), 01-29.

Norma Brasileira de Contabilidade – NBC TP 01, de 27 de fevereiro de 2015. Dá nova redação à NBC TP 01 – Perícia Contábil. Retirado de http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTP01.pdf.

Peleias, I. R., Nogueira, M. F., Parisi, C., & Ornelas, M. M. (2008). Otimização do mix operacional de um escritório de perícias: Uma aplicaççao de programação linear. Contab. Vista & Revista, 19(1), 37-60.

Peleias, I. R., Ornelas, M. M., Weffort, M. R., & Jreige, E. F. (2011). Perícia contabil: Análise das condições de ensino em cursos de Ciências Contábeis da Região Metropolitana de São Paulo. Educação em Revista, 27(3), 79-108.

Pires, M. A. (1999). A perícia contábil: Reflexões sobre seu verdadeiro signiciado e importância. Contab. Vista & Revista, 10(1), 18-27.

Sá, A. L. (2009). Perícia contábil. São Paulo: Atlas.

Santos, C. R., Fº., Carlos, F. A., & Costa, F. M. (2017). Habilidades relevantes para a perícia contabil criminal: a parcepção dos peritos e delegados da Policia Federal. REPeC, 11(1), 69-89.

Silva, W. F., & Neves, I. J., Jr. (2016). A participação do contador em processos de falências e de recuperação de empresas na visão dos magistrados: Administração judicial e perícia contabil. Revista Mineira de Contabilidade, 17(3), 32-44.

Yoshitake, M., Negra, C. A. S., Negra, E. M. S., Pires, M. A., Resende, N. S., Fº., & Lage, W. M. (2005). A metodologia de elaboração de um laudo pericial. Revista Mineira de Contabilidade, 8(31), 22-31.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29517

Refbacks

  • There are currently no refbacks.