A violação da integridade da pessoa com deficiência: da violência à denuncia / The violation of the integrity of the person with disability: from violence to denunciation

Maria Luíza de Aguiar Interaminense Guerra, Michelly Cristina Rozeno, Nathállya Rayanne Soares, Maria Daniele da Silva, Maria Clara de Araújo Campello, Daiany Rejane Florentino Soares

Abstract


É necessário iniciar este artigo com uma retrospectiva histórica sobre a deficiência, ressaltando a institucionalização como forma de controle disfarçada de tratamento para as pessoas com deficiência, inclusive, tratamento esse totalmente desumano e torturante com o uso de eletrochoques e medicalização. Após denúncias dos descasos, deu-se o início da luta antimanicomial juntamente com a reforma psiquiátrica onde se tinha como objetivo cuidar realmente da saúde das pessoas com deficiência e/ou transtorno mental, sendo um cuidar mais humanizado, terapêutico e respeitoso, com condições dignas para se tornar possível a desinstitucionalização e acompanhamento contínuo em instituições de convivência de modelo substutivo. Fizemos a descrição da violência e quais são os seus tipos, buscamos dados estatísticos sobre as denúncias, de como é a relação entre o suspeito abusador e a vítima, a faixa etária mais recorrente, sexo e cor/raça.


Keywords


História da Deficiência, Liberdade, Política Pública, Saúde, Violência.

References


AMARANTE, Paulo; NUNES, Mônica de Oliveira. A reforma psiquiátrica no SUS e a luta por uma sociedade sem manicômios. Disponível em: Acesso em: 12.05.2020

BORSA, Juliane Callegaro; FEIL, Cristiane Friedrich. O papel da mulher no contexto familiar: uma breve reflexão.Cidade: Jun/2008.

BRASIL. Balanço Anual Disque Direitos Humanos 2018. Brasília-DF, 2019. Disponível em: Acesso em:15.05.2020

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. DAPE. Coordenação Geral de Saúde Mental. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental : 15 anos depois de Caracas. OPAS. Brasília, novembro de 2005. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf Acesso em: 10.05.2020

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Balanço Anual Ouvidoria 2017. Brasília-DF, Maio/2018. Disponível em: Acesso em: 14.05.2020

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 2013.

GUIMARÃES, Andréa Noeremberg; BORBA, Letícia de Oliveira; LAROCCA, Liliana Muller; MAFTUM, Mariluci Alves. Tratamento em saúde mental no modelo manicomial (1960 a 2000): histórias narradas por profissionais de enfermagem. 2013. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072013000200012>. Acesso em: 14.05.2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29468

Refbacks

  • There are currently no refbacks.