A atenção à Saúde da população LGBTQIA+: dos movimentos à realidade / Health care of the LGBTQIA + population: from movements to reality

Nathállya Rayanne Soares, Michelly Cristina Rozeno, Vivian Kelly leite Pedrosa, Albiele Tatiana Guedes Reinaldo, Tatianny dos Santos Cassiano, Laís Navarro Xavier, Dandara Raiza Mendes de Oliveira, Maria Luíza de Aguiar Interaminense Guerra

Abstract


Esse artigo faz um breve resgate aos movimentos sociais, ao processo histórico da saúde pública no Brasil, fazendo luz ao Movimento de Reforma Sanitária e a implantação do Sistema único de Saúde. Concomitante, reflete a relação entre as vivências sociais da população LGBTQIA+ e seus desdobramentos no acesso e na utilização dos serviços de saúde. A discussão a respeito da atenção à saúde da população LGBTQIA+ perpassa pelas políticas públicas destinadas a esse público, mas também na qualificação da rede de saúde e dos profissionais de saúde. É perceptível também que, apesar dos avanços, ainda há um caminho longo e desafiante a ser percorrido.


Keywords


Movimentos Sociais, Saúde, Reforma Sanitária, População LGBTQIA+, Políticas Públicas.

References


ALVES, Edhilson Dantas. A criação do programa brasil sem homofobia: progressos e crítica. ANPUH- Brasil. 30° Simpósio Nacional de História. Recife, 2019. Disponível em:https://www.snh2019.anpuh.org/resources/anais/8/1565802149_ARQUIVO_ACRIACAODOPROGRAMABRASILSEMHOMOFOBIAPROGRESSOSECRITICA.pdf. Acesso em: 21/06/2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília - DF: Câmara dos Deputados, 1988. Disponível em: . Acesso em: 17/06/2020.

_______. Lei Orgânica da Saúde 8.080/1990. Ministério da Saúde. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/setembro/30/Lei-8080.pdf. Brasília, 1990. Acesso em: 17/06/2020.

________. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays Bissexuais, Travestis e Transexuais. Ministério da Saúde. 1ª edição: Brasília – DF, 2013.

________. Programa Brasil Sem Homofobia. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, 2004.

GOHN, Maria da Glória. Teoria dos movimentos sociais paradigmas clássicos e contemporâneos. Edições Loyola, São Paulo: 1997.

BRAVO, Maria Inês Souza. A política de Saúde no Brasil: trajetória histórica. In: Capacitação para Conselheiros de Saúde – textos de apoio. Rio de Janeiro: UERJ/DEPEXT/NAPE, 2001.

GOSS, Karine Pereira; PRUDENCIO, Kelly. O conceito de movimentos sociais revisitado. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC

Vol. 2, nº 1 (2), janeiro-julho 2004, p. 75-91. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/article/view/13624/12489> Acesso em: 17/06/2020.

LACLAU, Ernesto. Os novos movimentos sociais e a pluralidade do social. Revista

Brasileira de Ciências Sociais, n. 2, vol. 1, out. ,1986.

MELUCCI, Alberto. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

_________. Um objeto para os movimentos sociais. Lua Nova, n. 17, junho. São Paulo : Cedec, 1989. P. 50-66.

REDE FEMINISTA DE SAÚDE. Saúde das mulheres Lésbicas: promoção da equidade e da integralidade. Dossiê. Belo Horizonte, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29459

Refbacks

  • There are currently no refbacks.