Intolerância religiosa, um racismo religioso que dura mais de cinco séculos/ Religious intolerance, a religious racism that lasts more than five centuries

Michelly Cristina Rozeno, Nathállya Rayanne Soares, Maria Luíza de Aguiar Interaminense Guerra, Maria Daniele da Silva, Tamares Dias Bandeira, Claudia de Lima Rodrigues Souza, Brenda Fernanda Guedes, Maria Clara de Araújo Campello

Abstract


O Candomblé é uma religião que resiste a cinco séculos a perseguições e a um racismo religioso institucionalizado, definido por intolerância, mas além de suportar a essa violência, essa religião passou a se torna um espaço que atrai um público que também se encontra a margem de uma sociedade patriarcal, conservadora e moralista, atraindo principalmente mulheres, que na maioria das instituições religiosas são excluídas de terem uma relação direta com o sagrado, e os homossexuais que também não são pessoas bem vindas nessas instituições. Sendo assim o Xangô colocam esses dois atores, em espaço de destaque, onde fazem parte até mesmo do seu contexto histórico, não sendo um fenômeno novo, mas histórico, assim como a intolerância que permeia o Candomblé.


Keywords


Candomblé, Religião, Intolerância.

References


CARDOSO, C.M. 2003. Tolerância e seus limites: um olhar latino-americano sobre diversidade e desigualdade. São Paulo Editora: UNESP.

CIPRIANI, Juliana. 2017 foi o marcado pela intolerância, especialistas temem repetição, 2017. Disponível em: https://www.geledes.org.br/2017-foi-marcado-pela-intoleranciaespecialistas-temem-repeticao-em-2018/>. Acesso em:13 de jan.2018.

JUNIOR, Walmyr. Racismo religioso é o retrato da intolerância no Brasil, 2016. Disponível em: https://www.geledes.org.br/racismo-religioso-e-o-retrato-daintolerancia-no-brasil/>. Acesso em:13 de jan.2018.

MATTOS, Wilson Roberto de. Negros contra a ordem: astúcia, resistência e liberdades possíveis (Salvador, 1850-1888). Salvador: EDUFBA,2008. OLIVEIRA. T.C.S.;

OLIVEIRA. T.C.S.; SANTOS.E.C.M; MENONÇA. A.F.F.N. Odayá, minha mãe! Desconstruindo o uso da imagem da Iemanjá a partir do caso Farm. Revista Udesc Ano9, n.17, jan-jun 2016. ISSN 1982-615x.

SANTOS, B. S. A construção multicultural da igualdade e da diferença. Coimbra: CES, 1999. SILVA, A.O. da. 2004. Reflexões sobre a intolerância. Disponível https://www.espacoacademico.com.br>. Acesso em: 05 de jan.2018.

VERGER, Pierre. 2002. Orixás: deuses iorubas na África e no Novo mundo (6. ed).

VIEIRA, R. Etnobiografias e descobertas de si uma proposta da Antropologia da Educação para a formação de professores para a diversidade e cultural.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n5-150

Refbacks

  • There are currently no refbacks.