A afetividade presente na Educação Infantil Indígena / The Affectivity Present in Indigenous Childhood Education

Rosi Meri Bukowitz Jankauskas

Abstract


A educação infantil é a base da construção dos saberes, o educador não deve só ensinar o conteúdo, mas ensinar a amar, a ter empatia com o outro, uma vez que o mesmo é visto como referencial para as crianças em desenvolvimento. Para haver aprendizagem necessita de troca, essa troca deve ser permeada de afetos: carinho, compreensão, amor que são elementos marcantes na interação educador-criança. O educador hoje deve estar inteirado da importância de educar afetivamente, visando o melhor desenvolvimento do educando. Visto que a interação afetiva auxilia na compreensão dos saberes. O referido trabalho tem como tema A afetividade presente na Educação Infantil Indígena. Foi realizado no Pré II (2º período) turno vespertino, na Escola Municipal Indígena AEGATU DECATUCU, na comunidade de Umariaçu II. Tendo como objetivo a investigação da importância da afetividade para o processo de ensino e aprendizagem na educação infantil indígena. Para obtenção dos dados foi utilizada a pesquisa qualitativa, observação participante, entrevista e roda de conversa. De acordo com os dados obtidos concluímos que as educadoras indígenas compreendem que a afetividade é fator importante na aprendizagem das crianças, pois quando são bem acolhidas no ambiente escolar, elas conseguem expor seus sentimentos, o qual melhora a socialização entre elas e a curiosidade para aprender. Assim, ficou comprovado que para se ter uma aprendizagem mais significativa é necessário que os afetos se façam presentes na prática docente.

 


Keywords


Educação Infantil Indígena, Afetividade, Educador-criança.

References


BRASIL. Ministerio da Educacao e do Desporto. Secretaria de Educacao Fundamental.Referencial curricular nacional para a educação infantil. Vol. 1. Brasilia: MEC/ SEF,1998.

LATAILLE, Yves de. Teorias Psicogéneticas em discussão. Sao Paulo: Summus, 1992.

LIMA, Lauro de Oliveira. Piaget: Sugestões aos educadores. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

LUCCA,Lousane Arnoldi de. Alfabetização afetiva. 2. ed.São Paulo: Centro de Estudos Vida e Consciência Editora, 2000.

MELIÀ, Bartomeu. Educação indígena e alfabetização. São Paulo: Loyola, 1979.

MORENO, Montserrat, et al. Falemos de sentimentos: afetividade como tema transversal.

Sao Paulo: Moderna, 1999.

NASCIMENTO, Shirley Cristina Cabral, et al. A afetividade na relação docente/discente no ambiente escolar. Brasilian Journal of Development, Curitiba, v.7 , n.4, p. 36619-36627, 2021

POLI, CRIS. Educando na sala de aula com Cris Poli: livro 1. Sao Paulo: Editora

Gente/Rideel, 2010.

RESTREPO, Luis Carlos. O Direito a Ternura. Petropolis: Vozes, 1998.

RIBEIRO, Marinalva Lopes; JUTRAS, France. Representacoes sociais de professores sobre afetividade. Estudos de psicologias. Campinas, vol. 23, n.1, pag. 39-45. Março, 2006.Disponivel em: Acessado em 18 abril 2012.

WADSWORTH, Barry T. Inteligência e afetividade da criança na Teoria de Piaget. 5. ed.Sao Paulo: Pioneira, 1997.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. Lisboa: Edições 70, 2000.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29441

Refbacks

  • There are currently no refbacks.