Modernidade Líquida: compreendendo fenomenologicamente a era das relações superficiais / Liquid Modernity: understanding phenomenologically the era of superficial relationships

Fabiola Rocha Rodrigues, Taciane Castelo Branco Porto

Abstract


Zygmunt Bauman nomeia a contemporaneidade como Modernidade Líquida, na qual é caracterizada pela volatilidade, incertezas e instabilidade. Essas novas diretrizes influenciam os indivíduos e, transformações no cenário atual, são cada vez mais perceptíveis, principalmente no modo de se estabelecer relações afetivas, já que essas conexões também tendem a ser instáveis e com tempo limitado. Neste sentido, a investigação compreendeu como se dão as relações entre jovens adultos universitários com idade entre 20 e 25 anos e, para isso, foi realizada uma pesquisa de campo na Clínica de Psicologia da FEPI, localizada em Itajubá-MG. A metodologia utilizada foi a pesquisa qualitativa e para a análise dos dados usou-se a compreensão fenomenológica. Como resultado da pesquisa tivemos como principais temáticas: rede social como busca por laços afetivos, descartabilidade, vazio  existencial, medo de aprofundamento dos vínculos e uso de álcool para facilitar conquistas, o  que nos levou a constatar que as relações afetivas neste público se encontram superficiais.


Keywords


Modernidade líquida, Relações afetivas, Psicologia fenomenológica.

References


AMATUZZI, M. Apontamentos acerca da pesquisa fenomenológica. Revista Estudos de Psicologia, v.13, n.1, p.5-10, 1996.

BARROS, J.A. A poética do amor cortês e os trovadores medievais – caracterização, origens e teorias. Aletria: Revista de Estudos de Literatura, Belo Horizonte, [S.l.], v.25, n.1, p.215-228, nov.2015. Disponível em:

. Acesso em: 19 nov. 2019.

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Z. Amor Líquido. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUMAN, Z. Paul Radin ou uma etiologia dos intelectuais. In: . Legisladores e Intérpretes. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2010. p.23-38.

BECK, U. GERHSHEIM, E. B.; O caos totalmente normal do amor. Tradução de Rernando R. F. Engel e Milton C. Mota. Petrópolis: Editora Vozes, 2017.

BEE, H. Desenvolvimento físico e cognitivo no início da vida adulta. Desenvolvimento social e da personalidade no início da vida adulta. In: . O Ciclo Vital. Tradução de Regina Garcez. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. p.387- 450.

BELSKY, J. Adolescência e Idade do Adulto Jovem. In: . Desenvolvimento humano: experienciando o ciclo da vida. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 329-356.

CARDELLA, B.H. O amor na relação terapêutica: uma visão gestáltica. São Paulo: Summus, 1994.

CHAVES, J.C. Práticas Afetivo-Sexuais juvenis: entre a superficialidade e o aprofundamento amoroso. Revista Psicologia e Sociedade. Belo Horizonte, v.28, n.2, p.320-330, ago.2016. Disponível em:

. Acesso em:19 nov. 2019.

COSTA, J.F. Sem fraude nem favor: estudos sobre o amor romântico. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

ERIKSON, E.H. O Ciclo Vital: epigênese da identidade. In: . Identidade, Juventude e Crise. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar,1976. p.90– 136, 1976.

FORTES, V.G. Psicologia da Educação. Natal: Editora IFRN, 2012.

FROMM, E. A Arte de Amar. Tradução de Milton Amado. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1962.

FROMM, E. Ter ou Ser? Tradução de Nathanael C. Caixeiro. 4 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1986.

GRIFFA, M.C.; MORENO, J.E. Maturidade, vida adulta velhice. In: . Chaves Para a Psicologia do Desenvolvimento: Adolescência, Vida Adulta, Velhice. Tradução de Vera Vaccari. 10 ed. São Paulo: Paulinas, 2011. p.61-80.

JÚNIOR, G. A.; GAYA, C.M. Implicações do uso de álcool, tabaco e outras drogas na vida do universitário. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. Universidade de Fortaleza, Fortaleza. n.1, v.28, mar.2015, pp.67-74. Disponível em: < https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/3166 > Acesso em: 23 nov. 2019.

LIEVEGOED. B. C. O Curso da Vida: primeira maioridade – os anos vinte. In: . Fases da vida: crises e desenvolvimento da individualidade. Tradução de Jayme Kahan. 3 ed. São Paulo: Antroposófica, 1994. p.50-55.

LINS, R. N. A Cama na Varanda: Arejando nossas ideias a respeito de amor e sexo. Rio de Janeiro: Revista Ampliada, 2010.

MASTERS, W. H.; JOHNSON, V. E. A Sexualidade Adulta. In: . O relacionamento amoroso: segredos do amor e da intimidade sexual. Tradução de Heloísa Gonçalves Barbosa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988. p.161-189.

MAY, R. O Homem à procura de si mesmo. Tradução de Aurea B.Weissenberg. 31 ed.Petrópolis: Vozes, 2005.

PAPALIA, D.E.; FELDMAN, R.D. Desenvolvimento físico e cognitivo no início da vida adulta e no adulto jovem. Desenvolvimento psicossocial no início da vida adulta e no adulto jovem. In: Desenvolvimento Humano. Porto Alegre: AMGH, 2013. p.450-508.

OLIVEIRA, F. A. F.; PEREIRA, D.R. Redes Sociais: as relações no cenários pós moderno. Revista Uningá, Maringá, [S.I.], v.55, n.3, p.140-149, jan/mar. 2018. Disponível em:

Acesso em: 19 nov. 2019.

SILVA, S.P. Modernidade e Pós-Modernidade e Educação no contexto do capitalismo tardio. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

TAVARES, J.; PEREIRA, A. S.; GOMES, A. A.; MONTEIRO, S.; GOMES, A. Fases do

Desenvolvimento: jovem adulto. In: . Manual de Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem. Portugal: Porto Editora, 2007. p. 83-91.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29375

Refbacks

  • There are currently no refbacks.