Fatores motivacionais para a prática de musculação / Motivational factors for bodybuilding practice

Moisés Augusto de Oliveira Borges, Gabriela Simões, Maria de Lourdes Augusta de Oliveira, Rafael dos Santos Pereira, Leonardo da Silva Santos, Pedro Adolpho Pessanha Furtado, Lorena Rodrigues Vieira Mendes, José Camilo Camões

Abstract


O mundo moderno contribui para o aumento do sedentarismo, sendo este o principal problema de saúde pública na sociedade atual. Considerando a importância da prática regular de atividade física, esse estudo objetivou investigar os fatores motivacionais que levam homens e mulheres a praticarem musculação, além de comparar as motivações em função do sexo. O instrumento utilizado para a coleta dos dados foi a Escala de Motivação à Prática de Atividades Físicas (MPAM-R), que foi respondido por 42 praticantes de musculação, de ambos os sexos, com idade média de 21,9±2,6 anos. Os resultados indicaram que no grupo do sexo feminino e masculino, respectivamente, o principal fator motivacional é a Saúde, seguido dos fatores Diversão, Competência, Aparência e, por último, Social, sendo este o fator que menos os motiva à prática do treinamento contra resistido. Quando comparados os grupos, não houve diferença estatística significativa de maneira geral e em função dos fatores, indicando que os fatores que mais e menos motivam o grupo investigado independem do sexo.


Keywords


Saúde, Motivação, Psicologia do Esporte, Treinamento Resistido.

References


APOLINÁRIO, M. R., et al. Fatores motivacionais em uma academia de musculação em São José do Rio Pardo/SP. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, v. 18, n. 2, p. 101-107. 2019.

BARBOSA, M. L. L. Propriedades métricas do inventário de Motivação à Prática regular de atividade física (IMPRAF-126). 2006. 151 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciências do Movimento Humano, Programa de Pós-Graduação da Escola de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/12726/000630968.pdf. Acesso em: 19 mar. 2021.

BARRERA, S. D. Teorias cognitivas da motivação e sua relação com o desempenho escolar. Poíesis Pedagógica, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 159-175, 2010.

BEZERRA, M. A. A.; et al. Motivação para prática desportiva de adolescentes escolares. Braz. J. of Develop., v. 5, n. 11, p. 22685-22694, 2019.

BORGES ROCHA SAMPEDRO, L.; et al. Motivação à prática regular de atividades físicas: um estudo com praticantes de taekwondo. Pensar a Prática, v. 17, n. 1, 2014.

FURTADO, R. Do fitness ao wellness: os três estágios de desenvolvimento das academias de ginástica. Pensar a prática, v. 12, n. 1, 2009.

GONCALVES, M.; ALCHIERI, J. Adaptação e validação da Escala de Motivação à Prática de Atividades Físicas (MPAM-R). Avaliação Psicológica, v. 9, n. 1, p. 128-138, 2010a.

GONÇALVES, M.; ALCHIERI, J. Motivação à prática de atividades físicas: um estudo com praticantes não-atletas. Psico USF, v. 15, n. 1, p. 125-134, 2010b.

HELENA, L. Olá, pais. Corporeidade. O que é isso? 2016. Disponível em: http://www.olapais.com.br/blog/2016/06/27/corporeidade-o-que-e-isso/. Acesso em: 25 mai. 2019.

LIZ, C. M.; ANDRADE, A. Motivação para a prática de musculação de aderentes e desistentes de academias. In: Anais do XVIII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (CONBRACE) e V Congresso Internacional de Ciências do Esporte (CONICE), Brasília, 2013. Disponível em: http://congressos.cbce.org.br/index.php/conbrace2013/5conice/paper/view/5123/2529. Acesso em: 25 mai. 2019.

MOUTÃO, J. Motivação para a prática de exercício físico: estudo dos motivos para a prática de actividades de fitness em ginásios. 2005. 167f. Dissertação (Mestrado) - Psicologia do desporto e do exercício, Universidade de Trás-os-montes e Alto Douro, Vila Real, 2005.

NOGUEIRA, V. M. R. Bem-estar, bem-estar social ou qualidade de vida: a reconstrução de um conceito. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [s.l.], v. 23, n. 1, p.107-122, 2002.

PALHARES, T. et al. Bem-estar mental e emocional na atualidade: Saúde além do corpo. Rio de Janeiro: Conquista, 2019, p. 112.

PAULA, C. F. C.; et al. Estudo comparativo da motivação entre atletas amadores universitários e não universitários de rugby. Rev Biomotriz, v. 13, n. 4, p. 55-65. 2019

ROMERO, B. F.; et al. Motivação e atividade física: os projetos de extensão na universidade. Pensar a Prática, v. 20, n. 1, p. 73-87, mar. 2017.

RYAN, R. M.; et al. Intrinsic motivation and exercise adherence. International Journal of Sport Psychology, 28, 335-354, 1997.

RYAN, R.; DECI, E. Intrinsic and Extrinsic Motivations: Classic Definitions and New Directions. Contemporary Educational Psychology, v. 25, n. 1, p.54-67, 2000.

RYAN, R.; DECI, E. Self-determination theory: Basic psychological needs in motivation, development, and wellness. Guilford Publications. 2017.

SANTOS, F. C.; et al. Motivação a prática de atividades físicas: um estudo com praticantes de musculação. Revista Científica FAGOC-Multidisciplinar, v. 3, n. 1, 2018.

SCHULTZ, D.; SCHULTZ, S. E. Teorias da personalidade. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

TAVARES, A. C. J.; PLANCHE, C. T. Motivos de adesão de mulheres a prática de exercícios físicos em academias. Revista Equilíbrio Corporal Saúde, v. 8, n. 1, p. 28-32, 2016.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de Pesquisa em Atividade Física. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

WHO. Global Health Estimates 2016: Deaths by Cause, Age, Sex, by Country and by Region, 2000–2016. Geneva: World Health Organization, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29321

Refbacks

  • There are currently no refbacks.