Análise do tempo para realização de endoscopia digestiva alta de urgência / Analysis of the time to perform emergency upper gastrointestinal endoscopy

Isadora Martins Assunção Rodrigues, Manuella Meneses Chaves, Maria Eduarda Carvalho Santos de Araújo, Lucas Palha Dias Parente, Luiz Ferreira de Freitas Martins Neto, Matheus Augusto de Morais Araújo, Lucas Martins de Moura, Marcelo Martins de Moura, Cristiane Patrícia Ferreira Andrade, Welligton Ribeiro Figueiredo

Abstract


INTRODUÇÃO: A Hemorragia Digestiva Alta é a emergência gastroenterológica mais comum em admissões e apresenta uma mortalidade em torno de 10%. A Endoscopia Digestiva Alta de urgência deve ser realizada com o paciente hemodinamicamente estável, nas primeiras 24 horas de admissão hospitalar. A consecução de um diagnóstico precoce de patologias que cursam com essa clínica pode ajudar a reduzir o número de óbitos. Este estudo avalia o tempo de espera para realização de endoscopia digestiva alta na urgência, definindo as principais indicações, bem como, o perfil epidemiológico dos pacientes. METODOLOGIA: A pesquisa foi realizada após submissão do projeto de pesquisa à Plataforma Brasil e apreciação e liberação do mesmo pelo Comitê de Ética em Pesquisa, em consonância com a resolução 466/2012. A pesquisa foi realizada em um hospital de referência na cidade de Teresina-PI, onde foi avaliado 135 prontuários dos pacientes admitidos de julho de 2016 a junho de 2017. Os critérios de inclusão foram: pacientes que apresentam hemorragia digestiva alta na admissão hospitalar e que foram submetidos a Endoscopia Digestiva Alta e excluídos os prontuários sem registros da data, do horário, da admissão no hospital e/ou da realização da Endoscopia Digestiva Alta. Além disso, foram obtidos os seguintes dados: tempo para realização de endoscopia desde a admissão hospitalar, idade, gênero e achados endoscópicos. RESULTADOS E DISCUSSÃO: A epidemiologia dos pacientes atendidos no Hospital de Referência do Piauí condiz com a encontrada na literatura: a maioria dos pacientes com HDA são do sexo masculino – 69,6% – e os principais achados são as úlceras gástricas – 25,2% –, enfermidades varicosas – 18,5% – e erosões gastroduodenais, 17,8% da amostra total. Em relação ao tempo em que foi feito a EDA, quase metade – 46,7% – dos pacientes tiveram a EDA realizada 24 horas após a admissão ao serviço. CONCLUSÃO: O atendimento ao paciente com HDA, no Hospital de Referência de Teresina, está sendo feito de forma insatisfatória e uma boa parte das endoscopias de urgência estão sendo realizadas após o prazo recomendado, podendo acarretar problemas futuros, como maiores custos com internações, medicamentos, condições crônicas e óbitos..


Keywords


Hemorragia Digestiva Alta, Endoscopia, Emergência endoscópica.

References


AFONSO, S. I. S. Endoscopia digestiva alta: análise de 100 exames. 2012. 33 f. Dissertação (Mestrado em Medicina) – Faculdade de Medicina, Universidade de coimbra, coimbra. 2012.

AMERICAN SOCIETY FOR GASTROINTESTINAL ENDOSCOPY. Guidline on the role of endoscopy in the management of acute non-variceal upper GI bleeding. Gastrointest Endosc, v. 75, n. 6, p. 1132-1138, 2012. Disponível em: http://www.asge.org/assets/0/71542/71544/b4349a10-9b72-463e-ac70-f394c7aa20b4.pdf

BORGES, T. M. Hemorragia gastro-intestinais: tratamento. 2010. 66 f. Dissertação (Mestrado em Medicina) – Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra, Coimbra. 2010.

CHO, S.-H.; LEE, Y.-S.; KIM, Y.-J.; et al. Outcomes and Role of Urgent Endoscopy in High-Risk Patients With Acute Nonvariceal Gastrointestinal Bleeding. Clinical gastroenterology and hepatology : the official clinical practice journal of the American Gastroenterological Association, v. 29, n. 0, p. 827–833, 2017. The American Gastroenterological Association. Disponível em: . .

LONGO, D. L.; FAUCI, A. S. Harrison´s gastroenterology e hepatology. 2. ed. Mirela Favaretto, 2013.

LOURENÇO, K. G.; OLIVEIRA, R. B. Abordagem do paciente com hemorragia digestiva alta não varicosa. Medicina, Ribeirão Preto, 36: 261-265. abr./dez. 2003.

LUÍS, S. M. C. Hemorragias digestivas altas: revisão da abordagem diagnóstica e terapêutica. 2011. 41 f. Disserração (Mestrado em Medicina) – Ciências da Saúde, Universidade da Beira Interior, Covilhã, 2011.

MAIO, A. J. P. Hemorragia digestiva alta. 2012. 38 f. Dissertação (Mestrado em Medicina) – Faculdade de Medicina, Universidade de Porto, Porto, 2012.

PRATA, M. A. A. P. Hemorragia digestiva alta aguda. 2011. 42 f. Dissertação (Mestrado em Medicina) – Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Universidade de Porto, Porto, 2011.

PROJETO DIRETRIZES. ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA (AMB), CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM). Hemorragia digestivas. São Paulo: AMB/CFM; 2002. Disponivel em: http://www.cidmed.com.br/pdf/hemorragia_digestiva.pdf

TSOI, K. K. F. et al. Endoscopy for upper gastrointestinal bleeding: how urgent is it?. Nature Reviews Gastroenterology and Hepatology. 2009;6:463-469.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n5-034

Refbacks

  • There are currently no refbacks.