Inovação e segurança alimentar em linhas de produção: um estudo de caso em uma indústria de panificação de grande porte / Innovation and food safety in production lines: a case study in a large bakery industry

Anderson de Albuquerque Lima, Rodrigo Linhares Lauria

Abstract


No mercado da indústria de alimentos a segurança alimentar é algo cada vez mais essencial às corporações. Sua importância é tal que o estudo aqui apresentado demonstra o contexto real de uma situação problema, onde um produto alimentício de uma empresa de renome no mercado, que zela pela a segurança alimentar em sua linha de produção, apresenta a fuga de um contaminante físico, devido a falha em uma operação manual, sendo esta uma evidente e grave lacuna na política de segurança do produto. Aliando-se a tal tema, a inovação é apresentada como ferramenta de erradicação desta lacuna e para tal, são utilizados recursos de metodologia para formular opções (Brainstorm) e testá-las (PDCA). Os resultados apresentados pelo estudo mostram a completa eliminação do problema, corroborando para que a Engenharia de Produção se confirme como a mola-mestra para solução de problemas, aliando inovação à estruturação metodológica.


Keywords


segurança alimentar; inovação; metodologia; Brainstorm; PDCA

References


ANDRADE, J et al. Percepção do consumidor frente aos riscos associados aos alimentos, sua segurança e rastreabilidade, Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v. 16, n. 3, p. 184-191, jul./set. 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/bjft/v16n3/a03v16n3.pdf>. Acesso em 20 mar. 2015.

ANDRADE, F. O ciclo de melhorias PDCA. USP, São Paulo, 2003. 167 p. Disponível em: . Acesso em: 05 mai. 2016

ANDREASSI, T. Repensar a graduação da EAESP: um estudo de caso de inovação. FGV, São Paulo, 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2016.

BEZERRA, C. A máquina de inovação: Mentes e organizações na luta por diferenciação. Porto Alegre: Bookman, 2011. 84 p.

BRASIL. Decreto nº 3029, 16 de abril de 1999. Aprova o regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 abr. 1999. Artigo 3, inciso XII. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D3029.htm>. Acesso em: 28 mai. 2016

CANONGIA, C.; SANTOS, D.; ZACKIEWICZ, M. Foresight, Inteligência competitivas e gestão do conhecimento: instrumentos para a gestão da inovação. UNICAMP, Campinas, v.11, n.2, p.231-238, mai.-ago. 2004. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2016.

FUSCO, C. O poder das redes sociais. Exame, São Paulo. 01 out. 2009. Notícias. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2016.

GERHARDT, T; SILVEIRA, D. Métodos de pesquisa. UFRGS. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. 120 p. Disponível em: . Acesso em: 09 mai. 2016

LASTRES, H.; ALBAGLI, S. Informação e inovação na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 1999. 163 p. Disponível em: < http://www.uff.br/ppgci/editais/saritalivro.pdf>. Acesso em: 07 abr. 2016

LEHMANN, W. Sistema de registro e análise com base na falha humana. 1. ed. Florianópolis: UFSC, 2001. 116p. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2016.

MEIRELES, M. Ferramentas administrativas para identificar, observar e analisar problemas: organizações com foco no cliente. São Paulo: Arte & Ciência, 2001. 144. p.

NASCIMENTO, S. A mídia e a segurança dos alimentos. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 25, n. 200/201, setembro/outubro, 2011. Disponível em: . Acesso em 10 set. 2015.

ROLDIN, L et al. Brainstorming em prol da produtividade: um estudo de caso em três empresas de Varginha – MG. FACECA, Varginha, v.1, n.7, p.53-66, jan./ dez.2009. Disponível em: < http://www.faceca.br/revista/index.php/revisiniciacao/article/viewFile/106/20>. Acesso em: 02 mai. 2016

SATOLO, E.; SATOLO, L.; CALARGE, F. A aplicação do sistema de gestão da qualidade BPF (Boas Práticas de Fabricação) na indústria de produtos farmacêuticos veterinários. UNIMEP, São Carlos, v. 14, n. 2, p. 379-392, maio-ago. 2007. Disponível em: . Acesso em: 21 mai. 2016

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2001. 205 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n5-279

Refbacks

  • There are currently no refbacks.