Experiências e relatos de idosos sobre a autopercepção / Experiences and reports of elderly people on self-perception

Rodolfo Mendonça Pereira, Daniel Gonçalves

Abstract


O número de idosos entre a população geral é ascendente e fazem-se necessárias pesquisas que enfatizem a compreensão do idoso sob seu próprio ponto de vista. A presente pesquisa teve como objetivos identificar as características das trocas sociais entre idosos a partir do discurso autorrelatado, a percepção que possuem do envelhecimento, da relação entre pares, bem como se há impactos desta relação de trocas sociais; identificar a percepção que os idosos têm de si e do grupo de convivência; e  se há e quais são os impactos da percepção na autonomia autorreferida dos idosos. O caminho percorrido foi embasado num método qualitativo para alcançar representação advinda das ideias contidas nos discursos dos sujeitos a partir dos dados coletados que possibilitaram a sistematização e a identificação das ideias chave contidas nos depoimentos que foram codificados e categorizados em ideias centrais, que ocasionaram três categorias temáticas analisadas qualitativamente a partir da técnica de análise de conteúdo temático de Bardin (1977/2016). Os idosos apresentaram uma representação com predileção pela convivência entre pares e compreendem o isolamento como uma forma (um cuidado) de permitir espaço aos mais jovens.


Keywords


Envelhecimento. Conexões vivenciais. Autopercepção.

References


ALCÂNTARA, A. O. O elogio da velhice no De senectute de Marco Túlio Cícero. 2013. 100f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Filosofia, Fortaleza (CE), 2013. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6570. Acessos em 17 de set. 2014.

ALMEIDA, T; LOURENÇO, M. L. Reflexões: conceitos, estereótipos e mitos acerca da velhice. RBCEH, Passo Fundo, v. 6, n. 2, p. 233-244, maio/ago. 2009. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/171/793. Acesso em: 2017-05-17.

AREOSA, S. V. C; BENITEZ, L. B; WICHMANN, F. M. A. Relações familiares e o convívio social entre idosos. Textos & Contextos (Porto Alegre), v. 11, n. 1, p. 184 - 192, jan./jul. 2012. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/27226830.pdf.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.

_______. Análise de conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2016.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Dent-zien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BRASIL. Estatuto do idoso: lei federal nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004.

CHIAVENATO, J.J. Ética globalizada e sociedade de consumo. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2004.

CÔRTE, B; GOLDFARB, D. C; LOPES, R. G. C. (orgs.). Psicogerontologia: fundamentos e práticas.Curitiba: Juruá, 2009.

COSTA, C. Sociologia: questões da atualidade. São Paulo: Moderna, 2010.

DALBOSCO, C. A. Corpo e alma na velhice: significação ético-pedagógica do “cuidado de si mesmo”. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo, 22-37 - jan./jun. 2006.

DESCHAMPS, J. C; MOLINER, P. A identidade em psicologia social: dos processos identitários às representações sociais. Petrópolis: Vozes, 2009.

FLORES, G. C. et al. A dádiva do cuidado: estudo qualitativo sobre o cuidado intergerecional com o idoso. Cienc Cuid Saude 2011 Jul/Set; 10(3):533-540. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/viewFile/11683/pdf. Acesso em:2017-04-20.

GRIFFA, M. C; MORENO, J. E. Chaves para a psicologia do desenvolvimento: adolescência, vida adulta e velhice. Tradução de Vera Vaccari. 8. ed. São Paulo: Paulinas, 2014. Tomo 2.

LEFEVRE, F; LEFEVRE, A. M. Pesquisa de representação social: um enfoque qualiquantitativo. 2. ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2012.

MARKOVA, I. A fabricação da teoria de representações sociais. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 47, n. 163, p. 358-375, Mar. 2017. Availablefrom. Accesson 22 May 2017. http://dx.doi.org/10.1590/198053143760.

MINAYO, M. C. S. (org). Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. 6. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1996.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social.9. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

NERI, A. L. (org). Psicologia do Envelhecimento: Temas selecionados da perspectiva de curso de vida.São Paulo: Papirus, 1995.

_______________. (Org.). Qualidade de vida e idade madura. Campinas: Papyrus, 1993.

PACHECO FILHO, R. A. A psicanálise e as mulheres e os homens “de uns tantos e quantos anos”. In: Psicogeontologia: fundamentos e práticas. CÔRTE, Beltrina; GOLDFARB, DeliaCatullo; LOPES, Ruth Gelehrter da Costa. (orgs.). Curitiba: Juruá, 2009.

PORTAL BRASIL. Expectativa de vida aumenta em todo o mundo. Disponível em: http://www.brasil./gov.br/saude/2014/12/expectativa-de-vida-aumenta-em-todo-o-/mundo. Acesso: 08 de ago. 2016.

SEIDMANN, L. A. W. Interculturalidade e vínculos familiares: uma intervenção psicossocial. 2016. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-07102016-183430/. Acesso em: 2017-05-22.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-179

Refbacks

  • There are currently no refbacks.