Análise de possíveis interações medicamentosas em prescrições para idosos hipertensos / Analysis of possible drug interactions in prescriptions for hypertensive elderly

Daniel Gonçalves, Rodolfo Mendonça Pereira

Abstract


A população de pessoas idosas vem crescendo gradativa e significativamente no mundo e, no Brasil, essa realidade é facilmente identificável. É uma população sobre a qual recai o desgaste natural da ação do tempo, principalmente os idosos diagnosticados com alguma doença crônica, tal como a hipertensão, tema norteador desta pesquisa. Devido ao envelhecimento populacional e a alta incidência de diagnósticos de hipertensão, há muitos estudos envolvendo essa classe. E, para tanto, esta pesquisa foi realizada em uma unidade básica de saúde (UBS) da Zona Leste da cidade de São Paulo. O objetivo geral foi fazer uma análise comparativa de prescrições farmacológicas contidas em prontuário de pacientes hipertensos, foram analisadas as possíveis interações entre as doses dos fármacos prescritos, nas que foram identificadas a ocorrência, e apresentados benefícios que o uso racional pode ocasionar em idosos hipertensos. Os objetivos específicos foram: (1) descrever a possível interação medicamentosa dos fármacos prescritos para pacientes hipertensos; (2) analisar as associações e possíveis interações entre as dosagens prescritas; (3) verificar a frequência do uso racional de medicamentos. E, por se tratar de um estudo de delineamento descritivo e quantitativo, foram analisados 44 prontuários que apresentaram o diagnóstico de hipertensão em pacientes idosos, a partir de 60 anos, cujos fármacos prescritos foram analisados e descritos. Foram identificadas, nos prontuários, três tipos de interação medicamentosa: entre anti-hipertensivos (A*); entre outros medicamentos (não anti-hipertensivos) (B*); e entre anti-hipertensivos X outros medicamentos (não anti-hipertensivos) (C*). Foram identificadas 21 possibilidades de interação medicamentosa e todas elas corresponderam à gravidade moderada. Foi identificado que os pacientes são adequadamente acompanhados pelos profissionais prescritores e há o auxílio da equipe multidisciplinar da Unidade Básica de Saúde (UBS), o que viabiliza a prevenção da automedicação ou medicação inadequada e possibilita o controle da dispensação de medicamentos que são distribuídos de acordo com a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME).


Keywords


Prontuário. Prescrição. Medicação. Doenças crônicas.

References


BACHMANN, K. A.; LEWIS, J. D.; FULLER, M. A.; BONFI GLIO, M. F. Interações medicamentosas. 2ª. ed. Barueri, 2006.

BEYTH, R. J; SHORR, R. I. Uso de medicamentos. In DUTHIE, E. H. & KATZ, P. R. Geriatria prática. 3. ed. Rio de Janeiro: Ed. Revinter, 2002.

BRASIL. Estatuto do idoso: lei federal nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. (Cadernos de Atenção Básica, n. 19) (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

BRASIL. Ministério da Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. (Cadernos de Atenção Básica, n. 37).

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Resolução nº 585 de 29 de agosto de 2013. Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/586.pdf. Acesso em: 25/07/2017.

ESPERANDIO, Eliane Maria et al .Prevalência e fatores associados à hipertensão arterial em idosos de municípios da Amazônia Legal, MT. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro , v. 16, n. 3, p. 481-493, Sept. 2013 . Available from . access on 18 Dec. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232013000300007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008, p. 16-17.

Guia da clínica Mayo sobre o envelhecimento saudável: como encontrar a felicidade e a vitalidade à medida que se envelhece. Tradução: Marcos José da Cunha. Rio de Janeiro: Anima, 2010.

GUYTON, A.C., HALL. J. E. Tratado de Fisiologia Médica. 11. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2006.

GUYTON, A. C; HALL, J.E. Fisiologia Humana e Mecanismo das Doenças. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1998.

NORRIS, S. H; KURTZMAN, N. A. Renal acidificationandmetabolicacidosis in theelderly. In Martinez-Maldonado M, ed. Hypertension and Renal disease in the Elderly. Boston, BlackweelScientificPublications, p. 185-199, 1992.

SILVA, P. Farmacologia. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-178

Refbacks

  • There are currently no refbacks.