Desafios na atuação dos enfermeiros no serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU) na cidade de Surubim-PE/ Challenges in the performance of nurses in the mobile emergency care service (SAMU) in the city of Surubim-PE

Camila Teresa de Lima, Cezarino Manoel de Santana Neto

Abstract


Este trabalho busca apresentar as principais dificuldades encontradas no atendimento prestado pelos enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, na cidade de Surubim. Os dados foram obtidos a partir de entrevista aos enfermeiros que trabalham na unidade e encontram-se apresentados neste estudo os aspectos mais relevantes mencionados pelos entrevistados. Buscou-se ainda identificar o perímetro geográfico de atuação da unidade do SAMU da cidade de Surubim-PE e pontuar os principais problemas enfrentados pelos profissionais na rotina de atendimento. O estudo identificou que no pré-atendimento, a problemática que se sobressai são os constantes trotes acompanhados da falta informações precisas sobre o paciente. Por sua vez na faze de atendimento foram mencionados aspectos como insatisfação pelo tempo de chegada da equipe no local do atendimento, recusa do paciente em receber o atendimento e curiosidade dos populares. As principais modalidades de atendimento solicitadas são intoxicação exógena; infarto; trabalho de parto; psiquiátricos; acidentes de trânsito e agressão física.


Keywords


Enfermagem, SAMU, Atendimento pré-hospitalar.

References


VELOSO, ISC; ARAUJO, MT; ALVES, M. Práticas de poder no serviço de atendimento móvel de urgência de Belo Horizonte. Rev. Gaúcha Enferm. [online]. 2012, vol.33, n.4, pp. 126-132. ISSN 1983-1447.

MARQUES, GQ; LIMA, MADS; CICONET, RM. Agravos clínicos atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Porto Alegre - RS. Acta paul. enferm. [online]. 2011, vol.24, n.2, pp. 185-191. ISSN 0103-2100.

CARVALHO, Gilson. A saúde pública no Brasil. Estud. av., São Paulo, v. 27, n. 78, 2013. Disponível em: Accesso em 05 mar. 2016.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Saúde. SAMU 192: Núcleo de Educação em Urgência e Escola de Saúde Pública de Santa Catarina. 2006. Disponível em: . Acesso em: 11 marc. 2016.

MALVESTIO, M.A. A; SOUZA, R. M. C. Suporte avançado à vida: atendimento a vítimas de acidentes de trânsito. Revista Saúde Pública. São Paulo, v.36, n.5, out. 2002, p.36.

BRASIL. Ministério da Saúde. Samu 192 e a política nacional de atenção às urgências. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2016.

STUMM, E. M. F.; RIBEIRO, G.; KIRCHNER, R. M.; LORO, M. M.; ROSANELLI, C. L. S. P.. Avaliação da Saúde e Qualidade de Vida: profissionais de um SAMU. Revista Cogitare Enfermagem, Rio Grande do Sul, v. 14, nº. 4, p. 620-7, out.dez., 2009. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/cogitare/article/view/16374/10855. Acessado em: 15 de jan., 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2048/GM de 05 de novembro de 2002. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília. Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/samu/legislacao/leg_2048.htm. Acessado em: 10 de jan., 2016.

Ministério da Saúde. Manual de Regulação Médica de Urgências. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2006. 126p.

ALMEIDA, A. C.. Avaliação da implantação e do desenvolvimento do sistema Público municipal do atendimento pré-hospitalar móvel da cidade do Recife. 2007. Dissertação (mestrado)- obtenção do título de mestre em Ciências, Fundação Oswaldo Cruz Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Recife, 2007. Disponível em: http://www.cpqam.fiocruz.br/bibpdf/2007almeida-ac.pdf. Acessado em: 08 de jan., 2016.

BUENO, A. A.; BERNADES, A.. Percepção da equipe de Enfermagem de um serviço de atendimento pré-hospitalar móvel sobre o gerenciamento de Enfermagem. Texto Contexto de Enfermagem, Florianópolis, Rio Grande do Sul, v. 19, nº. 1, p. 45-53, jan.mar., 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v19n1/v19n1a05.pdf. Acessado em: 03 jan., 2016.

BRASIL. Portaria nº 1.863/GM de 29 de setembro de 2003. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF. Disponível em: http://www.cremesp.org.br/library/modulos/legislacao/versao_impressao. php?id=3. Acessado em: 16 jan., 2015.

ELIETE, AAG. Percepção de Técnicos de Enfermagem sobre o uso de equipamentos de proteção individual em um serviço de urgência. Cienc. enferm. [online]. 2011, vol.17, n.3, pp. 113-123. ISSN 0717-9553. Disponível em: Acesso em 10 jan. 2016.

MACHADO, Cristiani Vieira; SALVADOR, Fernanda Gonçalves Ferreira; O'DWYER, Gisele. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência: análise da política brasileira. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 45, n. 3, June 2011 . Disponível em: . Acesso em 16 Mar. 2016.

CICONET, RM. Atuação e articulação das ações das equipes de suporte básico de um serviço de atendimento móvel de urgência com a central de regulação e as portas de entrada da urgência [dissertação]. Porto Alegre: Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2009. 145f.

LANCINI, André de Bastiani. O Processo de Trabalho das Equipes do Ser viço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Coleção Gestão da Saúde Pública – Volume 4 disponível em: http://gsp.cursoscad.ufsc.br/wp/wp-content/uploads/2013/03/Anais-GSP-Volume-4-Artigo-1.pdf. Acesso em 13 mar 2016.

BONFADA, D; GUIMARAES, J. Serviço de atendimento móvel de urgência e as urgências psiquiátricas. Psicol. estud. [online]. 2012, vol.17, n.2, pp. 227-236. ISSN 1413-7372.

MICHELE, NC. Dificuldades vivenciadas no atendimento pré-hospitalar (APH) pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da base descentralizada em Ipojuca/PE. Revista Conceito A. Revista dos Trabalhos de Conclusão de Curso: Faculdade São Miguel. 2012. Disponível em: http://www.faculdadesaomiguel.com.br/pdf/revistaconceito/enfermagem_dificuldades-vivenciadas.pdf. Acesso em 12 jan. 2016.

SCHWARTZ, Y. Os ingredientes da competência: um exercício necessário para uma questão insolúvel. Educação & Sociedade, Campinas, n. 65, p. 101-139, 1998.

LANCINE, AB. O Processo de Trabalho das Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Coleção Gestão da Saúde Pública – Volume 4. 2013. Disponível em: http://gsp.cursoscad.ufsc.br/wp/wp-content/uploads/2013/03/Anais-GSP-Volume-4-Artigo-1.pdf. Acesso em 10 jan. 2016.

PEREIRA, C. M. O.; ALVES, M. A participação do enfermeiro na implantação do programa de saúde da família em Belo Horizonte. Rev. Bras. Enfermagem, Belo Horizonte, v. 57, n. 3, p. 311-315, maio-jun. 2004.

PEREIRA, W. A. da P.; LIMA, M. A. D. da S. O trabalho em equipe no atendimento pré-hospitalar à vítima de acidente de trânsito. Revista Esc. Enfermagem USP, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 320-327, 2009.

RAMOS, Viviane Oliveira and SANNA, Maria Cristina. A inserção da enfermeria no atendimento pré-hospitalar: histórico e perspectivas atuais. Rev. bras. enferm. [online]. 2005, vol.58, n.3, pp. 355-360. ISSN 0034-7167.

Thomaz RR, Lima FV. Atuação do enfermeiro no atendimento pré hospitalar na cidade de São Paulo. Acta Paul Enferm 2000; 13(3): 59-65.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-177

Refbacks

  • There are currently no refbacks.