Trajetória da videoarte no Brasil / Trajectory of video art in Brazil

Mariana Ribeiro da Silva Tavares

Abstract


Este artigo percorre de forma breve, as três primeiras gerações da videoarte no Brasil no século XX, com destaque para a produção realizada em Minas Gerais e analisa a perda do status da videoarte enquanto forma de expressão autônoma e sua incorporação na contemporaneidade, à formatos híbridos, como as performances audiovisuais; a arte generativa; a web-arte; a visual music; a vídeo-dança; os videoclips, bem como formas hegemônicas como o cinema e a televisão.


Keywords


Videoarte, gerações da videoarte, videoarte mineira

References


BAMBOZZI, Lucas; VELLOSO, Rogério (et al). Catálogos do ForumBHZVídeo. BH: Folio, 1991 e 1993.

MACHADO, Arlindo. Uma Experiência Radical de Videoarte. In: COSTA, Helouise (Org.). Sem medo da vertigem: Rafael França. São Paulo: Marca d'Água, 1997. pp. 75-81.

__________________. (Org.) Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Itaú Cultural, 2003.

TAVARES, Mariana; GINO, Maurício. Pesquisas em Animação: Cinema & Poéticas Tecnológicas. Belo Horizonte: Ramalhete, 2019.

VIDEOARTE . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: . Acesso em: 09 de Mai. 2019. Verbete da Enciclopédia.

VIEIRA, Ana Moraes. Horizontes Transversais: Artes da Imagem e do Som em Minas Gerais (2000-2010). (Dissertação de Mestrado). Belo Horizonte, Escola de Belas Artes, UFMG. 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117//bjdv7n4-170

Refbacks

  • There are currently no refbacks.