Plano de parto e nascimento: uma análise de sua influência no protagonismo de parturientes / Childbirth and birth plan: an analysis of its influence on the protagonism of parturients

Pablo Nascimento Cruz, Jaiza Sousa Penha, Waleska Lima Alves Simas, Emanuella Pereira de Lacerda, Camila Cristina Pereira Costa, Rosemary Fernandes Correa Alencar, Nayfrana Duarte de Sousa Oliveira, Rafael Lima Alves

Abstract


Introdução: A gestação e o parto são momentos de grande importância na vida de uma mulher, contudo, muitas referem a escassez de orientações dadas pelos profissionais sobre seus direitos. Nesse contexto, o plano de parto (PP) surge como um instrumento que sintetiza os desejos e expectativas das gestantes a respeito do seu parto, podendo favorecer sua autonomia. Objetivo: Analisar a produção científica no período de 2014-2018 a respeito do uso do plano de parto e nascimento como instrumento influenciador do protagonismo de parturientes. Metodologia: Realizou-se uma revisão integrativa de literatura, descritiva e exploratória, usando-se os descritores em ciências da saúde (DeCS): tomada de decisões, parto humanizado, enfermagem obstétrica, participação do paciente, além da palavra chave “plano de parto”, entre aspas, sendo os cruzamentos realizados com o operador booleano AND nas bases de dados Base de Dados de Enfermagem (BDENF), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Eletronic Library Online (SciELO). Resultados: obteve-se uma amostra de 5 estudos a partir dos critérios definidos. Pode-se perceber que o PP contribui de maneira significativa para o protagonismo da mulher no trabalho de parto e parto, melhores desfechos neonatais, além de favorecer a execução das boas práticas de atenção ao parto e nascimento. Conclusão: Foi possível concluir que o PP configura um importante instrumento de empoderamento feminino durante o trabalho de parto e parto. Como contribuição potencial, esperamos que os resultados deste estudo possam subsidiar discussões sobre esse instrumento como direito das mulheres no pré-natal e que ele possa ser divulgado, estimulado e sobretudo respeitado pelos profissionais de saúde. 


Keywords


Plano de parto. Humanização. Autonomia. Enfermagem Obstétrica.

References


CARRILHO, Juliana Moraes et al. Proposição de plano de parto informatizado para apoio a interoperabilidade e humanização. Jornal of Health Informatic, v. 8, (supl. I), p. 713-720, 2016.

GOMES, Rebeca Pinto Costa et al. Plano de parto em rodas de conversa: escolhas das mulheres. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, [S.L.], v. 21, p. 1-8, 2017.

HIDALGO-LOPEZOSA, Pedro; HIDALGO-MAESTRE, María; RODRÍGUEZ-BORREGO, Maria Aurora. O cumprimento do plano de parto e sua relação com os resultados maternos e neonatais. Revista Latino-Americana de Enfermagem, [S.L.], v. 25, p. 1-7, 11 dez. 2017.

LEAS, Renata Elias; CIFUENTES, Diego José. Parto humanizado: contribuições do enfermeiro obstetra. Revista Ciência & Cidadania, [s.L.], v. 2, n. 1, p. 74-90, 2016.

MEDEIROS, Renata Marien Knupp et al. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 40, p. 1-12, 2019.

MOUTA, Ricardo José Oliveira et al. Plano de parto como estratégia de empoderamento feminino. Revista Baiana de Enfermagem‏, [S.L.], v. 31, n. 4, p. 1-10, 20 dez. 2017

OLIVEIRA, Richardson Lemos et al. Atenção ao Pré-natal de alto risco e o manejo por profissionais da Estratégia de Saúde da Família: um relato de experiência profissional. Brazilian Journal Of Health Review, [S.L.], v. 4, n. 1, p. 3840-3851, 2021.

SILVA, Adaiele Lucia Nogueira Vieira et al. Plano de parto: ferramenta para o empoderamento de mulheres durante a assistência de enfermagem. Revista de Enfermagem da UFSM, Santa Maria, v.7, n. 1, p.144-151, 2017.

SOARES, Cassia Baldini et al. Revisão integrativa: conceitos e métodos utilizados na enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 2, n. 48, p. 335-345, 2014.

SUÁREZ-CORTÉS, María et al. Uso e influência dos Planos de Parto e Nascimento no processo de parto humanizado. Revista Latino-Americana de Enfermagem, [S.L.], v. 23, n. 3, p. 520-526, 3 jul. 2015.

TESSER, C. D et al.Violência obstétrica e prevenção quaternária: o que é e o que fazer. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Rio de Janeiro, v. 10, n. 35, p. 1–12, 2015.

TOSTES, Natalia Almeida; SEIDL, Eliane Maria Fleury. Expectativas de gestantes sobre o parto e suas percepções acerca da preparação para o parto. Temas em Psicologia, [s.L.], v. 24, n. 2, p. 681-693, 2016.

VENTURI, Gustavo; GODINHO, Tatau (Orgs.). Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado: uma década de mudanças na opinião pública. São Paulo: Fundação Perseu Abramo; Edições Sesc SP, 2013, 504p.

FERREIRA, Gabriela Elaine et al. A atenção do enfermeiro na assistência ao pré-natal de baixo risco. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v.4, n. 1, p. 2114-2121, 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-143

Refbacks

  • There are currently no refbacks.