Por uma aprendizagem significativa: metodologias ativas para experimentação nas aulas de ciências e química no Ensino Fundamental II e Médio / For meaningful learning: active methodologies for experimentation in science and chemistry classes in Elementary School II and High School

Rafael Willian de Lourenço, Janaína Gonçalves de Souza Alves, Ana Paula Rodrigues da Silva

Abstract


O presente artigo tem a finalidade de elucidar os principais desafios da educação atual e realidades diversas encontradas no cotidiano escolar, exigindo práticas mais empáticas. Será exposto a pesquisa em andamento de abordagem qualitativa do Programa de Pós-graduação em Docência para Educação Básica (PPGDEB) da Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Bauru, que visa a Metodologia Ativa nos experimentos científicos no ensino de ciências no 9° ano do Fundamental II e química no Ensino Médio. Procurando mostrar que os processos químicos estão presentes no cotidiano, buscando uma aprendizagem não isolacionista, tampouco abstrata, mas significativa por meio desta.

Keywords


Metodologias Ativas, Ensino de Química, Ensino de Ciências.

References


AMARAL. R. C. B.; LUCENA, Y. F.; ABREU, B. P.; BARBOSA, P.; SILVA, A. Metodologias ativas: tecnologias assistivas com um novo olhar para a inclusão. RIO DE JANEIRO/RJ. Maio de 2017. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2017/trabalhos/pdf/152.pdf. Acesso em: 21 ago. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988.

CAMARGO, L. N.; CAMARGO, S. C.L. A inclusão escolar do autista por meio das metodologias ativas. Disponível em: https://www.uninter.com/cadernosuninter/index.php/intersaberes/article/view/1374. Acesso em: 21 ago. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

GIORDAN, M. O papel da experimentação no ensino de ciências. Revista Química Nova na Escola, n. 10, p. 43-49, 1999.

MATTAR, J. Games em Educação: como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, L; MORAN, J. (org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018. e-PUB. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/metodologias_moran1.pdf. Acesso em: 15 mar. 2021.

MOREIRA, M.A. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula. Brasília: Editora UnB, 2006.

PELIZZARI, A.; KRIEGL, M. L.; BARON, M. P.; FINCK, N. T. L.; DOROCINSKI, S. I. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, Curitiba, v. 2, n° 1, p. 37-42, jul. 2001/jul. 2002.

PÉREZ, G, A. Educação na Era digital: a escola educativa; Porto Alegre: Penso, 2015.

PUCINELLI, R. H.; KASSAB, Y.; RAMOS, C. Metodologias Ativas no Ensino Superior: Uma Análise Bibliométrica. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 2, p. 12495-12509, 2021. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/24200/19367. Acesso em: 18 mar. 2021.

SERRES, M. Polegarzinha: uma nova forma de viver em harmonia, de pensar as instituições, de ser e de saber. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015. 2ª edição.

SILVA, F.; SALES, L. M.; SILVA, M. N. O uso de metodologias alternativas no ensino de química: um estudo de caso com discentes do 1º ano do Ensino Médio no município de Cajazeiras – PB. 2017. Disponível em: revistas.ufcg.edu.br › pesquisainterdisciplinar › article › download › pdf. Acesso em: 22 ago. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117//bjdv7n4-117

Refbacks

  • There are currently no refbacks.