Desempenho de híbridos de milho na segunda safra em baixa altitude no extremo oeste do Estado do Paraná / Performance of maize hybrids in the second season in low altitude at the far west of Paraná State, Brazil

Glauco Vieira Miranda, Patrick Machado, Erisson Mateus Weber Braun, Maria Eduarda Vilas Boas Alves, João Pedro Manzano Hubner, Ana Raquel Ribeiro e Souza

Abstract


O objetivo foi comparar híbridos de milho comerciais e pré-comerciais em baixa altitude na segunda safra no extremo oeste do Estado do Paraná. Para isso, foram instalados experimentos sem irrigação suplementar em fevereiro, com 30 híbridos transgênicos e convencionais na Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Câmpus Santa Helena a 258 metros de altitude nos anos de 2019 e 2020. Foi utilizado o delineamento em blocos casualizados com quatro repetições e parcelas com quatro linhas de cinco metros. O espaçamento foi de 0,50 m entre fileiras e a população de 60 mil plantas/ha. Em 2019, o grupo de híbridos com melhor desempenho apresentaram a produtividade de 5.502 kg ha-1 para o PZ 226 a 4.048 kg ha-1 e o grupo de híbridos que apresentaram produtividades intermediárias variaram de 3.911 kg ha-1 para o PZ 216 a 3.038 kg ha-1. O híbrido PZ 226 apresentou as maiores produtividades e alturas de plantas devido a sua tolerância a cigarrinha Dalbulus maydis transmissora do patógeno causador do enfezamento mas esta relação não se aplica aos demais. Em 2020, as precipitações foram insuficientes para o estabelecimento do estande adequado de plantas, pois as mesmas somente ocorreram 30 dias após a semeadura. A variação anual de volume total e a irregularidade de precipitação na região lindeira ao Lago Itaipu tem sido rotineira nos últimos anos. A doença enfezamento e a distribuição irregular de chuvas foram as causas das baixas produtividades de híbridos de milho no Oeste do Paraná na segunda safra em 2019 e 2020. Conclui-se que os híbridos de milho apresentam diferentes produtividades na mesma região e sua avaliação comparativa merece ser realizada anualmente devido às variações de precipitação e que novos híbridos de milho apresentam maiores produtividades do que os que estão no mercado.


Keywords


Produtividade. Cultivares. Melhoramento. Interação genótipo x ambiente.

References


AGROCERES. Guia Agroceres de sanidade. 2. ed. São Paulo: Sementes Agroceres, 1996. 72 p.

BARBOSA, D. M.; MACIEL, R. J. S. Automatização do processo de geração dos resultados do projeto Zarc. 2017 Anais e Proceedings de eventos Embrapa Informática Agropecuária https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/170883/1/Automatizacao-do-processo.pdf Acesso em 18 Mar 2021

CICHORSK, J. L.; SOUZA, G. J,; MORAES, L.; SANTOS, R.F.; MOREIRA, G.C. Avaliação da produtividade de híbridos de milho na região de Cascavel - PR. Cascavel, v.3, n.4, p.116-125, 2010.

CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Os resultados da safra 2017/18: A receita bruta e líquida operacional dos produtores de algodão, amendoim soja. V.9, p. 1-240, / responsável técnico Aroldo Antonio de Oliveira Neto. – Brasília: Conab, 2018.

CUNHA, J.E. Caracterização Físico Espacial da Bacia Hidrográfica do Paraná In: Geografia da bacia hidrográfica do Paraná 3: fragilidades e potencialidades socioambientais. Ed. Anderson Sandro da Rocha e Maicol Rafael Bade. – Jundiaí, SP: Ed. In House, 2018. 314 p. ISBN: 978-85-7899-591-1

DERAL – Departamento Economia Rural, Paraná. Paraná Comparativo de área, produção e rendimento de culturas selecionadas – safras 19/20 e 20/21. 2020. Disponível em: < http:// http://www.agricultura.pr.gov.br/deral/safras> Acesso em: 12 mar. 2021.

GALVÃO, João Carlos Cardoso (Org.) ; MIRANDA, G. V. (Org.) . Tecnologia e produção de milho. 1. ed. Viçosa, MG: Editora UFV, 2004. v. 1. 366p .

GALVÃO, J.C.C.; MIRANDA, G.V. ; TROGELLO, EMERSON ; FRITSCHE-NETO, R. Sete décadas de evolução do sistema produtivo da cultura do milho. REVISTA CERES, v. 61, p. 819-828, 2014.

GARBUGLIO, D. D.; SHIOGA, P. S.; GERAGE, A. G.; ARAÚJO, P.M.; BIANCO, R.; CUSTÓDIO, A. P. P.; BARROS, A. S. R. Avaliação estadual de cultivares de milho Safra 2017/2018. Londrina: IAPAR, 2018. p.59. (IAPAR. Boletim técnico, 91).

GARBUGLIO, D. D.; GERAGE, A. G.; ARAÚJO, P. M.; BIANCO, R; CUSTÓDIO, APP; BARROS, A. S. R. Avaliação estadual de cultivares de milho segunda safra 2018 Londrina: IAPAR, 2019. 75 p. il. (IAPAR. Boletim técnico, 92)).

GARBUGLIO, DD; GERAGE, AG; ARAÚJO, PM; BIANCO, R; CUSTÓDIO, APP; Avaliação estadual de cultivares de milho segunda safra 2019. Londrina, PR: IDR-Paraná, 2020. 41 p. il. (IDR-Paraná. Boletim técnico, 98)

IAPAR. Fundação Instituto Agronômico do Paraná. Cartas climáticas básicas do Estado do Paraná, Curitiba, 49p., 1994.

IBGE. Produção Agrícola Municipal, 2021. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pam/tabelas. Acesso em: 06 out. 2021.

IBGE Censo Agropecuário https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/santa-helena/pesquisa/24/27745 Acesso em: 17 Mar,. 2021.

ITAIPU OESTE EM DESENVOLVIMENTO: Boletim de Conjuntura Econômica Regional do Oeste do Paraná. Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI). 2014. p.53.

MAPA. Zoneamento Agrícola. Disponivel em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/riscos-seguro/risco-agropecuario/ zoneamento-agricola. Acesso em: 13 dez. 2019.

PFANN, A. Adaptabilidade e estabilidade de híbridos simples de milho na região centro-sul do Paraná. 2010. 49f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Estadual do Centro - Oeste Unicentro, Guarapuava, PR, 2010.

R Core Team (2020). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. URL https://www.R-project.org/.

SANGOI, L.; SALVADOR, R. J. Maize susceptibility to drought at flowering: a new approach to overcome the problem. Cienc. Rural, Santa Maria , v. 28, n. 4, p. 699-706, Dec. 1998 . Available from . access on 18 Mar. 2021. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84781998000400027.

SINCLAIR, T.R., BENNETT, MJ., MUCHOW, C.R. Relative sensitivity of grain yield and biomass accumulation to drought in field-grown maize. Crop Science, Madison, v. 30, n. 4, p. 690-693, 1990.

SILVA, R. G.; GALVÃO, J. C. C.; MIRANDA, G. V. ; OLIVEIRA, E. Controle genético da resistência aos enfezamentos do milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 38, p. 921-928, 2003.

SOUZA, L. V.; MIRANDA, G. V.; GALVÃO, J. C. C.; GUIMARÃES, L.J. M.; SANTOS, I.C. Combining ability of maize grain yield under different levels of environmental stress. Pesquisa Agropecuária Brasileira (1977. Impressa), v. 44, p. 1297-1303, 2009.

WESTGATE, M.E. Physiology of flowering in maize: identifying avenues to improve kernel set during drought. In: G.O. Edmeades, M. Bänziger, H.R. Mickelson, and C.B. Peña-Valdivia, (eds.). 1997. Developing Drought- and Low N-Tolerant Maize. Proceedings of a Symposium, March 25-29, 1996, CIMMYT, El Batán, Mexico. Mexico, D.F.: CIMMYT.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-102

Refbacks

  • There are currently no refbacks.