Associação do consumo de embutidos e perfil nutricional e escolaridade dos usuários do sus de acordo com os marcadores de consumo alimentar do sisvan da cidade de Araguari – MG / Association of embedded consumption and nutritional profile and school of sus users according to the markers of food consumption in the sisvan of the city of Araguari – MG

Patrícia Tatiana Veronez, Estelamar Maria Borges Teixeira, Elisa Norberto Ferreira Santos

Abstract


Trata-se de uma pesquisa para avaliar a ingestão de alimentos embutidos pelos usuários do SUS no município de Araguari – MG e sua relação com o estado nutricional e escolaridade. O objetivo foi analisar a associação entre consumo de embutido, o estado nutricional e a escolaridade dos usuários do SUS de acordo com os marcadores de consumo alimentar do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. Este é um estudo transversal, retrospectivo e descritivo realizado através de consulta no banco de dados do SISVAN da cidade de Araguari, município de Minas Gerais com amostragem de 509 adultos de 18 a 60 anos que compareceram por demanda espontânea nas Unidades de Saúde durante o ano de 2019. Para avaliar o estado nutricional foi realizada o Índice de Massa Corporal. Ao analisar a frequência de consumo em relação ao estado nutricional, o grupo que apresentou maior percentual para o consumo de embutidos inferior a uma vez por semana foi o grupo eutrófico com 58,0%. Os demais grupos  excetuando desnutridos e obesos grau III, apresentaram em torno de 21% dos indivíduos para frequência de consumo superior a uma vez por semana. Em relação à escolaridade, através da comparação entre os diferentes graus, observa-se que o grupo do Ensino superior incompleto apresenta os maiores percentuais para o consumo de 2 a 4 vezes por semana (47,8%) e 5 a 7 vezes por semana (13,0%). Ao aplicar o teste qui- quadrado a 5% observou-se que não há uma relação entre o consumo de embutidos e o estado nutricional, já em relação à escolaridade pode-se afirmar que há uma relação entre esse consumo e a escolaridade.

 

 


Keywords


embutidos, estado nutricional, escolaridade, SISVAN.

References


ANDERSON, L. M. et al. N-nitrosodimethylamine-derived O6-methylguanine in DNA of monkey gastrointestinal and urogenital organs and enhancement by ethanol. International Journal of Cancer, v. 66, n. 1, p. 130–134, 28 mar. 1996.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília, 2013. 83p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para população brasileira. Brasília, 2014.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília, 2013. 83p.

CAMPOS, M. A. G. et al. Estado nutricional e antropometria em idosos : revisão da literatura. Revista Médica de Minas Gerais, v. 17, p. 111–120, 2007.

EL ANSARI, W.; SUOMINEN, S.; SAMARA, A. Eating habits ana dietary intake: is adherence to dietary guidelines associated with importance of healthy eating among undergraduate university students in Finland? Central Eropean Journal of Public Health, Vol. 23, num. 4, 2015, p. 306-313.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE) . Censo Brasileiro de 2010. Minas Gerais: IBGE, 2010. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/araguari/panorama. Acesso em 13 de dezembro de 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSITICA (IBGE). PNS 2019: sete em cada dez pessoas que procuram o mesmo serviço de saúde vão à rede pública. Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28793-pns-2019-sete-em-cada-dez-pessoas-que-procuram-o-mesmo-servico-de-saude-vao-a-rede-publica. Acesso em: 17 de outubro de 2020.

JAKSZYN, P. et al. Intake and food sources of nitrites and N-nitrosodimethylamine in Spain. Public health nutrition, v. 9, n. 6, p. 785–91, set. 2006.

LAMARINO, L. Z. et al. Nitritos e nitratos em produtos cárneos enlatados e/ou embutidos. Gestão em foco, Vale do Ribeira, 7ed. 2015.

LARSSON, S. C.; ORSINI, N.; WOLK, A. Processed Meat Consumption and Stomach Cancer Risk: A Meta-Analysis. JNCI: Journal of the National Cancer Institute, v. 98, n. 15, p. 1078–1087, 2 ago. 2006.

LIMA, I. B. DA S. O. et al. Inovação Na Prevenção De Doenças Cardiovasculares a Partir Da Alimentação Saudável / Innovation in the Prevention of Cardiovascular Diseases From Healthy Eating. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 80508–80525, 2020.

ROHRMANN, S. et al. Meat consumption and mortality - results from the European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition. BMC Medicine, v. 11, n. 1, p. 63, 2013.

ROHRMANN, S.; LINSEISEN, J. Processed meat: The real villain? Proc. Nutr. Soc., 75,33-241, 2016.

ROUHANI, M. H. et al. Is there a relationship between red or processed meat intake and obesity? A systematic review and meta-analysis of observational studies. Obesity Reviews, v. 15, n. 9, p. 740–748, 2014.

TEICHMANN, L. et al. Fatores de risco associados ao sobrepeso e a obesidade em mulheres de São Leopoldo. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 9, n. 3, p. 360–373, 2006.

TRICKER, A. R. et al. Mean daily intake of volatile N-nitrosamines from foods and beverages in West Germany in 1989-1990. Food and chemical toxicology : an international journal published for the British Industrial Biological Research Association, v. 29, n. 11, p. 729–32, nov. 1991.

TRICKER, A. R.; PREUSSMANN, R. Carcinogenic N-nitrosamines in the diet: occurrence, formation, mechanisms and carcinogenic potential. Mutation research, v. 259, n. 3–4, p. 277–89, 1991.

SILVEIRA, M. G.G. Prevenção da obesidade e de doenças do adulto na infância. Ed. digital. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA. SIAB – DATASUS. Disponível

em:. Acesso em: 10 maio, 2019.

SYCH, J. et al. Intake of processed meat and association with sociodemographic and lifestyle factors in a representative sample of the Swiss population. Nutrients, v. 11, n. 11, p. 1–17, 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (UFMG). Pesquisa de comportamento da UFMG mostra o que mudou nos hábitos dos brasileiros durante a pandemia. Minas Gerais, 2020. Disponível em : ttps://ufmg.br/comunicacao/assessoria-de-imprensa/release/pesquisa-de-comportamento-da-ufmg-mostra-o-que-mudou-nos-habitos-dos-brasileiros-durante-a-pandemia. Acesso em 19 de outubro de 2020.

VAN DEN BRANDT, P. A. Red meat, processed meat, and other dietary protein sources and risk of overall and cause-specific mortality in The Netherlands Cohort Study.

European Journal of Epidemiology, v. 34, n. 4, p. 351–369, 2019.

ZART, V. B. et al. Cuidados alimentares e fatores associados em Canoas, RS, Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 19, n. 2, p. 143–154, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-096

Refbacks

  • There are currently no refbacks.