Atuação do farmacêutico em ambulatório de oncologia: uma experiência no cuidado ao paciente/ Pharmaceutical performance in oncology ambulatory: an experience in patient care

Denise da Silva Leão, Jakeline Ribeiro Barbosa, Angela Ferreira Lopes, Danillo Rodrigues de Sá Godoi

Abstract


Introdução: O início do tratamento de câncer é um período com muitas dúvidas e medos, dessa forma a oferta de serviço de educação em saúde visa reduzir as dúvidas sobre o tratamento de forma a aprimorar a adesão e segurança do paciente. Objetivo: Relatar a importância dos cuidados do profissional farmacêutico na educação em saúde em ambulatório de oncologia e apresentar as dúvidas dos pacientes quanto à quimioterapia em um projeto de um hospital especializado em oncologia do Centro-Oeste. Metodologia: Esta pesquisa foi desenvolvida através de revisão da literatura de artigos publicados de 2006 a 2018, nas bases de dados PUBMED, LILACS e CAPES utilizando as palavras-chave: farmacêutico, serviços farmacêuticos, quimioterapia, educação em saúde. Resultados: Os resultados demonstraram que a atuação do farmacêutico junto à equipe multiprofissional de saúde, poderá promover a efetividade do tratamento. Conclusão: O desempenho dos farmacêuticos na oncologia traz resultados positivos na terapia medicamentosa.


Keywords


Serviços farmacêuticos, Tratamento Oncológico, Oncologia, Equipe multiprofissional.

References


World Health Organization [WHO]. Programas Nacionais de Controle do Câncer (NCCP). [internet]. 2018. [cited 2020 mar. 18]. Available from:https://www.who.int/infection-prevention/tools/hand-hygiene/5may2013_patient-participation/en/.

Souza M, Santos H, Santos M, Anselmo J, Queiroz N, Souza C et al. Atuação do Farmacêutico Hospitalar na oncologia. Boletim Informativo Geum. 2016;7(1):54-63.

Instituto Nacional do Câncer [INCA]. ABC do Câncer: abordagens básicas para o controle do Câncer. 4.ed. Rev. atual. [internet]. Rio de Janeiro; 2018 111 p [cited 2020 mar. 18]. Available from: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//livro-abc-4-edicao.pdf.

Wakiuchi J, Marcon SS, Sales C. A. Atenção a pacientes oncológicos na Estratégia Saúde da Família: olhar do usuário. Rev. Gaúcha Enferm. 2016;37(1):1-7.

Rudnitzki T, Mcmahon D. Oral agents for cancer: safety challenges and recommendations. Clinical J. Oncol. Nurs. 2015;19(3 Suppl):41-6.

Silva LCA, Brito POL, Melo CD, Falcai A, Pereira ICP. Contribuições da atenção farmacêutica a pacientes em tratamento oncológico. Rev. Inv. Bioméd. 2017;9(2):210–217.

Fang S, Shi W, Kong N, Shields C. A preliminary variable selection based regression anallysis for predicting patient satisfaction on physician-patient cancer prognosis communication. Smart Health, 2014:171-180A.

McCarthy B. Patients' perceptions of how healthcare providers communicate with them and their families following a diagnosis of colorectal cancer and undergoing chemotherapy treatment. European J. Oncol. Nurs. 2014;18(5):452-458.

Romeiro FB, Peuker AC, Bianchini D, Castro EK. Percepcióndel paciente de quimioterapia respecto a La comunicación con el personal sanitario. Psicooncología.2016;13(1):139-50.

Aguiar KS, Santos JM, Cambrussi MC, Picolotto S, Carneiro MB. Segurança do paciente e o valor da intervenção farmacêutica em um hospital oncológico. Einstein. 2018;16(1):1-7.

Calado DS, Tavares DHC, Bezerra GC. O papel da atenção farmacêutica na redução das reações adversas associados ao tratamento de pacientes oncológicos. Rev. Bra. Edu. Saúde.2019;9(3):94-99.

Nogueira TA, Pinho MS, Abreu PA. Atenção farmacêutica a pacientes oncológicos: uma revisão integrativa da literatura. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde. 2016;7(1):33-39.

Goldspiel B, Hoffman J, Griffith N, Goodin S, Montello C, Chase L, Bartel S, Palet T. ASHP guidelines on preventing medication errors with chemotherapy and biotherapy. American J. Health System Pharmacy. 2015;72(8):e6-e35.

Daupin J, Perrin G, Lhermitte-Pastor C, Loustalot M, Pernot S, Savoldelli V et al. Pharmaceutical interventions to improve safety of chemotherapy-treated cancer patients: A cross-sectional study. J. Oncol. Pharm. Practice. 2019;25(5):1195-1203.

Marietto, M. L. Observação Participante e Não Participante: Contextualização Teórica e Sugestão de Roteiro para Aplicação dos Métodos. Rev. Ibero-Americana de Estratégia, v. 17, n. 4, p. 5-18, 2018.

Conde CA, Aquerreta I, Eslava AO, Goñi ZO, Giráldez DJ. Impacto clínico y económico de La incorporación del farmacéutico residente enel equipo asistencial. Farmacia Hospitalaria. 2006;30(5):284-290.

Ramos FM, Arbesú MMA, Sedeño AC, Fernández MSA. Análisis de lãs dosificaciones en los esquemas de citostáticos enelcáncer de mama. Rev. Cubana Farm. 2005;39(2).

Moreira RB, Boechat L. Proposta de Acompanhamento Farmacoterapêutico em Leucemia Mielóide Crônica: Modelo de Abordagem Metodológica. Rev. Bras. Cancerol. 2009;55(4):375-378.

Simons S, Ringsdorf S, Braun M, Mey UJ, Schwindt PF, Ko YD et al. Enhancing adherence to capecitabine chemotherapy by means of multidisciplinary pharmaceutical care. SupportiveCare in Cancer. 2011;19(7):1009-1018.

Liekweg A, Westfeld M, Braun M, Zivanovic O, Schink T, Kuhn W et al. Pharmaceutical care for patients with breast and ovarian cancer. SupportiveCare in Cancer. 2012;20(11):2669-2677.

Eduardo AMLN, Dias JP, Santos PK. Atenção farmacêutica no tratamento oncológico em uma instituição pública de Montes Claros-MG. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde. 2012;3(1):11-4.

Ferreira Neto CJB, Plodek CK, Soares FK, Andrade RA, Teleginski F, Rocha MD. Intervenções farmacêuticas em medicamentos prescritos para administração via sondas enterais em hospital universitário. Rev. Latino-am. Enferm.2016;2696(24):1-9.

Oncoguia Instituto [Internet]. Quimioterapia para Câncer de Mama. 2017. [cited 2020 Abr. 27]. Available from: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/quimioterapia-para-cancer-de-mama/1405/265/




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-046

Refbacks

  • There are currently no refbacks.