Barreiras e facilitadores do trabalho multiprofissional em saúde na Pandemia da COVID-19/ Barriers and facilitating factors of multiprofessional health work in the COVID-19 Pandemic

Brenda Alexia de Lima Theodosio, Lucilene Francisca Ribeiro, Maria Izabel Siqueira de Andrade, Janatar Stella Vasconcelos de Melo Me Mpomo

Abstract


Introdução: No Brasil, o sistema público de saúde vem suprindo, prioritariamente, a grande demanda gerada pela COVID-19. Em virtude disso, os profissionais residentes encontram-se ainda mais inseridos no contexto da pandemia, onde a abordagem de uma equipe multiprofissional na assistência à saúde se faz ainda mais necessária. Objetivo: Identificar as barreiras e facilitadores do trabalho multiprofissional dos residentes em saúde durante a pandemia de COVID-19. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo e transversal, de abordagem quantitativa, realizado de forma on-line, com os residentes que atuaram em um hospital universitário no Nordeste Brasileiro, referência no atendimento aos pacientes com a COVID-19, no período de agosto a novembro de 2020. Foram coletados dados demográficos e utilizou-se um questionário contendo 26 afirmações sobre o trabalho em equipe durante a pandemia. Resultados: Evidenciou-se que existem várias barreiras que podem interferir negativamente no trabalho multiprofissional durante a pandemia de COVID-19, como: Não existir reuniões periódicas e falta de feedback para a equipe, fragilidades no processo de negociação; sobreposição de tarefas e sobrecarga de trabalho; divisão hierárquica da equipe; responsabilização individual de erros; alta hospitalar decidida individualmente; não compreensão da proposta do trabalho em equipe e nível reduzido de satisfação, confiança, entusiasmo, energia e compromisso pessoal.  Em relação aos facilitadores, destaca-se o fato de haver um intercâmbio de informações e conhecimentos entre a equipe. Conclusão: Foram identificados barreiras e facilitadores que interferem diretamente na qualidade do trabalho do residente em saúde. Faz-se necessário mais estudos para investigar se tais condições são frequentes no ambiente de trabalho de residentes em saúde, e se existe a possibilidade de uma potencialização em virtude da situação causada pela pandemia de COVID-19.


Keywords


COVID-19, Equipe Multiprofissional, Profissionais da Saúde.

References


BATISTA, R. E. A.; PEDUZZI, M. Interprofessional Practice in the Emergency Service: specific and shared assignments of nurses. Revista Brasileira de Enfermagem, v.72, n.1, p.213-20, 2019.

BELARMINO, A. C. et al. Práticas colaborativas em equipe de saúde diante da pandemia de COVID-19. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 73, n.2, p. e20200470, 2020.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Assistência Segura: uma reflexão teórica aplicada à prática. Brasília; 2013b.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução - RDC Nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Brasília; 2013a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.809, de 7 de Dezembro de 2012. Estabelece a organização dos Cuidados Prolongados para retaguarda à Rede de Atenção às Urgências e Emergências (RUE) e às demais Redes Temáticas de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília (DF); 2012.

BRBOROVIĆ, H. et al. Antecedents and associations of sickness presenteeism and sickness absenteeism in nurses: A systematic review. International Journal of Nursing Practice, v. 23, n. 6, p. e12598, 2017.

CABRAL, E. R. M. et al. Contribuições e desafios da Atenção Primária à Saúde frente à pandemia de COVID - 19. InterAmerican Journal of Medicine and Health, v.3, p.1-12, 2020.

CAVALCANTI, I. L. et al. Burnout e depressão em residentes de um programa multiprofissional em oncologia: estudo longitudinal prospectivo. Revista Brasileira de Educação Médica, v.42, n.1, p.190-98, 2018.

COLEMAN, E. A.; BOULT, C. American Geriatrics Society Health Care Systems Committee. Improving the quality of transitional care for persons with complex care needs. Journal of the American Geriatrics Society, v.51, n.4, p.556-557, 2003.

CROKER, A. et al. Collaboration: what is it like? − phenomenological interpretation of the experience of collaborating within rehabilitation teams. Journal of Interprofessional Care, v.26, n.1, p.13-20, 2012.

DUGAN, D. Interdisciplinary hospice team processes and multidimensional pain: a qualitative study. J Soc Work End Life Palliat Care, v.8, n.1, p.53-76, 2012.

DUSEK, B. et al. Care transitions a systematic review of best practices. Journal of Nursing Care Quality, v.30, n.3, p.233-9, 2015.

ESPERIDIAO, E.; SAIDEL, M. G. B.; RODRIGUES, J. Saúde mental: foco nos profissionais de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, v.73, n.1, p. e73supl01, 2020.

FELTRIN, F. et al. Impact of stress on the quality of life and health conducts of multiprofessional residents. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 8, n. 3, p. 395-404, 2019.

FERREIRA, R. C.; VARGA, C. R. R.; SILVA, R. F. Trabalho em equipe multiprofissional: a perspectiva dos residentes médicos em saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, v.14, n.1, p.1421-1428, 2009.

HEPP, S. L. et al. Using an interprofessional competency framework to examine collaborative practice. Journal of Interprofessional Care, v.29, n.2, p.131-7, 2014.

HOMRICH, P. H. P. et al. Presenteeism among health care workers: literature review. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 18, n. 1, p. 97-102, 2020.

HUANG, C. et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. The Lancet, v.395, n.10223, p.497-506, 2020.

KARAM, M. et al. Comparing interprofessional and interorganizational collaboration in healthcare: A systematic review of the qualitative research. International Journal of Nursing Studies, v.79, p.70-83, 2018.

KILPATRICK, K. et al. Measuring patient and family perceptions of team processes and outcomes in healthcare teams: questionnaire development and psychometric evaluation. BMC Health Services Research, v.19, n.9, 2019.

MACÊDO, A. T. S. et al. Estresse Laboral em Profissionais da Saúde na Ambiência da Unidade de Terapia Intensiva. Revista de psicologia, v. 12, n. 42, p. 524-47, 2018.

MACHADO, Y. A. F.; STELLFELD, E. L. Médicos residentes: do anonimato ao protagonismo: A pandemia revela a importância dos residentes. Revista de direito médico e da saúde: Doutrina, legislação, jurisprudência, n. 21, p.164, 2020.

MATOS, E.; PIRES, D. E. P.; CAMPOS, G. W. S. Relações de trabalho em equipes interdisciplinares: contribuições para a constituição de novas formas de organização do trabalho em saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 62, n. 6, p. 863-69, 2009.

MEYERS, A.G. et al. Determinants of health after hospital discharge: rationale and design of the Vanderbilt Inpatient Cohort Study (VICS). BMC Health Services Research v.14, n.10, 2014.

NAKAMURA, L. et al. Correlação entre produtividade, depressão, ansiedade, estresse e qualidadede vida em residentes multiprofissionais em saúde. Brazilian Journal of Development, v. 6, n.12, p.96892-905, 2020.

PEDUZZI, M. Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre trabalho e interação. Campinas. 1998. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

PINHO, M.C.G. Trabalho em equipe de saúde: limites e possibilidades de atuação eficaz. Revista Ciência & cognição, v.8, p.68-87, 2006.

PIRES, D. E. P. Organização do trabalho em saúde. In: Leopardi, MT, Organizadora. O processo de trabalho em saúde: organização e subjetividade. Florianópolis: Papa-Livros; 1999.

REBOUÇAS, E. R. N. Residência multiprofissional: contribuições durante a pandemia. Cadernos ESP, v.14, n.1, p.118–23, 2020.

REEVES, S. et al. Interprofessional collaboration and family member involvement in intensive care units: emerging themes from a multi-sited ethnography. Journal of Interprofessional Care, v.29, n.3, p.230-37, 2014.

REMUZZI, A.; REMUZZ, G. COVID-19 and Italy: what next? The Lancet, v.395, p.1225–28, 2020.

ROCHA, J. S. et al. Health and Work of the Multiprofessional Residents. Revista Ciencias de la Salud, v.16, n.3, 2018.

ROCHA, J. S.; CASAROTTO, R. A.; SCHMITT, A. C. B. Health and Work of the Multiprofessional Residents. Revista Ciencias de la Salud, v. 16, n. 3, p. 447-462, 2018.

ROTTA, D. S. et al. Anxiety and depression Levels among multidisciplinar health residents. Rev Rene, v.17, n.3, p.372-7, 2016.

SAMMER, C.E, et al. What is Patient Safety Culture? A review of the literature. Journal of Nursing Scholarship, v.42, n.2, p.156-65, 2010.

SILVA, A. F. et al. Presenteeism in multiprofessional team workers in the Adult Intensive Care Unit. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, p. 96-104, 2019.

SILVA, J. C. et al. Percepção dos residentes sobre sua atuação no programa de residência multiprofissional. Acta Paulista de Enfermagem, v.28, n.2, p.132- 8, 2015.

SILVA, L. B. Residência Multiprofissional em Saúde no Brasil: alguns aspectos da trajetória histórica. Revista Katálysis, v.21, n.1, p.200-209, 2018.

SOUZA, C. S. et al. Cultura de segurança em unidades de terapia intensiva: perspectiva dos profissionais de saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 40, p. e20180294, 2019.

SOUZA, H. A.; BERNARDO, M. H. Prevenção de adoecimento mental relacionado ao trabalho: a práxis de profissionais do Sistema Único de Saúde comprometidos com a saúde do trabalhador. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v.44, n.26, 2019.

THE LANCET. COVID-19: protecting health-care workers. The Lancet, v.395, n.10228, p.922, 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Group Interpersonal Therapy (IPT) for depression. Geneva, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-044

Refbacks

  • There are currently no refbacks.