Políticas de ação afirmativa no Brasil: reflexões históricas / Affirmative action policies in Brazil: historical reflections

Antonio De Assis Cruz Nunes, Caroliny Lima Santos, João Otavio Silva Ferreira, Rosinélia Machado Barbosa, Rosangela Coêlho Costa, Ana Paula Bacelar de Lira, Lucileide Martins Borges Ferreira, Luís Félix De Barros Vieira Rocha

Abstract


O artigo trata sobre o desenvolvimento histórico das políticas de ação afirmativa no Brasil. Dessa forma, primeiramente é feita uma retrospectiva histórica das principais ações afirmativas de modo geral e especificamente para a população negra. Em seguida, na nossa conclusão retomamos alguns dados indicados na primeira parte, e acrescentamos dados novos para articularmos com nossas reflexões sobre a necessidade de o Estado desenvolver políticas de ações afirmativas para a população negra brasileira. O estudo constitui uma investigação pura ou básica, a qual não consiste em dados empíricos. Constituiu-se, apenas por meio de fontes bibliográficas. Assim, utilizamos, principalmente, as seguintes fontes: Barbosa (1999), Guimarães (1999), Nunes (2004), Oliveira (2003), Silva (2002), Skidmore (1999), dentre outras. O estudo concluiu que a população negra é que a detém maior desvantagem no usufruto das benesses da cidadania brasileira.


Keywords


Política. Ação Afirmativa. População Negra.

References


ARRUDA, Marcos. Ongs e o Banco Mundial: é possível colaborar ctiticamente? In: WARDE, Miriam Jorge (Org.). O Banco Mundial e as Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez, 1996. P.15-39.

BRASIL. Constituição Federal de 1988: Revista e Ampliada. São Paulo: Saraiva, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Universidade Para Todos. Disponível em: htpp://portal.mec.gov.br/prouni/. Acesso em 2008.

BRASIL. Síntese de Indicadores Sociais do IBGE. Disponível em: CUNHA, Luís Antonio. Educação e Desenvolvimento Social no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira. Ações afirmativas e universidade. In: Lopes, Alice Ribeiro Casimiro (Org). Cultura e Política de Currículo. Araraqua (SP): Junqueira&Marin Editores, 2006.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Racismo e Anti-racismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 1999.

IANNI, Octávio. Teorias da Globalização. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

NUNES, Antonio de Assis Cruz. A Universidade e as Políticas de Ação Afirmativa ao Ensino Superior: Situando a questão do negro na UFMA. São Luís, 2004. 227f. Dissertação de Mestrado. UFMA, 2004.

OLIVEIRA, Eduardo. H. P de. Além do nada: Estado, Raça e Ação Afirmativa. Disponível em: http://www.intctonet/cidadania/nada.htm. Acesso em: 2003.

PIRES, Cláudia. Lula cria Secretaria para integrações contra racismo. Disponível em: http://br.news.yahoo.com/030321/16/b400.html. acesso em 2003.

PIRES, Cláudia. Lula cria Secretaria para integrações contra racismo. s/l, 2003. Disponível em < http://br.news.yahoo.com/030321/16/b400.html>acesso em: 22 maio

QUEIROZ, Delcele Mascarenhas (Org.). O negro na universidade. Salvador: Novos Toques, 2002.

SILVA, Maria Aparecida da. Ações Afirmativas para o povo negro no Brasil. In: SEYFERTH Giralda (Org.). Racismo no Brasil. São Paulo: ABONG, 2002. P. 105-120

SISS, Ahyas. Afro-Brasileiros, cotas e ação afirmativa: razões históricas. Rio de Janeiro: PENESB, 2003.

SHIROMA, Eneida Otto; MORAIS, Maria Célia M de; EVANGELISTA, Olinda. Política Educacional. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

SKIDMORE, Thomas E. Temas e Metodologias nos estudos das relações raciais brasileiras. Revista CEBRAP, São Paulo, n.60, p.63-76, jul.2001.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. São Paulo: Cortez, 1988.

SILVÉRIO, Valter Roberto. Sons negros com ruídos brancos. In: SEYFERTH, Giralda (Org.). Racismo no Brasil. São Paulo: ABONG, 2002, p.89-103.

SOARES, Maria Clara Couto. Banco Mundial: políticas e reformas. In: WARDE, Miriam Jorge (Org.). O Banco Mundial e as Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez, 1996. p.15-39.

VALENTE, Ana Lúcia. Os negros, a educação e as políticas de ação afirmativa. Revista Brasileira de Educação, s/l, n.19, p.76-86, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-031

Refbacks

  • There are currently no refbacks.