Reflexões sobre Incubação em Economia Solidária e o papel das universidades: um estudo na região do Cariri Cearense, Nordeste do Brasil / Reflections on Solidarity Economy Incubation and the role of universities: a study in the Cariri region of Ceará, Northeast Brazil

Victoria Régia Arrais de Paiva, Gil Célio de Castro Cardoso, Suely Salgueiro Chacon, Eduardo Vivian da Cunha

Abstract


Esse artigo traz reflexões resultantes do trabalho de pesquisa sobre as incubadoras de empreendimentos solidários no Ceará, com foco especial para o papel das universidades no incentivo a essas atividades. O objetivo foi identificar as suas especificidades teórico-metodológicas, avaliando os impactos das ações efetivadas à luz da recomposição de suas respectivas trajetórias. As reflexões aqui compartilhadas resultam de pesquisa para estágio pós-doutoral e o percurso metodológico iniciou em 2019, pela Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares e Solidários (Iteps), da Universidade Federal do Cariri (UFCA), que é aqui focalizada. A incubação em Economia Solidária guarda uma singularidade, pois atua na assessoria aos empreendimentos solidários com vistas à geração de renda a partir dos princípios da autogestão, adotando os princípios da educação popular de inspiração freireana. Com base nesses pressupostos, inscrevem-se as seguintes questões: Quais as características dos processos de incubação realizados pela Iteps/UFCA? De que forma a incubação em economia solidária colabora com o desenvolvimento dos grupos/empreendimentos incubados? Que tipo de impactos são gerados? Para refletir sobre tais questionamentos, foi constituída uma pesquisa participante, consubstanciada num estudo de caso, de caráter qualitativo e descritivo, empregando as técnicas de análise de documentos, revisão bibliográfica e entrevistas semiestruturadas com a equipe de coordenação da Iteps. Tais dados foram analisados mediante referencial latino-americano de sistematização de experiências. Os resultados indicam que os processos de incubação adotam os princípios da horizontalidade nas relações entre os participantes, bem como a dialogicidade entre os saberes acadêmico e popular. Assim, é possível inferir que a incubação realizada nesses moldes, em que pesem os limites verificados, impulsiona mudanças nos modos de agir dos sujeitos envolvidos, estimulando a sustentabilidade dos empreendimentos e da própria incubadora, sendo esta entendida em sua multidimensionalidade.


Keywords


Incubação, Economia Solidária, Educação Popular, Trajetória, Sustentabilidade.

References


ACOSTA, Alberto. O Bem viver. Uma oportunidade para imaginar outros mundos possíveis. São Paulo: Editora Elefante e Editora Autonomia Literária, 2016.

ARCOVERDE, ACB e ALBUQUERQUE, CMP. Avaliação de impactos como modalidade de pesquisa qualitativa e problema de investigação: reflexões e resultados. V Congresso Ibero-americano em Investigação Qualitativa. Anais... Porto, Portugal, entre 12 e 14 de julho, 2016. Disponível em: Acesso em 22.jul.2019.

BRANDÃO, C. Repensando a pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1999.

FRANÇA FILHO, GC e CUNHA, EV. Incubadoras de Redes de Economia Solidária. In: CATTANI et al. (Orgs.). Dicionário Internacional da Outra Economia. Coimbra: Almedina, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GUSSI, AF. Apontamentos teórico-metodológicos para avaliação de programas de microcrédito. Aval – Revista de Avaliação de Políticas Públicas. UFC, Nº1, 2008, p. 29-37.

HOLLIDAY, Oscar Jara. La sistematización de experiências, práctica y teoria para otros mundos possibles. San José. Centro de Estudios y Publicaciones Alforja, CEAAL Itermon Oxfam, 2014.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina; 2006.

ROCHE, Chris. Avaliação de impactos do Trabalho das ONG’S: Aprendendo a valorizar as mudanças. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 2003.

SANTOS, AM e CRUZ, CM. Incubadoras tecnológicas de cooperativas populares: interdisciplinariedade articulando ensino, pesquisa e extensão universitária. E-cadernos CES [Online], 02 | 2008, Online since 01 December 2008, connection on 27 July 2019. Disponível pelo: < http://journals.openedition.org/eces/1354> Acesso em 19.jul.2019.

SOUSA SANTOS, Boaventura (Org.). Produzir para viver. Os caminhos da produção não capitalista (Volume 2). Rio de Janeiro, Civilização. Brasileira, 2002.

SINGER, Paul. Introdução à Economia Solidária. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-013

Refbacks

  • There are currently no refbacks.