Fé, consumo e gênero: reflexões sobre os discursos de vlogueiras gospel / Faith, consumption and gender: reflections on the discourses of female gospel vloggers

Hortência Cruz de Albuquerque, Beatriz Yolanda Pontes de Gusmão Sá, Bruna Beatriz Coelho Soares, Laura Susana Duque Arrazola, Maria Alice Vasconcelos Rocha, Polyanny Lílian do Amaral Braz, Sandro Soares Ramos de Freitas

Abstract


Dentre todas as fases de desenvolvimento da humanidade, a Sociedade de Consumo parece ser a mais contraditória a se analisar. Suas várias expressões são reveladoras do lugar que ocupamos hoje na história: o das contradições (pós)modernas. O paradigma posto não está muito distante do relacionamento contraditório, mas não necessariamente conflituoso, que mulheres cristãs protestantes têm ao unir preceitos da Sociedade de Consumo à moral cristã. Neste intuito, o presente artigo é um desdobramento de provocações suscitadas a partir da dissertação de mestrado (pelo Programa de Pós-Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social/UFRPE) intitulada O significado do consumo de moda-vestuário gospel para mulheres pentecostais, e tem como objetivo refletir sobre a estética dos discursos de vlogueiras gospel sobre o ser mulher, o consumo e papeis sociais dos gêneros. De caráter qualitativo, recorremos à netnografia como aporte metodológico para obtenção de dados e à análise de discurso para sistematização e interpretação destes elementos. Os resultados apontam para mudanças do ethos da mulher cristã protestante, atrelando à construção social da mulher o consumo de moda embebido pela lógica sagrado e profano, além de difusão de uma estética da fé, dentro desta cultura de consumo que permite a formulação de identidades múltiplas, aparentemente contraditórias, mas complementares entre si.


Keywords


Consumo, Evangélicas, Fé, Gênero

References


BOURDIEU, Pierre. A Economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva 2007

CAMPOS, Leonildo Silveira. As origens norteamericanas do pentecostalismo brasileiro: observações sobre uma relação ainda pouco avaliada. REVISTA USP, São Paulo. 2005.n.67, p. 100-115.

COSTA, Albertina de Oliveira. Rotinas da Mulher. In.: AVILA, Maria Betânia; FERREIRA, Verônica. Trabalho remunerado e Trabalho doméstico no cotidiano das mulheres. Recife: SOS CORPO, 2014.

CUNHA, Magali do Nascimento. “VINHO NOVO EM ODRES VELHOS”: Um olhar comunicacional dobre a explosão do gospel no cenário religioso evangélico do Brasil. Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2004. p. 118-123.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos Bens: para uma antropologia do consumo. Ed. 2ª. Rio de Janeiro: UFRJ, 2013.

GARCIA-CANCLINI, Néstor. "O Consumo Serve Para Pensar" In: Consumidores e Cidadãos: conflitos multiculturais da globalização.3ª Ed. Rio de Janeiro: Ed UFRJ, 1997. p. 51-70.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pósmodernidade. 11 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006. Hine, C. Etnografia virtual. Colección nuevas Tecnologias y Sociedad. Barcelona, Editorial UOC, 2004.

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

MCCRACKEN, G. Cultura & Consumo: novas abordagens ao caráter simbólico dos bens e das atividades de consumo. Rio de Janeiro: MAUAD, 2003.

OLIVEIRA, Ivan. Consumidores da fé. São Paulo: Reflexão, 2015 p.38-41.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso: princípios & procedimentos. 8ª Ed. Campinas: Pontes, 2009. 100p.

ROCHA, Everardo. Totem e consumo: um estudo antropológico de anúncios publicitários. ALCEU. 2000. v.1. n.1. p. 18- 37.

WEBER, Max. A Ética protestante e o espírito do capitalismo. Ed. 2ª. São Paulo: Cengage Learning [2002] 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-009

Refbacks

  • There are currently no refbacks.