Estudo sobre inovações relacionadas ao Cumbaru no Pantanal Sul / Study on innovations related to Cumbaru in Southern Pantanal

Valdomiro Nunes de Oliveira Júnior, Daniela Althoff Philippi

Abstract


Ao longo dos anos, a inovação revela-se cada vez mais importante na qualidade de vida das pessoas, no progresso econômico, na preservação e continuidade do meio ambiente e no desenvolvimento social. A inovação consiste em fazer algo novo ou significativamente melhorado e vem sendo entendida como objeto central na gestão das organizações e mecanismo de competitividade. Há classificações da inovação que facilitam a sua compreensão e aplicação, incluindo a inovação sustentável. Em Mato Grosso do Sul existem pequenas organizações que têm promovido a geração de renda para seus integrantes por meio da extração, produção e inovações a partir do cumbaru, um fruto nativo de cerrado e abundante nas regiões do Pantanal Sul. O presente estudo objetivou classificar as inovações relacionadas ao cumbaru em organizações sul pantaneiras de Anastácio e Miranda – MS. Com a metodologia estudo de casos múltiplos –  relativos a grupos extrativistas do Cumbaru de dois assentamentos de Anastácio-MS e de Instituto de Miranda – MS, os dados foram coletados por meio de entrevistas em profundidade e observação não participante e foram analisados qualitativamente, buscando relações com a teoria. Como resultados, identificaram-se diversas inovações associadas ao cumbaru, classificadas em incrementais, organizacionais, dentre outras, como a inovação aberta. Ainda, foram evidenciadas características sustentáveis nas inovações. Constatou-se que as inovações agregam valor às organizações. Finaliza-se o artigo com sugestões às organizações estudadas e para futuras pesquisas.


Keywords


Extrativismo. Inovação. Desenvolvimento Sustentável.

References


AUDY, Jorge. A inovação, o desenvolvimento e o papel da Universidade. Estudos avançados, São Paulo, v. 31, n. 90, p. 75-87, 2017.

BARBIERI, José Carlos et al. Inovação e sustentabilidade: novos modelos e proposições. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 50, n. 2, p. 146-154, 2010.

BERTUCCI, Janete Lara de Oliveira. Metodologia básica para elaboração de trabalhos de conclusão de cursos (TCC): ênfase na elaboração de TCC de pós-graduação. São Paulo: Atlas, 2015.

CERETTA, Gilberto Francisco; REIS, Dálcio Roberto dos; ROCHA, Adilson Carlos da. Inovação e modelos de negócio: um estudo bibliométrico da produção científica na base Web of Science. Gestão & Produção, São Carlos, v. 23, n. 2, p. 433-444, 2016.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de Pesquisa em Administração. Porto Alegre: AMGH Editora Ltda, 2016.

DA SILVA, Fabiane Padilha. Inovações tecnológicas. Porto Alegre: SAGAH, 2018

DA SILVA, Hevellen Dayse; PHILIPPI, Daniela Althoff. Características sustentáveis da inovação da castanha de cumbaru da Associação de Mulheres Agricultoras do Assentamento Monjolinho (AMAM) em Anastácio-MS. Anais XXII Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais. SIMPOI 2018 FGV, EAESP: São Paulo, 2018.

ECOA. Centro de Produção, Pesquisa e Capacitação do Cerrado. Campo Grande, 2020. Disponível em: Acesso em 21 nov 2020.

FALCÃO, Oskela Karla Reis; PHILIPPI, Daniela Althoff; PORTO, Bruno Matos. Inovação e Sustentabilidade: O caso da castanha de cumbaru do Assentamento Andalucia em Mato grosso do Sul. Anais do encontro Internacional sobre Gestão Ambiental e Meio Ambiente (XXI ENGEMA). USP: São Paulo, 2019.

FILATRO, Andrea. Design instrucional 4.0. São Paulo: Saraiva Educação SA, 2019.

GONÇALVES, Rafael; DE CASTRO, Alessandro de Castro; CATAPAM, Anderson; CATAPAM, Dariane Cristina. Uma discussão da sustentabilidade e inovação como variáveis para o crescimento e desenvolvimento econômico sustentável. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 12, n. 1, p. 16-27, 2016.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

MARIETTO, Marcio Luiz. Observação participante e não participante: Contextualização Teórica e sugestão de roteiro para aplicação dos. Revista Ibero-Americana de Estratégia (RIAE), v. 17, n. 4. São Paulo, 2018.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOREIRA, D. A. Pesquisa em Administração: Origens, uso e variantes do método fenomenológico. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 1, n. 1, 2004.

OCDE. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3 ed. Tradução: Flávia Gouveia. Uma publicação conjunta de OCDE e Eurostat/Financiadora de Estudos e Projetos, 2005.

PEREIRA, João Victor Inácio. Sustentabilidade: diferentes perspectivas, um objetivo comum. Economia Global e Gestão, Lisboa, v. 14, n. 1, p. 115-126, 2009.

PINSKY, Vanessa; KRUGLIANSKAS, Isak. Inovação tecnológica para a sustentabilidade: aprendizados de sucessos e fracassos. Estudos avançados, São Paulo, v. 31, n. 90, p. 107-126, 2017.

PINSKY, Vanessa Cuzziol et al. Inovação sustentável: uma perspectiva comparada da literatura internacional e nacional. RAI Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 12, n. 3, p. 226-250, 2015.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Gestão da inovação. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TIGRE, Paulo Bastos. Gestão da inovação uma abordagem estratégica, organizacional e de gestão de conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2019.

SCHERER, Felipe Ost; CARLOMAGNO, Maximiliano Selistre. Gestão da inovação na prática: como aplicar conceitos e ferramentas para alavancar a inovação. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2016.

YIN, Roberto K. Estudos de casos: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

WALLIMAN, Nicholas. Métodos de pesquisa. São Paulo: Saraiva 2014.

VARELLA, Sergio Ramalho Dantas; MEDEIROS, Jefferson BS de; SILVA JUNIOR, Mauro Tomaz. O desenvolvimento da teoria da inovação Schumpeteriana. XXXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção (ENEGEP), ABEPRO: Bento Gonçalves, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-001

Refbacks

  • There are currently no refbacks.