Reflexões sobre o consumo de artesanato na internet / Reflections about consumption of handicrafts on the internet

Nicole Rochele Cardoso Brancher

Abstract


O meio digital vem alterando significativamente a maneira como as pessoas interagem e, por consequência, suas relações de consumo. Neste cenário, marcado pela nova economia digital, até mesmo o consumo de itens mais tradicionais claramente vem ganhando ressignificações. O presente trabalho pretende explorar características, particularidades e tendências assumidas pelo artesanato, enquanto produto e atividade de consumo, na rede. Dentre as reflexões alcançadas, constatou-se que o atual comportamento do consumidor, mais individualista, e a fácil promoção de itens de nicho proporcionadas pela web tem garantido novas roupagens e funções sociais à tradicional atividade e ao produto artesanal.


Keywords


Artesanato. Comportamento do Consumidor. Bens de Nicho. Internet. Redes Sociais.

References


ANDERSON, Chris. A cauda longa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

BARROSO, E. N. Curso design, identidade cultural e artesanato. Fortaleza: SEBRAE/ FIEC, 2002.

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70 Editora, 2003

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. São Paulo: Jorge Zahar, 2001.

BIANCA SCHULTZ. Disponível em: . Acesso em: 28 de mai. de 2018.

CAMPBELL, Colin. A ética romântica e o espírito do consumismo moderno. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

________________Eu compro, logo sei que existo: as bases metafísicas do consumo moderno. Cultura, consumo e identidade. Rio de Janeiro: FGV, p. 47-64, 2006.

CANCLINI, Nestor Garcia. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1983.

CLUBE DO BORDADO. Disponível em: . Acesso em: 01 de jun. 2018.

D’ÁVILA, José Silveira. “O artesão tradicional e seu papel na sociedade contemporânea”. In: RIBEIRO, Berta et al (org.). O artesão tradicional e seu papel na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Funarte, 1983.

DIGBY, Simon. Export industries and handicraft production under the Sultans of Kashmir. The Indian Economic & Social History Review, v. 44, n. 4, p. 407-423, 2007.

DINIZ, Marcelo Bentes; DINIZ, Márcia Jucá Teixeira. Arranjo produtivo do artesanato na Região Metropolitana de Belém: uma caracterização empírica. Novos cadernos NAEA, v. 10, n. 2, 2009.

DUMONT, Louis. Homo hierarchicus. Paris: Gallimard, 1972.

LAMPEN, A. Handcraft in Europe.From the late Middle Ages to the early modern period. Zeitschrift Fur Historische Forschung, no 4, pp. 595-598, 2001.

LEITE, Rogério Proença. Modos de vida e produção artesanal: entre preservar e consumir. São Paulo: Central Artesol, 2005.

LIMA, Ricardo Gomes. Artesanato e arte popular: duas faces de uma mesma moeda. Disponível em: . Acesso em: 21 de abr de 2018.

PEREIRA, C. J. C. Artesanato: definições, evolução e ação do Ministério do Trabalho; o programa nacional de desenvolvimento do artesanato. Brasília: MTB, 1979.

ARTESANATO contribui com desenvolvimento do turismo no país. Governo do Brasil, 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 de mar. de 2018.

SÂNDALO E CEDRO. Disponível em: . Acesso em: 01 de jun. de 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n3-581

Refbacks

  • There are currently no refbacks.