Fatores de qualidade de vida no trabalho dos docentes de instituições federais das regiões sudeste, centro-oeste e Distrito Federal / Quality of life factors in the work of teachers from federal institutions in the southeast, central-west and Federal District

Ana Alice Vilas Boas, Danuza Adriane Faria, Ana Alice de Sousa Pires, Estelle M. Morin

Abstract


Nota-se que as pessoas veem priorizando a cada dia mais a qualidade de vida em seu local de trabalho, e que por vez existem indicadores e fatores que ajudam a avaliar o ambiente de trabalho e as pessoas que nele atuam. No presente artigo abordaremos os fatores relacionados à Qualidade de Vida no Trabalho (QVT), sendo eles: finalidade do trabalho, autonomia e oportunidades de desenvolvimento, retidão moral, relacionamento com os colegas e superiores, reconhecimento, segurança no trabalho, carga física, carga mental e carga emocional. Foi realizada a coleta de dados através de um questionário composto de escalas para identificar os referidos fatores, que foi enviado via Survey Monkey aos professores universitários de dez instituições federais ensino superior das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Distrito Federal. Depois de baixados, os dados foram analisados através do software SPSS versão 21. Após a análise percebe-se que existem correlações significativas entre os fatores de QVT e que foram encontradas diferenças significativas de médias para a percepção de docentes do sexo masculino e feminino com relação a carga física, mental e emocional de trabalho. Em suma, podemos dizer que os resultados encontrados nessa amostra de docentes das universidade federais do Brasil oferecem informações consistentes com o Modelo Sistêmico de QVT e que as formas de organização do trabalho oferecem subsídios para identificar e analisar os fatores de QVT.


Keywords


QVT; Docentes; Organização do trabalho

References


AMORIM, T. N. G. F. Qualidade de vida no trabalho: preocupação também para servidores públicos? Revista Eletrônica de Ciência Administrativa-RECADM, Campo Largo, v. 9, n. 1, p. 35-48, 2010.

CATANO, V.; FRANCIS, L.; HAINES, T.; KIRPALANI, H.; SHANNON, H.; STRINGER, B.; LOZANZKI, L.. Occupational Stress in Canadian Universities: a national survey. International Journal of Stress Management. 17(3): 232-258. 2010.

CHENG, G. H. L.; CHAN, D. K. S. Who suffers more from job insecurity? A meta-analytic review. Applied Psychology, v. 57, n. 2, p. 272-303, 2008.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 14ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

DAVIS, Keith; NEWSTROM, John W. Comportamento Humano no Trabalho. Vol. 1 – São Paulo. Pioneira, 1992.

DRUCK, G.. Trabalho, precarização e resistências: novos e velhos desafios? Caderno CRH, v. 24, n. spe 1, p. 37-57, 2011.

FARIA, D. A ; VILAS BOAS, A. A. ; PIRES, A. A. de S. ; MORIN, E. M. . Fatores de Qualidade de Vida no Trabalho dos Docentes de Instituições Federais de Ensino Superior do Brasil. In: X Congresso de Administração, Sociedade e Inovação, 2017, Petrópolis. Anais do X CASI. Volta Redonda: UFF, 2017. v. 1. p. 1-12.

FARIA, D. A., VILAS BOAS, A. A.; PIRES, A. A. de S.. Fatores de Qualidade de Vida no Trabalho dos Docentes de Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais. In: IV Congresso Lusófono em Comportamento Organizacional e Gestão, 2017, São Paulo. Anais do IV Congresso Lusófono em Comportamento Organizacional e Gestão. São Paulo: Universidade Mackenzie, 2017a. v. 1. p. 1-17.

FERNANDES, E. C.; Qualidade de Vida no Trabalho: como medir para melhorar. Salvador: Casa da Qualidade, 1996.

FREITAS, A. L. P.; SOUZA, R. G. B. de. Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão. v.4, n.2, p.136-154, maio a agosto de 2009. Disponível em: . Acesso em 30 abril de 2016.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GILLESPIE, N. A.; WALSH, M.; WINEFIELDS, A. H.; DUA, J. & STOUGH C. Occupational Stress in Universities: staff perceptions of the causes, consequences and moderators of stress. Work & Stress. 15(1): 53-72, 2001.

GRECH, M. R.; NEAL, A.; YEO, G.; HUMPHREYS, M.; SMITH, S. (2009). An Examination of the Relationship between Workload and Fatigue within and Across Consecutive Days of Work: Is the Relationship Static or Dynamic? Journal of Occupational Health Psychology. 14(3): 231–242.

GROPHER, D. & DONCHIN, E. (1986). Workload: An examination of the concept. In: K. Boff, L. Kaufman & J. P. Thomas (Eds). Handbook of Perception and Human Performance. Wiley, New York. 41: 1-27.

HAIR JR, J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAN, R. L.; BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. 5 ed. Porto Alegre: Bookman. 2005.

KETCHUM, L. D.; TRIST, E. All teams are not created equal: how employee empowerment really works. Newbury Park: Sage, 1992. 328 p.

KINMAN, G. & JONES, F. A. (2008). Life Beyond Work? Job Demands, Work-Life Balance, and Wellbeing in UK Academics. Journal of Human Behavior in the Social Environment, Vol. 17(1/2): 41-60. Doi: 10.1080/l0911350802165478

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Qualidade de vida no trabalho – QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade, pós-industrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

LORI, F.; BARLING, J. Organizational Injustice and Psychological Strain. Canadian Journal of Behavioral Science, v. 37, n. 54, p. 250-261, 2005.

MACÊDO, K. B. O trabalho de quem faz arte e diverte os outros. Goiânia: Editora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2010.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MATTHEWS, G.; CAMPBELL, S. E.; FALCONER, S.; JOYNER, L. A.; HUGGINS, J.; GILLILAND, K. (2002). Fundamental dimensions of subjective state in performance settings: Task engagement, distress and worry. Emotion. 2, 315–340.

MENDONÇA, C. H. de. Qualidade de Vida no Trabalho para Professores de Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais. 2016. Dissertação (Mestrado em Administração - PPGA) Universidade Federal de Lavras – UFLA.

MENDONÇA, C. H. de; VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Qualidade de Vida no Trabalho de Professores da Rede Estadual de Educação de Minas Gerais. In: Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, 2016, Costa do Sauípe - BA. Anais do XL EnANPAD, 2016.

MENEZES, L.M.; NEPOMUCENO, L.H.; SANTOS, A.C. B. dos. Os Sentidos do Trabalho para um Grupo de Professores de uma Universidade Pública: A Dialética Prazer- Sofrimento em Tempos de Flexibilidade. Anais EnANPAD. 2011.

MEYER, J. P. & ALLEN, N. J. (1984). Testing the "Side-Bet Theory" of Organizational Commitment: some methodological considerations. Journal of Applied Psychology, 69(3), 372-378.

MEYER, J. P., & ALLEN, N. J. A three-component conceptualization of organizational commitment. Human Resource Management Review, 1(1), 61-89, 1991.

MINAYO, M.C. de S. Importância da Avaliação Qualitativa combinada com outras Modalidades de Avaliação. Saúde & Transformação Social, Florianópolis, v.1, n.3, p.02-11, 2011.

MORIN, E. M. The meaning of work, mental health and organizational commitment. Studies and Research Projects, Report R-585, HEC - CA (avec collaboration of Francisco Aranha, FGV-EAESP), 65 p. 2008.

MORIN, E. M.; DASSA, C. Characteristics of a meaningful work: Construction and validation of a scale. HEC Montréal/Université de Montréal, Montréal, QC, Canada, 2004.

MORIN, E.; TONELLI, M. J.; PLIOPAS, A. L.V. O trabalho e seus sentidos. Anais... Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-graduação em Administração, Atibaia. Atibaia: ANPAD, 2003.

NADLER, D; & LAWER, E. Quality of work life: perspectives and directions. Organization Dynamics, v.1, n.11, 1983, p. 20-30.

PIZZOLATO, B. P.; MOURA, G. L.; SILVA, A. H. Qualidade de Vida no Trabalho: uma discussão sobre os modelos Teóricos. Contribuciones a la Economía. Abr. 2013.

PAULA, A. V. de. (2015). Qualidade de vida no trabalho de professores de instituições federais de ensino superior: um estudo em duas universidades brasileiras. Universidade Federal de Lavras, Tese de Doutorado, PPGA, Lavras.

PAULA, A. V. de; VILAS BOAS, A. A.; CAMARGO, G. C.; SANTOS, A. P.; COSTA, Â. C. N.; BERTAO, A. R. Uma Análise Sobre a Precarização do Trabalho Docente no Magistério Superior de Instituições Federais Brasileiras. In: 16º Congresso de Stress da International Stress Management Association no Brasil (ISMA BR) & 18º Fórum Internacional de Qualidade de Vida no Trabalho, 2016, Porto Alegre - RS. Anais... Porto Alegre - RS: International Stress Management Association no Brasil (ISMA BR), 2016. p. 01-28.

PIRES, A. A. de S.; VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. ; TAVEIRA, A. M. ; FARIA, D. A. Indicadores de Qualidade de Vida no Trabalho de Docentes de Instituições Federais de Ensino Superior das regiões Sudeste, Centro Oeste e Distrito Federal. In: International Conference on Stress Management - ISMA Brasil, 2017, Porto Alegre. Anais do ISMA Brasil 2017. Porto Alegre: ISMA Brasil, 2017. v. 1. p. 1-25.

PIRES, A. A. de S. ; VILAS BOAS, A. A. ; FARIA, D. A ; MORIN, E. M. . Indicadores de Qualidade de Vida no Trabalho de Docentes de Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais. In: X Congresso de Administração, Sociedade e Inovação, 2017, Petrópolis. Anais do X CASI. Volta Redonda: UFF, 2017a. v. 1. p. 1-14.

ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. 11. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

RODRIGUES, M. V. C. Qualidade de vida no trabalho: evolução e análise no nível gerencial. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

SAMPAIO, J. R. Qualidade de Vida, Saúde Mental e Psicologia Social: estudos contemporâneos II 1999.

SILVA, N.; TOLFO, S. da R. Trabalho Significativo e Felicidade Humana: Explorando Aproximações. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 12(3), set-dez 2012, p.2.

SVERKE, M.; HELLGREN, J.; NÄSWALL, K. No security: A meta-analysis and review of job insecurity and its consequences. Journal of Occupational Health Psychology, v. 7, n. 3, p. 242–264, 2002.

VIDULICH, M. A. & TSANG, P. S. (1986). Techniques of subjective workload assessment: a comparison of SWAT and the NASA-Bipolar methods. Ergonomics. 29: 1385-1398.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Qualidade de vida no trabalho: um modelo sistêmico de análise. Revista Administração em Diálogo – RAD. Vol.19, n.2, Mai/Jun/Jul/Ago 2017, p.62-90.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Indicadores de qualidade de vida no trabalho para professores de instituições públicas de ensino superior: uma comparação entre Brasil e Canadá. Revista Contextus, Ceará, v. 14, n. 2, p. 1-29, abr./jun. 2016.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Sentido do trabalho e fatores de qualidade de vida no trabalho: a percepção de professores brasileiros e canadenses. Revista Alcance, Itajaí, v. 23, n. 3, p. 272-292, jul./set. 2016a.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Qualidade de Vida no Trabalho: um modelo sistêmico de análise. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (EnGPR), V, 2015, Salvador, BA, Brasil. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, pp. 01-18, 2015.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Sentido do Trabalho e Fatores de Qualidade de Vida no Trabalho para Professores de Universidades Públicas do Brasil e do Canadá. In: XXXVIII Encontro Nacional da ANPAD (ENANPAD). Rio de Janeiro - RJ, Anais ..., 2014, p.4.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. Fatores de qualidade de vida no trabalho em universidades públicas: uma comparação entre Brasil e Canadá. In: Congresso de stress da internacional stress management association, 14.; Fórum de qualidade de vida no trabalho,16., 2014, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Isma-br, 2014a. p. 1563-1584.

VILAS BOAS, A. A.; MORIN, E. M. La Qualité de Vie au Travail des professeurs des établissements publics d'enseignement supérieur: une comparaison entre le Brésil et le Canada. Rapport de Recherche de post-doctorale, HEC, Montreal, Canadá, 2014b. 119 p.

VIRTANEN, P.; VAHTERA, J.; NAKARI, R.; PENTII, J.; KIVIMAÄKI, M. (2004). Economy and job contract as contexts of sickness absence practices: Revisiting locality and habitus. Social Science & Medicine, 58(1), 1219-1229.

WALTON, R. Quality of working life: what is it? Slow Management Review. USA, v.15, n.1, p. 11-21, 1973.

WINEFIELD, A. H.; GILLESPIE. N.; SLOUGH, C.; DUA. J.; HAPUARACHCHI, J.; BOYD, C.. Occupational stress in Australian University Staff. International Journal of Stress Management. 10: 51-63. 2003.

WORTMAN, C.; BIERNAT, M.; LANG. E. (1991). Coping with role overload. In M. Frankenhaeuser. U. Lundberg & M. Chesney (Eds.) Women. Work and Health: Stress and Opportunities, London: Plenum.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

ZOHAR, D.; TZISCHINSKI, R.; EPSTEIN, R. (2003). Effects of energy availability on immediate and delayed emotional reactions to work events. Journal of Applied Psychology. 88: 1082-1093.

ZUIN, A. A. S.; BIANCHETTI, L.. O produtivismo na era do "publique, apareça ou pereça": um equilíbrio difícil e necessário. Caderno de Pesquisa, v. 45, n. 158, p. 726-750, 2015. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/198053143294.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n5-267

Refbacks

  • There are currently no refbacks.