Organização para inovação nas empresas: proposta de modelo integrando estratégia e estrutura organizacional - estudo de caso em uma empresa de borracha / Organization for innovation in companies: model proposal integrating strategy and organizational structure - case study at a rubber company

Marcos de Oliveira Morais, Antônio Sérgio Brejão, Jair Gustavo de Mello Torres, Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto

Abstract


O presente artigo tem por objetivo propor um modelo teórico para a obtenção da inovação nas organizações por meio de ferramentas gerenciais como estratégia organizacional e estrutura organizacional, possibilitando que a empresa possa adquirir vantagens competitivas frente a um mercado cada vez mais agressivo. As metodologias aplicadas foram as de estudo de caso, exploratória e qualitativa. Os dados foram coletados entre março de 2018 e maio de 2018, por meio de entrevistas. Além da síntese conceitual do presente trabalho também buscou-se estabelecer um referencial teórico que possa ser utilizado em futuras pesquisas bem como em futuras discussões sobre o presente tema. Em meio das as considerações finais identificaram-se que, se bem integradas, estratégia e estrutura proporcionam ganhos pessoais e organizacionais, permitindo uma maior visibilidade da organização no ramo em que atua, possibilitando também prospectar novos mercados.

 


Keywords


Inovação. Desenvolvimento organizacional. Vantagem Competitiva. Ferramentas de gestão.

References


ANAND, J., ORIANI, R., & VASSOLO, R. S. Alliance activity as a dynamics capability in the face of a discontinuous technological change. Organization Science, 21(6), 2010.

ANDREWS, K. R. O conceito de estratégia empresarial. In: Mintzberg, H.; Quinn, J. B. O processo da estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001, p. 58-64.

ANTONELLO, C. S. Contextos do saber: a aprendizagem informal. In: Antonello, C. S. et al. Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman, 2001, p. 139-159.

CENTURIÓN, W.; PAIVA JÚNIOR, F.; CORREIA NETO, J.; LUCENA, R. O processo de inovação tecnológica de empresas fornecedoras associadas à rede Petrogas/SE. Revista de Administração e Inovação, v. 12, n. 1, p. 24-51, 2015.

CHIAVENATO, I. e SAPIRO, A. Planejamento Estratégico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

COSTA NETO, P. L. O. e CANUTO, S. A. – Administração com Qualidade. São Paulo: Blucher, 2010.

DE OLIVEIRA, Z. Fatores influentes no desenvolvimento do potencial criativo. Estudos de Psicologia, v. 27, n. 1, p. 83-92, 2010.

DRUCKER, Peter F. melhor de Peter Drucker: a administração, O–Exame. NBL Editora, 2001.

FERREIRA, V. L.; SALERNO, M. S.; LOURENÇÃO, P.T.M. (2011). As estratratégias na relação com fornecedores: o caso Embraer. In: Gestão & Produção, v. 18, n.2, p.221-236.

FISCHMANN, A. A.; ALMEIDA, M. I. R. Planejamento estratégico na prática. São Paulo: Atlas, 1991.

GRUNERT, K.; TRAILL, B. Products and Process Innovation in the Food Industry. Springer Science & Business Media, 2012.

KICH, J.; PEREIRA, M. F. A influência da liderança, cultura, estrutura e comunicação organizacional no processo de implantação do planejamento estratégico. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 4, artigo 6, p. 1.045–65, , 2011.

MAXIMIANO, A. C. Introdução à administração. 5. Ed. Revista Ampliada. São Paulo: Atlas, 2011.

MIGUEL, P. A. C. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

MINTZBERG, H., & QUINN, J. B. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MINTZBERG, Henry. Moldando a Estratégia. Cap. 5. (IN) MINTZBERG, H.; QUINN, B. J.; LAMPEL, J.; GHOSHAL, S. O Processo da Estratégia - Conceitos, Contextos e Casos Selecionados, 4ª edição. Porto Alegre: Bookman, 2011.

MONTANA, Patrick J.; CHARNOV, Bruce H. Administração. 2. ed. São Paulo: saraiva, 2003.

MORAIS, M. O; BREJÃO, A. S; FERIGATTO, E. A; COSTA NETO, P. L. O. Inovação e Conhecimento como Ferramentas Estratégicas nas Organizações: Estudo de Casos Múltiplos. Rev. FSA, Teresina, v.15, n.4, art. 9, p. 169-191, jul./ago. 2018.

MOREIRA, M. F., & VARGAS, E. R. Quando o governo é o mercado: compras governamentais e inovação em serviços de software. Revista de Administração e Inovação, 9(2), 2012, 175-197.

MORRIS, M.; KURATKO, D.; COVIN, J. Corporate entrepreneurship & innovation. Cengage Learning, 2010.

OECD - Organização para cooperação econômica e desenvolvimento. Manual de Oslo: Proposta de diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Traduzido por FINEP, 2005.

OLIVEIRA, A.; CLEMENTE, R; CAULLIRAUX, H. Sistemas de medição de desempenho para inovação: revisão da literatura e problemas do campo de pesquisa. XII Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais. Anais... São Paulo, 2009.

OLIVEIRA, D. P. R. Sistemas, organização e métodos: uma abordagem gerencial. 18. ed. São Paulo: Atlas. 2009.

OLIVEIRA, D. Sistemas, organizações e métodos: uma abordagem gerencial. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

PASSOS, A. Inteligência competitiva é estratégia. Revista Inteligência Competitiva, São Paulo, v. 4, n. 4, p. 14-16,out./dez. 2014.

PORTER, M. Competição. Rio de Janeiro, Elsevier, 2009.

PORTER, M. E. Estratégia competitiva. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

QUEIROZ, L.; CONCEIÇÃO, I.; SILVA FILHO, J. Sistema Nacional de Inovação de Cabo Verde: um estudo exploratório de atores e capacidades. Revista Gestão & Tecnologia, v. 14, n. 1, p. 24-44, 2014

QUINN, J. B. Estratégias para Mudança. (IN) MINTZBERG, H.; QUINN, B. J.; LAMPEL, J.; GHOSHAL, S. O Processo da Estratégia - Conceitos, Contextos e Casos Selecionados, 4ª edição. Porto Alegre: Bookman, 2011.

SANTOS, M. J., WANE, R., & LOPES, O. Knowledge Sharing: Social, Cultural and Structural Enabling Factors. In C. Machado & J. P. Davim (Eds.), Transfer and Management of Knowledge. London: Wiley-ISTE, 2014.

SILVA, B.; NEVES, J.; VASCONCELOS, M.; ARAÚJO, C. Contribuições da inovação aberta para uma empresa de comunicação. Revista Gestão & Tecnologia, v. 13, n. 2, p. 222- 246, 2013.

SILVA, G. DACORSO, A. L. R. “Inovação aberta como uma vantagem competitiva para a micro e pequena empresa”, Revista de Administração e Inovação, Vol. 10, No. 3, 2013, p. 251-268.

SILVA, R. O. da. Teorias da administração. São Paulo: Thomson, 2004.

SOUZA, J.; BRUNO-FARIA, M. Processo de inovação no contexto organizacional: análise de facilitadores e dificultadores. Brazilian Business Review, v. 10, n. 3, p. 113-136, 2013.

TERRA, B. Em Tempos de Rede: A Gestão do Conhecimento para o Desenvolvimento de Regiões. Rio de Janeiro: Interciência, 2006.

TIDD, J., BESSANT, J., & PAVITT, K.Gestão da Inovação. Porto Alegre: Bookman, 2008.

VASCONCELLOS, E. et al. Internacionalização, Estratégia e Estrutura: o que podemos aprender com o sucesso da Alpargatas, Azaléia, Fanem, Odebrecht, Voith e Volkswagen. São Paulo: Atlas, 2008.

VASCONCELLOS, E. HEMSLEY. JR Estrutura das organizações: estruturas tradicionais, estruturas para inovação e estrutura matricial, v. 4, 2009.

VILHA, A. M. (2009). Gestão da Inovação na Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos: uma análise sob a perspectiva do desenvolvimento sustentável. Tese de Doutorado apresentada ao Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT/IG/UNICAMP), Campinas (SP), 2009.

WEGNER, D. Aprendizagem interorganizacional: um estudo das redes horizontais de pequenas empresas. In: ANTONELLO, C. S. et al. Aprendizagem organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman, 2011, p. 537-564.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.

ZIVIANI, F., & FERREIRA, M. A. T. Barreiras e Obstáculos à Inovação no Setor Elétrico Brasileiro: Desafios e Oportunidades. Revista Gestão & Tecnologia, Pedro Leopoldo, 13(3), 222-246, set./dez, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n5-264

Refbacks

  • There are currently no refbacks.