Armazenamento de sementes de Inga laurina (SW.) WILLD / Storage of seeds of Inga laurina (SW.) WILLD

Nohanna do Nascimento Andrade, Edna Ursulino Alves, Rosemere dos Santos Silva, Maria Luiza de Souza Medeiros, Marília Hortência Batista Silva Rodrigues, Maria Joelma da Silva

Abstract


 As sementes de Inga laurina Willd. são de curta longevidade, devendo ser semeadas logo após a extração da polpa que as envolvem, de forma que o recobrimento e armazenamento de sementes surge como alternativa para prolongar a sua qualidade fisiológica. Neste trabalho o objetivo foi determinar uma metodologia eficiente para manutenção da viabilidade e vigor das sementes de I. laurina armazenadas. O experimento foi conduzido em delineamento experimental inteiramente ao acaso, em esquema fatorial 3 x 4, correspondente a três tipos de recobrimento das sementes (controle, babosa e polímero) e quatro períodos de armazenamento das sementes (0, 7, 14 e 21 dias), com quatro repetições para cada tratamento. As avaliações foram: teor de água, emergência, índice de velocidade de emergência, comprimento e massa seca total de plântulas oriundas de sementes de I. laurina. O efeito do uso dos recobrimentos associados ao armazenamento foi significativo para as variáveis índice de velocidade de emergência, comprimento total e massa seca total de plântulas. O tratamento das sementes de I. laurina com polímero é eficiente para a manutenção da qualidade fisiológica durante o armazenamento.


Keywords


Polímero. Babosa. Qualidade fisiológica. Sementes recalcitrantes.

References


AVILA, A.L.; ARGENTA, M.S.; MUNIZ, M.F.B.; POLETO, I.; BLUME, E. Maturação fisiológica e coleta de sementes de Eugenia uniflora L. (pitanga), Santa Maria, RS. Ciência Florestal, v. 19, n. 1, p. 61-68, 2009.

BARBEDO, C.J.; GUARDIA, M.C.; SANTOS, M.R.O.; FRANÇOSO, C.F. Fisiologia da conservação e técnicas de utilização de sementes de espécies nativas. In: SIMPÓSIO DE RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA, 8, 2019, São Paulo. Resumos [...]. São Paulo: Instituto de Botânica, 2019.p. 53-56.

BARROZO, L.M.; ALVES, E.U.; SILVA, R.S.; ANJOS NETO, A.P.; SANTOS-NETA, M.M.S.; SILVA, B.F. Substratos e temperaturas para testes de germinação e vigor de sementes de Inga laurina (Sw.) Willd. Bioscience Journal, v.30, n. 1, p. 252-261, 2014.

BARROZO, L.M. Tecnologia de sementes de Inga laurina (Sw.) Willd. 2012. 110f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Federal da Paraíba, Areia, 2012.

BEWLEY, J.D.; BRADFORD, K.J.; HILHORST, H.W.M.; NONOGAKI, H. Seeds - physiology of development, germination and dormancy. Springer: New York, 3.ed., 2013. 392 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA/ ACS, 2009. 395 p.

BRASILEIRO, B.G.; SILVA, D.F.P.; BHERING, M.C.; MOURA, E.B.B.; BRUCKNER, C.H. Qualidade fisiológica de sementes de nêspera armazenadas em diferentes embalagens. Revista Brasileira de Fruticultura, Volume Especial, E. 686-691, 2011.

CARPI, S.M.F.; BARBEDO, C.J.; MARCOS FILHO, J. Condicionamento osmótico de sementes de Cedrela fissilis Vell. Revista Brasileira de Sementes, v. 18, n. 2, p. 271-275, 1996.

CHIN, H.F.; ROBERTS, E.H. Recalcitrant crop seed. Malaysia, Tropical Press SDN.BHD, 1980. 152 p.

CRISPIM, J.E.; MARTINS, J.C.; PIRES, J.C.; ROSOLEM, C. A.; CAVARIAN, I C. Determinação da taxa de respiração em sementes de soja pelo método da titulação. Revista Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 29, n. 19, p. 1517-1521, 1994.

CUNHA, L.C.S.; SOUSA, L.C.F.; MORAIS, S.A.L.; BARROS, T.T.; AQUINO, F.J.T.; CHANG, R.; SOUZA, M.G.M.; CUNHA, W.R.; GOMES, C.H. Extratos das cascas do ingá (Inga laurina) como agentes antimicrobianos frente a microrganismos bucais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE QUÍMICA, 51., 2011.São Luís. Resumos [...].São Luís: 2011.São Luís: Associação Brasileira de Química, 2011. 1 p.

FACHIN, G.M.; NORETO, L.M.; GLIER, C.A.S.; ARRUA, M.A.M.; GUIMARÃES, V.F. Poder germinativo e teor de água de sementes de pitangueira (Eugenia uniflora L.) armazenadas em diferentes locais. Cultivando o Saber, v. 5, n. 3, p. 53-59, 2012.

GASTL FILHO, J.; FIALHO, A.; MENDES, R.G.; PIVA, H.T.; FADIM JÚNIOR, J.E.; CINTRA, M.F.; LANGER, L.; PEIXOTO FILHO, F.R. Efeitos do armazenamento sobre o potencial germinativo de sementes de Jurubeba. Braziliam Journal od Development, v. 5, n. 10. P. 17412-17418, 2019.

GIURIZATTO, M.I.K.; ROBAINA, A.D.; GONÇALVES, M.C.; MARCHETTI, M.E. Qualidade fisiológica de sementes de soja submetidas ao hidrocondicionamento. Acta Scientiarum Agronomy, v. 30, n. 1, p. 711-717, 2008.

HATHCOCK, A.L.; DERNOEDEN, P.H.; TURNER, T.R.; McINTOSH, M.S. Tall frescue and Kentucky bluegrass response to fertilizer and lime seed coatings. Agronomy Journal, v. 76, n. 3, p. 879-883, 1984.

HOSSEL, C.; OLIVEIRA, J.S.M.A.; FABIANE, K.C.; WAGNER-JÚNIOR, A.; CITADIN, I. Conservação e teste de tetrazólio em sementes de jabuticabeira. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 35, n. 1, p. 255-261, 2013.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2009. 384 p.

LUDWIG, M.P.; OLIVEIRA, S.; AVELAR, S.A.G.; ROSA, M.P.; LUCCA, O.A.L.F.; CRIZEL, R. L. Armazenamento de sementes de soja tratadas e seu efeito no desempenho de plântulas. Tecnologia & Ciência Agropecuária, v. 9, n. 1, p. 51-56. 2015.

MAGISTRALI, P.R.; JOSÉ, A.C.; FARIA, J.M.R.; GASPARIN, E. Physiological behavior of Genipa americana L. seeds regarding the capacity for desiccation and storage tolerance. Journal of Seed Science, v. 35, n. 4, p. 495-500, 2013.

MAGUIRE, J.D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-77, 1962.

MARCOS FILHO, J. Teste de envelhecimento acelerado. In: KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; NETO, J.B.F. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. ABRATES, 1999. p. 1-24.

MISSIO, E.L.; MORO, T.; BRUM, D.L.; POLLET, C.S.; MUNIZ, M.F.B. Vigor e germinação de sementes de Jacaranda mimosifolia D. Don. (Bignoniaceae) após o tratamento e armazenamento. Caderno de Pesquisa, série Biologia, v. 28, n. 3, p. 42-53, 2016.

MORAES, K.N.O.; OLIVEIRA, F.N.L.; BENTO, M.C.; BRITO, R.S.; MESQUITA, A.G.G. Classificação fisiológica de sementes florestais quanto a tolerância a dessecação e armazenamento. Revista Verde, v. 15, n. 1, p. 1-5, 2020.

NASCIMENTO, W.M.O.; NOVEMBRE, A.D.L.C.; CICERO, S.M. Consequências fisiológicas da dessecação em sementes de açaí (Euterpe oleracea Mart.). Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 2,p. 38-43, 2007.

OLIVEIRA, C.E.S.; ZUFFO, A.M.; FONSECA, W.L.; STEINER, F. Physical characterization of fruits and seeds Inga laurina (Sw.) Willd. (Fabaceae - Mimosaceae). Revista de Agricultura Neotropical, v. 6, n. 3, p. 105-111, 2019.

PENNINGTON, T.D.; FERNANDES, E.C.M. Introduction. In: PENNINGTON, T.D.; FERNANDES, E.C.M. (Ed.). The genus Inga utilization: The Royal Botanical Gardens, Kew, 1998. p.1-3.

R CORE TEAM. R: Uma linguagem e ambiente para computação estatística.Viena: Fundação R para Computação Estatística. 2019.

ROBERTS, E.H. Predicting the storage life of seeds. Seed Science and Technology, v. 1, p. 499-514, 1973.

SALOMÃO, A.N. Desiccation, storage and germination of Genipa americana seeds. In: SACANDÉ, M.; JOKER, D.; DULLOO, M.E.; THOMSEN, K.A. (Ed.). Comparative storage: biology of tropical tree seeds. IPGRI, 2004. p. 263-269.

SCHULZ, D.G.; ORO, P.; VOLKWEIS, C.; MALAVASI, M.M.; MALAVASI, U.C. Maturidade fisiológica e morfometria de sementes de Inga laurina (Sw.) Willd. Floresta e Ambiente, v. 21, n. 1, p. 45-51, 2014.

SILVA, L.M.M.; AGUIAR, I.B.; MORAIS, D.L.; VIÉGAS, R.A. Estresse hídrico e condicionamento osmótico na qualidade fisiológica de sementes de faveleira Cnidoscolus juercifolius. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 9, n. 1, p. 66-72, 2005.

SILVA, T.T.A.; SOUZA, L.A.; OLIVEIRA, L.M.; GUIMARÃES, R.M. Temperatura de germinação, sensibilidade à dessecação e armazenamento de sementes de jaqueira. Revista Ciência Agronômica, v. 38, n. 4, p. 436-439, 2007.

SOUZA, V.C.; LORENZI, H. Botânica sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de angiospermas da flora brasileira, baseado em APGII. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2005. 639 p.

SUBBIAH, A.; RAMDHANI, S.; PAMMENTER, N. W.; MACDONALD, A.H.H.; SERSHEN. Towards understanding the incidence and evolutionary history of seed recalcitrance: an analytical review. Perspectives in Plant Ecology, Evolution and Systematics, v. 37, p. 11-19, 2019.

VIEIRA, C.V.; ALVARENGA, A.A.; CASTRO, E.M.; NERY, F.C.; SANTOS, M.O. Germinação e armazenamento de sementes de camboatã (Cupania vernalis Cambess.). Ciência e Agrotecnologia, v. 32, n. 2, p. 444-449, 2008.

WAGNER JÚNIOR, A.; NAVA, G.A. Fruteiras nativas da família Myrtaceae do Bioma Floresta com Araucária com potencialidades de 21 cultivos. In: MARTIN, T.N.; ZIECH, M.F. II Sistemas de Produção Agropecuária. UTFPR: Dois Vizinhos, 2008. p. 239-252.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n3-212

Refbacks

  • There are currently no refbacks.