Produção e caracterização de filtros hidrofóbicos de celulose vegetal / Production and characterization of hydrophobic filters made of vegetable cellulose

Sandro Rogério Kumineck Junior, Victória Fonseca Silveira, Michele Cristina Formolo Garcia, Giannini Pasiznick Apati, Andréa Lima Dos Santos Schneider, Ana Paula Testa Pezzin

Abstract


A celulose é um biopolímero abundante que pode ser obtido de fontes como plantas verdes, fungos, procariontes, entre outros. Fibras de coco foram utilizadas como matéria-prima para obtenção de celulose vegetal (CV), devido ao seu caráter renovável, biodegradabilidade e ser um resíduo agroindustrial. As fibras foram pré-tratadas com hidróxido de sódio 2% para remoção de impurezas, substâncias cerosas e extrativos hidrossolúveis. Para o processo de deslignificação da polpa de celulose foi utilizado hipoclorito de sódio 1,7%. A presença de poros na estrutura da celulose confere um alto grau de absorção e, sua capacidade hidrofílica, diminui a sua capacidade de sorver óleos e graxas. Porém, nanocristais de celulose vegetal (NCCV) puderam ser isolados de suas matrizes por um processo de hidrólise ácida com ácido sulfúrico 64%. Os nanocristais apresentam grupos hidroxila em sua estrutura, que possibilitam a modificação de superfície com substâncias com princípio ativo hidrofóbico, como os silanos. Após um eficiente processo de funcionalização dos nanocristais em meio aquoso na presença de metiltrietóxisilano (MTES) e posterior liofilização, obtiveram-se nanocristais de celulose vegetal silanizados (NCCVS), produto final que pode ser utilizado como componente de filtros para a retenção de óleos. O difratograma de raios-X (DRX) apontou o aumento da cristalinidade na amostra após a hidrólise ácida. A análise de Espectroscopia no Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR) indicou a presença de bandas características de silício e ligações do tipo O-Si-CH3 nos NCCVS. A Análise Termogravimétrica (TGA) evidenciou a presença do silano na amostra de NCCVS pela quantidade de resíduo em comparação à amostra de NCCV. Os nanocristais funcionalizados demonstraram propriedades hidrofóbicas e oleofílicas pela repulsão de uma gota de água e retenção de uma gota de xileno depositadas sobre a amostra, indicando que o material é uma alternativa para a remoção de óleos em superfícies hídricas.

Keywords


Celulose, Hidrofóbico, Nanocristais, Silanização

References


AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (BRASIL). Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil 2018: informe anual. Agência Nacional de Águas, Brasília: ANA, 2018.

AGUILERA, F.; MÉNDES, J.; PÁSARO, E.; LAFFON, B. Review on the effects of exposure to spilled oils on human health. Journal of Applied Toxicology, v. 30, p. 291-301, 2010.

ARKLES, B.; LAUNER, P. J. Silicon compounds: Silanes and Silicones. 3. Ed. Morrosville: Gelest, 2013.

BARBOSA, Grazielly Norões; PASQUALETTO, Antônio. Aproveitamento do óleo residual de fritura na produção de biodiesel. Departamento de Engenharia Ambiental). Universidade Católica de Góias, 2007.

BARUD, H. S. Novos materiais multifuncionais baseados em celulose bacteriana. Tese (Doutorado em Química) – Instituto de Química, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2010.

BERTI, A. P. et al. Efeitos da contaminação do ambiente aquático por óleos e agrotóxicos. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, v. 4, n. 1, p. 45-51, 2009.

CARVALHO, Gardênia Maria Braga de. Contabilidade Ambiental: Teoria e Prática. 2ª Edição. Curitiba. Editora Juruá. 2012.

DONINI, I. A. N.; SALVI, D. T. B.; FUKUMOTO, F. K.; LUSTRI, W. R.; BARUD, H. S.; MARCHETTO, R.; MESSADDEQ, Y.; RIBEIRO, S. J. L. Biossíntese e recentes avanços na produção de celulose bacteriana. Eclética Química, v. 35, n. 4, p. 165-178, 2010.

DUFRESNE, Alain; BELGACEM, Mohamed N. Cellulose-reinforced composites: from micro-to nanoscale. Polímeros, v. 23, n. 3, p. 277-286, 2013.

IOST, Cristina AR; RAETANO, Carlos Gilberto. Tensão superficial dinâmica e ângulo de contato de soluções aquosas com surfatantes em superfícies artificiais e naturais. Engenharia Agrícola, p. 670-680, 2010.

LIU, D. et al. Characterisation of solution cast cellulose nanofibre – reinforced poly(lactic acid). Express Polymer Letters, v. 4, n. 1, p.26-31, 2010.

MACHADO, Bruna A. S. Desenvolvimento e caracterização de filmes flexíveis de amido de mandioca com nanocelulose de coco. Dissertação (Mestrado em Ciências de Alimentos) – Programa de Pós-graduação em Ciência de Alimentos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

MACHADO, Bruna A. S., et al. Obtenção de nanocelulose da fibra de coco verde e incorporação em filmes biodegradáveis de amido plastificados com glicerol. Química Nova 37.8, p. 1275-1282, 2014.

NASCIMENTO, Diego M. et al. A comprehensive approach for obtaining cellulose nanocrystal from coconut fiber. Part I: Proposition of technological pathways. Industrial Crops and Products, v. 93, p. 66-75, 2016.

NASCIMENTO, Diego M. Comparação ambiental e tecnológica de nanoestruturas de celulose obtidas de fibras de coco. Dissertação (Mestrado em Química) - Programa de Pós-Graduação em Química, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. 2014.

PEREIRA, R. S. Identificação e caracterização das fontes de poluição em sistemas hídricos. Revista Eletrônica de Recursos Hídricos, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 20-36, 2004.

PHANTHONG, Patchiya et al. Nanocellulose: Extraction and application. Carbon Resources Conversion, v. 1, n. 1, p. 32-43, 2018.

ROSA, M. F.; et al. Cellulose nanowhiskers from coconut husk fibers: Effect of preparation conditions on their thermal and morphological behavior. Carbohydrate Polymers, v. 81, No. 1, p. 83-92, 2010.

SALLES, Fernando Soton Ferreira; CARRERA, F. Impacto ambiental causado por óleo vegetal. Rio de Janeiro, 2010.

SANTOS, Adalto de Oliveira et al. Contabilidade ambiental: um estudo sobre sua aplicabilidade em empresas brasileiras. Revista Contabilidade & Finanças, v. 12, n. 27, p. 89-99, 2001.

SILVERSTEIN, R. M.; WEBSTER, F. X.; KIEMLE, D. J. Spectrometric Identification of Organic Compounds, 7th ed.; John Wiley and Sons: Hoboken, NJ, 2005.

SOS MATA ATLÂNTICA. Observando os Rios: O retrato da qualidade da água nas bacias da Mata Atlântica. 2019.

TAIPINA, M. O. Nanocristais de celulose: obtenção, caracterização e modificação de superfícies. 2012. Dissertação (Mestrado em Química) – Curso de Química, Universidade de Campinas, Campinas.

TIBURTIUS, E. R. L.; PERALTA-ZAMORA, P.; LEAL, E. S. Contaminação de águas por BTXS e processos utilizados na remoção de sítios contaminados. Química Nova, v. 27, n. 3, p. 441-446, 2004.

ZHANG, Z.; et al. Ultralightweight and flexible silylated nanocellulose sponges for the selective removal of oil from water. Chemistry of Materials, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n3-061

Refbacks

  • There are currently no refbacks.