Ação de bioestimulantes e nutrientes via tratamento de sementes na germinação e desenvolvimento de plântulas de Glycine Max L / Action of biostimulants and nutrients via seed treatment on germination and seedling development of Glycine Max L

Pablo Frezato, Artur Alves de Oliveira Braga, Maria Aparecida da Fonseca Sorace, Conceição Aparecida Cossa, Carlos Eduardo Monteiro Pires, Vinícius José de Jesus Machado, Letícia da Silva Lhamas, Elisete Aparecida Fernandes Osipi

Abstract


A soja, Glycine max (L.) Merrill, representa, a nível mundial, a principal oleaginosa produzida e consumida sendo amplamente utilizada para a elaboração de rações animais, produção de óleo e outros subprodutos, além do seu consumo in natura que vem se expandindo nas últimas décadas (ARAÚJO, 2009).

Segundo Ávila & Albrecht (2010), a importância da soja também vem sendo enfatizada como alternativa na prevenção de doenças e na alimentação humana podendo ser transformada em diversos alimentos proteicos tais como, farinha, leite, proteína texturizada e creme e ainda para uso industrial na fabricação de derivados não tradicionais, como biodiesel, tintas e vernizes, entre outros.

Novos produtos que incorporam aditivos às sementes aumentam a cada ano. Porém, pouco se sabe sobre os efeitos destes na qualidade fisiológica de sementes e na influência no desenvolvimento de plântulas de soja.

Os micronutrientes são elementos químicos essenciais para o crescimento das plantas e são exigidos em quantidades muito pequenas (MORTVEDT, 2001). Embora a participação dos micronutrientes seja pequena, a falta de qualquer um deles pode resultar em perdas significativas de produção (BARBOSA FILHO et al., 2002).

Os micronutrientes podem ser aplicados diretamente no solo, por meio da adubação convencional, ou por meio de fertirrigação, na parte aérea das plantas, por meio da adubação foliar, ou tratamento das sementes (CHENG, 1985). O tratamento de sementes é uma alternativa para a aplicação de alguns micronutrientes, com resultados amplamente positivos para certas condições específicas. Representa menores custos para a aplicação, maior uniformidade de distribuição (Parducci et al., 1989) e bom aproveitamento pela planta (LUCHESE et al., 2004).

Novas tecnologias, aliadas ao uso de sementes melhoradas e ao manejo adequado são utilizadas para aumentar a produtividade das culturas. O uso de bioestimulantes possui destaque, pois esses são substâncias naturais ou sintéticas que podem ser aplicadas em sementes, plantas e solo e provocam alterações dos processos vitais e estruturais, a fim de aumentar a produtividade e qualidade de sementes e/ou grãos (ÁVILA et al., 2008).

O objetivo do trabalho foi avaliar a ação de bioestimulantes e nutrientes via tratamento de sementes, na germinação e desenvolvimento de plântulas de soja.


Keywords


Soja, Tratamento, Bioestimulante.

References


ARAÚJO, M.M. Caracterização e seleção de linhagens de soja resistentes ou tolerantes à ferrugem asiática. 2009. 77f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ESALQ/USP, Piracicaba, 2009.

ÁVILA, M. R. ; BRACCINI, A. L.; SCAPIM, C. A.; ALBRECHT, L. P.; TONIN, T. A.; STÜLP, M.

Bioregulator application, agronomic efficiency, and quality of soybean seeds. Scientia Agricola, Piracicaba, v. 65, n. 6, p. 604-612, 2008.

Ávila, M. R.; Albrecht, L. P. Isoflavonas e a qualidade das sementes de soja. Informativo Abrates, v.20, p.15-29, 2010.

BARBOSA FILHO, M.P. et al. Arroz, milho e trigo. In: BINOVA. Micronutrientes. Ribeirão Preto: Binova, 2002. 3p. (Informativo Técnico).

CHENG, T. The effect of the seed treatment with microelements upon the germination and early growth of wheat. Sci. Sin., Beijing, v. 44, p. 129-135, 1985.

HÖFS, A. Vigor de sementes de arroz e desempenho da cultura. 2003. 44f. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes) – Curso de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes, Universidade Federal de Pelotas.

LUCHESE, A.V. et al. Emergência e absorção de cobre por plantas de milho (Zea mays) em resposta ao tratamento de sementes com cobre. Cienc. Rural, Santa Maria, v. 24, n. 6, p. 1949- 1952, 2004.

MORTELE, L. M.; SANTOS, R. F.; BRACCINI, A. L.; SCAPIM, C. A.; BARBOSA, M. C. Efeito da

aplicação de biorregulador no desempenho agronômico e produtividade da soja. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 30, p. 701-709, 2008. Suplemento. DOI: 10.4025/actasciagron.v30i5.5971.

MORTVEDT, J.J. et al. (Ed.). Micronutrients in agriculture. 2. ed. Madison: Soil Science Society ofAmerica, 1991. p. 549-592.

OLIVEIRA, F. A.; MEDEIROS, J. F.; OLIVEIRA, M. K. T.; SOUZA, A. A. T.; FERREIRA, J. A.;

SOUZA, M. R. Interação entre salinidade e bioestimulante na cultura do feijão caupi. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 17, n. 5, p. 465-471, 2013. DOI: 10.1590/S1415-43662013000500001.

PARDUCCI, S. et al. Micronutrientes. Campinas: Microquímica, 1989.Vieira EL (2005) Stimulate 10 X na germinação de sementes, vigor de plântulas e crescimento inicial de plantas de algodoeiro. In: V Congresso Brasileiro de Algodão, Salvador. Anais. Embrapa Algodão. p.163-163.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-486

Refbacks

  • There are currently no refbacks.