Risco para doenças cardiovasculares em universitários: 2. Fatores relacionados com diabetes mellitus / Risk for cardiovascular diseases in university students: 2. Factors related to diabetes mellitus

Annatércia Aúrea da Cruz Ferreira Evaristo, Kaliane Gomes Medeiros, Paulo Adriano Schwingel, Claudemiro de Lima Júnior, Regina Lúcia Félix de Aguiar Lima

Abstract


O diabetes mellitus tipo II (DM II) é uma doença crônica que representa um crescente problema de saúde pública. Para avaliar os fatores de risco para DM II em alunos universitários realizou-se um estudo quantitativo, observacional, transversal, com amostragem probabilística sobre fatores de risco, com aplicação de questionário e realização de medidas antropométricas, pressóricas e sanguíneas. A amostra foi constituída de 353 alunos, que foram avaliados ou investigados em relação aos parâmetros: peso, altura, índice de massa corpórea (IMC), circunferência abdominal, pressão arterial, glicemia capilar, colesterol total capilar, histórico para diabetes, estilo de vida e hábitos alimentares. A população baixa proporção de indivíduos com DM (0,8%). Verificou-se que 15% dos alunos apresentavam sobrepeso e 12,1% eram obesos; a circunferência abdominal elevada foi verificada em 56,3% dos alunos. O sedentarismo foi verificado em 75 % dos alunos. A prevalência de fatores de riscos para diabetes foi alta.


Keywords


hiperglicemia, sedentarismo, circunferência abdominal.

References


Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

Campos MO, Neto JFR, Silveira MF, Neves DMR, Vilhena JM, Oliveira JF, Magalhães JC, Drumond D. Impacto dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis na qualidade de vida. Ciência & Saúde Coletiva 2013; 18(3): 873-882.

Sociedade Brasileira de Diabetes. Conduta Terapêutica no Diabetes Tipo 2: Algoritmo SBD 2014. AC Farmacêutica, 2014.

Oliveira JEPO, Millech A. Diabetes Mellitus — Clínica, Diagnóstico e Tratamento Multidisciplinar. São Paulo: Editora Atheneu, 2006.

Machado LE, Campos R. O impacto da Diabetes Melito e da hipertensão arterial para a saúde pública. Saúde e meio ambiente: revista interdisciplinar 2015; 3(2): 53-61.

International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas. Belgium: IDF. 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE; Ministério da Saúde; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Pesquisa Nacional de Saúde 2013: Percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas. Rio de Janeiro: 2014.

Falizardo JCP, Leão LA, Souza Neto MA. Prevalência de Fatores de Risco para Diabetes Mellitus em Alunos de uma Instituição de Ensino Superior em Ceres-GO. JIC-Jornada de Pesquisa e Iniciação Científica 2012; 3(3).

Sistema de cadastramento e acompanhamentos de Hipertensos e Diabéticos. Disponível em:. Acessado em 17 de maio de 2015.

Lemos, AP. Obesidade e síndrome metabólica em adolescentes: implicações futuras. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra 2014.

Azenha CMC. Qualidade de vida e satisfação com o tratamento em diabetes tipo II. [tese]. Coimbra: Universidade de Coimbra; 2014.

Lima ACS, Araújo MFM, Freitas RWJF, Zanetti ML, Almeida PC, Damasceno MMC. Fatores de risco para diabetes mellitus tipo 2 em universitários: associação com variáveis sociodemográficas. Revista Latino-Americana de Enfermagem 2014; 22(3):484-490.

Monteiro LZ, Fiani CRV, Freitas MCF, Zanetti ML, Foss MC. Redução da pressão arterial, do IMC e da glicose após treinamento aeróbico em idosas com diabete tipo 2. ArqBrasCardiol 2010; 95(5):563-570.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. V Diretriz sobre Dislipidemia e Prevenção da Aterosclerose. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. São Paulo, v. 101, n. 4, outubro 2013.

Moura IH, Vieira EES, Silva GRF, Carvalho RBN, Silva ARV. Prevalência de hipertensão arterial e seus fatores de risco em adolescentes. Acta Paul Enferm2015; 28(1):81-86.

Diretrizes brasileiras de obesidade 2009/2010 / ABESO - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. 3.ed. - Itapevi, SP: AC Farmacêutica, 2009.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. Rev Soc Bras Hipert 2005; 84(1): 08-09.

Gimenis HT, Zanetti ML, Otero LM, Teixeira CRS. O Conhecimento do Paciente Diabético Tipo 2 Acerca dos antidiabéticos Orais. Ciência Cuidado & Saúde 2008; 5(3):317-325.

Madureira AS, Corseuil HX, Pelegrini A, Petroski EL. Associação entre estágios de mudança de comportamento relacionados à atividade física e estado nutricional em universitários. Cad Saúde Pública 2009; 25(10): 2139-46.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Melo ME. Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica – ABESO, 2011.

Massa KHC, Guimarães VV, César C L G, Barros MBDA, Carandina L, Goldbaum M, Florindo AA. Prática de atividade física em quatro domínios em idosos com hipertensão arterial referida no Município de São Paulo: estudo de base populacional. Rev Bras de Atividade Física & Saúde 2012; 17(1): 7-13.

Diabetes Prevention Program Research Group. "Reduction in the incidence of type 2 diabetes with life style intervention or metformin." The New England jornal of medicine 2002; 346.(6): 393.

Azevedo ECC, Dias FMRS, Diniz AS, Cabral PC. Consumo alimentar de risco e proteção para as doenças crônicas não transmissíveis e sua associação com a gordura corporal: um estudo com funcionários da área de saúde de uma universidade pública de Recife (PE), Brasil. Ciência & Saúde Coletiva 2014; 19(5): 1613-1622.

Azevedo ECC, Diniz AS, Monteiro JS, Cabral PC. Padrão alimentar de risco para doenças crônicas não transmissíveis e sua associação com a gordura corporal– uma revisão sistemática. Ciência & Saúde Coletiva 2014; 19(5): 1447-1458.

Pitanga FJG, Lessa I. Associação entre indicadores de obesidade e risco coronariano em adultos na cidade de Salvador, Bahia, Brasil. Rev Bras Epidemiol 2007; 10(2): 239-48.

Pou KM, Massaro JM, Hoffmann U, Lieb K, Vasan RS, O’Donnel CJ. Patterns of abdominal fat distribution. Diabetes Care 2009; 32(3):481-5.

Machado SP, Rodrigues DGC, Viana KDAL, Sampaio HAC. Correlação entre o índice de massa corporal e indicadores antropométricos de obesidade abdominal em portadores de diabetes mellitus tipo 2. Rev Bras em Promoção da Saúde2013; 25(4): 512-520.

Aguiar RS, Ricardo. “A fisiologia da obesidade: bases genéticas, ambientais e sua relação com o diabetes”. Com Ciência 2013; 145: 0-0.

Bernardes LE. Investigação de fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis em universitários. Piauí: UFPI; 2012.

Sociedade Brasileira de Cardiologia / Sociedade Brasileira de Hipertensão / Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2010; 95(1): 11-13.

Schmidt MI, Duncan BB, Hoffmann JF, Moura L, Malta DC, Carvalho RMSV. Prevalência de diabetes e hipertensão no Brasil baseada em inquérito de morbidade auto-referida, Brasil, 2006. Rev saúde pública 2009; 43(supl.2): 74-82.

Sousa RC, Gama IB, Costa JF, Macedo LAR, Sousa YS, Nascimento CC. Braz J of Develop 2020; v. 6, n. 7, p. 49932-49944.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-485

Refbacks

  • There are currently no refbacks.