Perfil dos produtores leiteiros cooperativados de Faxinal dos Guedes (SC) e sua adequação às normativas brasileiras de qualidade do leite / Profile of cooperative dairy farmers in Faxinal dos Guedes (SC) and their adequacy to Brazilian milk quality standards

Gabriela Rodrigues Marin, José Francisco Manta Bragança, Marciano Forest

Abstract


Para a continuidade na produção de leite torna-se o importante que os produtores atendem às normas de qualidade do leite elaborado pelas instruções Normativas 76 e 77/2018. Portanto, o objetivo do trabalho foi o de identificar o perfil dos produtores de leite cooperativados, do município de Faxinal dos Guedes (SC), verificando a sua adequação como afirma INs. Os dados foram coletados a partir de um questionário estruturado contendo 80 questões, junto a 63 produtores no período de agosto de novembro de 2019. Dados foram formados e expressos por meio de técnica de estatística descritiva. A idade média do gestor foi de 44 anos e 60% deles com no máximo educação básica completa. O tamanho das propriedades em média 28,8 ± 20,3 hectares e atividade leiteira desenvolvida em 74,6% delas.49, 2% dos rebanhos compostos de animais mestiços ou SRD com 18 animais em média. 38,1% (24) das propriedades utilizavam somente Monta Natural (MN), comercializando em média 7,49 litros / vaca / dia. O percentual de propriedades em não compliance para Contagem de Células Somáticas (CCS) foi de 39,70%, para Contagem Padrão por Placas (CPP) de 11,52% sendo a satisfação com a atividade afetando o CCS. Conclui-se que a produção de produtores cooperativados está centrada em pequenas propriedades da agricultura familiar, sendo ainda necessária uma atenção na busca de melhorar a produção de leite diária e conscientizar os produtores da necessidade de um produto de melhor qualidade.O percentual de propriedades em não compliance para Contagem de Células Somáticas (CCS) foi de 39,70%, para Contagem Padrão por Placas (CPP) de 11,52% sendo a satisfação com a atividade afetando selecionados a CCS. Conclui-se que a produção de produtores cooperativados está centrada em pequenas propriedades da agricultura familiar, sendo ainda necessária uma atenção na busca de melhorar a produção de leite diária e conscientizar os produtores da necessidade de um produto de melhor qualidade. O percentual de propriedades em não compliance para Contagem de Células Somáticas (CCS) foi de 39,70%, para Contagem Padrão por Placas (CPP) de 11,52% sendo a satisfação com a atividade afetando selecionados a CCS. Conclui-se que a produção de produtores cooperativados está centrada em pequenas propriedades da agricultura familiar, sendo ainda necessária uma atenção na busca de melhorar a produção de leite diária e conscientizar os produtores da necessidade de um produto de melhor qualidade.


Keywords


Agricultura Familiar, Bovinocultura Leiteira, Instrução Normativa, Leite Qualidade.

References


BALZAN C. 2017. Análise dos aspectos da sustentabilidade de agricultores familiares no município de Coronel Vivida-PR. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

BATALHA MO & SILVA AD. 2007. Gerenciamento de sistemas agroindustriais: definições, especificidades e correntes metodológicas. Gestão agroindustrial, v. 3, p. 1-62.

BRASIL. 2018. Instrução Normativa n°. 76 e 77 de 30 de novembro de 2018. UNIÃO., D. O. D. Brasilia.: Aprova os regulamentos técnicos que fixam a identidade e as características de qualidade que devem apresentar o leite cru refrigerado, o leite pasteurizado e o leite pasteurizado tipo A.

CEPA. 2017. Síntese Anual da Agricultura de Santa Catarina 2017-2018. 2018. ISSN 1677-5953. Disponível em: < http://docweb.epagri.sc.gov.br/website_cepa/publicacoes/Sintese_2017_18.pdf >. Acesso em: 07 de Dezembro de 2019.

DE MELLO RUBIO A. 2017. Perfil das propriedades leiteiras em sistema de agricultura familiar na região norte do Paraná. Revista Acadêmica Ciência Animal, v. 15, n. Suppl 2, p. 361-362.

DEIMLING MF et al. 2015. Agricultura familiar e as relações na comercialização da produção. Interciência, v. 40, n. 7, p. 440-447.

FAO. FAOSTAT - Livestock Primary. 2019. Disponível em: < http://www.fao.org/faostat/en/#country >. Acesso em: 05 de Dezembro de 2019.

FONSECA LFLD & SANTOS MVD. 2001. Qualidade do leite e controle de mastite. São Paulo: Lemos Editorial.

GONÇALVES JL & TOMAZI TDSMV. 2017. Rotina de ordenha eficiente para produção de leite de alta qualidade. Revista Acadêmica Ciência Animal, v. 15, n. Suppl 2, p. 9-14.

HOLANDA JÚNIOR FIFD & CAMPOS RT. 2003. Análise técnico-econômica da pecuária leiteira no Município de Quixeramobim-Estado do Ceará.

IBGE. 2019a. Censo Agropecuário 2017 - Bovinos dos Estados do Brasil por Estabelecimentos que produziram leite. Disponível em: < https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/templates/censo_agro/resultadosagro/pecuaria.html?localidade=0&tema=75655 >. Acesso em: 07 de Dezembro de 2019.

IBGE. 2019b. Censo Agropecuário 2017 – Bovinos do Brasil por quantidade de leite produzida. Disponível em: < https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/templates/censo_agro/resultadosagro/pecuaria.html?localidade=0&tema=75657 >. Acesso em: 07 de Dezembro de 2019.

IBGE. 2019c. Censo Agropecuário 2017 – Bovinos do Brasil por quantidade de leite produzida. Disponível em: < https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/templates/censo_agro/resultadosagro/pecuaria.html?localidade=0&tema=75657 >. Acesso em: 07 de Dezembro de 2019.

INCRA. 2020. Tamanho das propriedades rurais. Disponível em: < http://www.incra.gov.br/pt/credito/66-atuacao/234-classificacao-dos-imoveis-rurais.html >. Acesso em: 03 de Março de 2020.

JAMAS LT et al. 2018. Parâmetros de qualidade do leite bovino em propriedades de agricultura familiar. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 38, n. 4, p. 573-578.

LAMPUGNANI C et al. 2018. Qualidade do leite cru refrigerado e características da produção leiteira na mesorregião oeste paranaense, Brasil. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, v. 73, n. 1, p. 19-26.

LAVOR UL et al. 2019. Identificação bacteriana, contagem de células somáticas, perfil antimicrobiano e pesquisa de linhagens toxigênicas de Staphylococcus em amostras de leite bovino de pequenas propriedades rurais. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 39, n. 9, p. 715-722.

MELO ILC & TEIXEIRA RMA. 2017. Perfil das propriedades leiteiras pertencentes ao programa curral bonito do município de rio pomba, MG. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, v. 72, n. 1, p. 19-30.

REIS EMB et al. 2019. Diagnóstico de propriedades leiteiras e fatores associados à qualidade higiênico sanitária do leite. PUBVET, v. 14, p. 137.

RODRIGUES LG & ALBAN L. 2013. Tecnologias de produção de leite utilizadas no Extremo-Oeste Catarinense. Race: revista de administração, contabilidade e economia, v. 12, n. 1, p. 171-198.

SEBRAE. 2012. Empresários, Potenciais Empresários e Produtores Rurais no Brasil. Disponível em: < http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/f767852e0f0362b43d506711b195b34b/$File/5455.pdf >. Acesso em: 12 de Dezembro de 2019.

WERNCKE D et al. 2016. Qualidade do leite e perfil das propriedades leiteiras no sul de Santa Catarina: abordagem multivariada. Arquivo brasileiro de medicina veterinaria e zootecnia= Brazilian journal of veterinary and animal sciences. Belo Horizonte. Vol. 68, n. 2 (mar./abr. 2016), p. 506-516.

WINCK CA & NETO AT. 2009. Diagnóstico da adequação de propriedades leiteiras em Santa Catarina às normas brasileiras de qualidade do leite. Revista de Ciências Agroveterinárias, v. 8, n. 2, p. 164-172.

WINCK CA & THALER NETO A. 2012. Perfil de propriedades leiteiras de Santa Catarina em relação à Instrução Normativa 51. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 13, n. 2, p. 296-305.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-469

Refbacks

  • There are currently no refbacks.