Os benefícios da presença do pai no trabalho de parto e parto / The benefits of the father's presence in childbirth and childbirth work

Poliana Cavalcante de Oliveira, Marcelle de Castro Vasconcelos Ferreira, Douglas Ferreira Rocha Barbosa, José César de Oliveira Cerqueira, Rosa Caroline Mata Verçosa, Kleytonn Giann Silva de Santana, Andrey Ferreira da Silva

Abstract


A presença do parceiro na hora do parto é fundamental para a gestante, essa participação e afeto auxiliam a gestante a aceitar com menos dor, medo e ansiedade o trabalho de parto. Assim, a pesquisa busca pontuar os benefícios da presença do pai no momento do parto e pós-parto, averiguando se é assegurado ao pai seu direito de acompanhar todo o procedimento. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura onde foi selecionado 10 artigos para comporem a discussão da pesquisa. Tendo como resultado a seleção de artigos escritos por enfermeiros, das regiões Nordeste, Sul e Sudeste do Brasil e quanto aos anos de publicação nos anos de 2015 com quatro artigos, seguidos de 2016 com dois artigos publicados e 2010, 2011, 2012 e 2017 com um artigo cada. Quanto ao desenho metodológico, cinco estudo com abordagem qualitativa, dois pesquisa qualitativa, dois pesquisa qualitativa exploratória-descritiva e um estudo de revisão integrativa. Conclui-se que a presença do pai durante o trabalho de parto e parto é benéfico para mulher, pois proporciona segurança e agilidade no nascimento, já que essa sente-se mais segura e confiante, para o pai porque o permiti passar por sentimentos até então apenas vivenciado pelas mães. Mesmo com a Lei permitido a presença do pai durante o trabalho de parto e parto ainda se observou que muitos hospitais/equipe, por não aceitar a presença deles, não informam o seu direito e quando informam não estimulam a presença dos mesmos, explicando os benefícios.


Keywords


Trabalho de parto, Parto humanizado, Relações pai-filho.

References


BRASIL. Lei n. 11.108, de 07 de abril de 2005. Dispõe da garantia às parturientes e o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema único de Saúde. Lex: Sus: Diário Oficial da União, Brasília, abril, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional Integrada à Saúde da Mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

BRASIL. Programa Humanização do parto: humanização no pré-parto e nascimento. Brasília: Ministério da Saúde, 2000.

BORDIGNON, S.S; et al. Paternal participation e family reaction towards the teenage pregnancy. J Nurs UFPE on line [Internet]. v.7, n. 6, p: 4459-4465, 2013.

BRÜGGEMANN, O.M; et al. A inserção do acompanhante de parto nos serviços públicos de Santa Catarina. Escola Anna Nery; v. 17, n. 3, p:432-39, 2013.

BRÜGGEMANN, O.M; et al. Possibilidades de inserção do acompanhante no parto nas instituições públicas. Ciência e Saúde Coletiva (Rio de Janeiro). 2016.

CARVALHO, F.S. et al. O companheiro como acompanhante no processo de parturição. Revista Mineira de Enfermagem (Rio Grande do Norte). v. 16, n. 4, p: 613-21, 2015.

DRAPER, H; IVES, J. Men’s involvement in antenatal care and labour: rethinking a medical model. Midwifery; v.29, n. 7, p:723-9, 2013.

FRANCISCO, B.S et al. Percepções dos pais sobre suas vivências como acompanhantes durante o parto e nascimento. Revista Mineira de Enfermagem; v. 19, n 3, 2012.

GONÇALVES, K. et al. Vivenciando repercussões e transformações de uma gestação: perspectivas de gestantes. Ciências e Enfermagem; v.16, n.2, pp. 115-12, 2010.

JARDIM, D.M.B; PENNA, C.M.M. Pai-acompanhante e sua compreensão sobre o processo de nascimentos do filho. REME- Revista Mineira de Enfermagem; v.16, n.3, p.373-381, 2012.

MELLO, RM; ANGELO, BHB; PONTES, CM; RS. Conhecimento de homens sobre o trabalho de parto e nascimento. Escola Anna Nery; v.19, n.3, 2015.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C.P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n.4, p.758-764, Dez. 2008.

MENDONÇA, F. et al. Barreiras relatadas pelo pai acerca da participação do parto no Nordeste brasileiro. Congresso Ibero-Americano de Investigação Qualitativa (Ceará), 2017.

MOTTA, CCL; CREPALDI, MA. O pai no parto e apoio emocional: a perspectiva da parturiente. Revista Paidéia (Ribeirão Preto), 2012.

NOGUEIRA, JRDF; FERREIRA, M. O envolvimento do pai na gravidez/parto e a ligação emocional com o bebê. Revista de Enfermagem; v.3, n. 8, p:57-66, 2012.

PERDOMINE, FRI; BONILHA, ALL. A Participação do pai como acompanhante da mulher no parto. Contexto Enfermagem, Florianópolis; v.20, n. 3, p:445-52, 2011.

SANTOS, JO; TAMBELLINI, CA; OLIVEIRA, SMJV. Presença do acompanhante durante o processo de parturição: uma reflexão. Revista Mineira de Enfermagem; v. 5, n. 3, p:453-8, 2011.

SANTOS, RS; CAIRES, TLG. Sentimentos, sensações e emoções dos pais que vivenciaram o nascimento de seus filhos. Ciência Enfermagem (Rio de Janeiro). v. 22, n. 1, p:125-33, 2016.

SOARES, RKC et al. Acompanhante da parturiente e sua relação com a equipe de enfermagem: um estudo qualitativo. Online Brazilian Journal of Nursing (Ceará). 2010.

TELES, LMR et al. Construção e validação de manual educativo para acompanhantes durante o trabalho de parto e parto. Revista Escola de Enfermagem USP [online]. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-450

Refbacks

  • There are currently no refbacks.