Aplicativo lúdico web para o incentivo a alimentação saudável à alunos do ensino fundamental II/ Ludic web application for the incentive to healthy eating habits for students of elementary school

Maristela Rosso Walker, Rafael Augusto dos Santos Mello, Beatriz de Oliveira dos Santos Gomes, Fernanda Zantedeschi Rodrigues, Laís da Silva Porto, Poliany Ferreira Camargo, Marcos Vinícius Pupo

Abstract


Alunos do Ensino Fundamental II, majoritariamente entre 11 a 14 anos, tendem a possuir hábitos alimentares irregulares em comparação a alimentação nutricionalmente considerada ideal para esta faixa etária, em virtude do consumo de alimentos industrializados associados aos altos índices de sedentarismo presentes no estilo de vida destes jovens e adolescentes. Enquanto acadêmicos do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, da UTFPR – Câmpus de Santa Helena, que tem em seu componente curricular projetos integradores desde o primeiro período do curso, somos desafiados a propor projetos inovadores a cada semestre. Assim, no primeiro semestre de 2018, no Projeto Integrador II, cuja temática versava sobre os Temas Transversais, propomos o projeto Aplicações lúdicas para o incentivo a alimentação saudável que alia o conhecimento do tema transversal saúde (alimentação saudável) com auxílio de um aplicativo web em formato de jogo, no qual tivemos a contribuição de forma interdisciplinar de um acadêmico do curso de bacharelado em Ciência da Computação. Objetivamos produzir um jogo interativo para ser utilizado não apenas sala de aula como uma ferramenta para que o professor possa averiguar o progresso de cada aluno em particular, mas também da sala como um todo, podendo abordar diversos tópicos e conteúdos programáticos de maneira transversal. Questiona-se: como trabalhar de forma lúdica e com uso de jogos o tema transversal alimentação saudável? Utilizamos como metodologia o design de um aplicativo web lúdico, construído utilizando padrões de engenharia de software para guiar seu desenvolvimento e aplicando tecnologias como HTML, CSS, PHP e SQL, como incentivo a alimentação saudável, para aconselhar e, de forma objetiva, divertida e de uma maneira diversificada, de se ter uma alimentação correta, assim como, adquirir conhecimento sobre os alimentos abordados e sua importância para o ser humano, podendo principalmente ser utilizada como uma ferramenta pedagógica para ser aplicada pelo professor em sala de aula de forma geral.


Keywords


Ensino e aprendizagem, Lúdico e alimentação saudável, Aplicativo Web e temas transversais.

References


APACHE FRIENDS. Página institucional. Disponível em: , Acesso em: 19 jun. 2018.

ARANHA, M.L. A. Filosofia da educação. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2013.303 p. v. 1.

BIRCH, L. (1999). Development of Food Preferences. Annual Review of Nutrrition, 19, 41– 62.

BIZZO; L. G, M; LEDER, L. Educação nutricional nos parâmetros curriculares nacionais para o ensino fundamental. Campinas: Nutrição, 2005. 5 p. v. 18. Disponível em: . Acesso em: 16 de Abril de 2018.

BOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: Guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. 174 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf> Acesso em 16 de abril de 2018.

CECCHINI; M. et al. Tackling of unhealthy diets, physical inactivity, and obesity: health effects and cost-effectiveness. Lancet 2010; 376(9754):1775-1784.

HIRAMA, Kechi. Engenharia de software: Qualidade e produtividade com Tecnologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

LUCIDCHAT. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 19 jun. 2018.

MILANI, André. Construindo aplicações web com PHP e MySQL. 2. ed. São Paulo: Novatec, 2016.

MILANI, André. MySQL: Guia do programador. São Paulo: Novatec, 2006.

NOTEPAD++. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 19 jun. 2018.

Organização Mundial da Saúde (OMS). 2008-2013. Action plan for the global strategy for the prevention and control of noncommunicable diseases. Geneva: World Health Organization; 2008.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Global status report on noncommunicable diseases 2010. Geneva: World Health Organization; 2011.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Investir no controle de doenças crônicas não transmissíveis gera grandes retornos financeiros e de saúde, afirma OMS. Disponível em:https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5675:investir-no-controle-de-doencas-cronicas-nao-transmissiveis-gera-grandes-ganhos-financeiros-e-de-saude-afirma-oms&Itemid=839 . Acesso em 02.02.2020.

PEREIRA; T et al. 2017. Influência de intervenções educativas no conhecimento sobre alimentação e nutrição de adolescentes de uma escola pública. Disponível em: Acesso em 16 abril. 2018.

PEREIRA; Tamara, PEREIRA; Rafaela, ANGELIS-PEREIRA; Michel. 2017. Influência de intervenções educativas no conhecimento sobre alimentação e nutrição de adolescentes de uma escola pública. Disponível em: Acesso em 16 abril. 2018.

PRICE, Jason. Oracle database 11g SQL. In:_____. Introdução. Porto Alegre: Bookman, 2009. p. 29-54.

PRICE, Jason. Oracle database 11g SQL. In:_____. Introdução. Porto Alegre: Bookman, 2009. p. 55-89.

RAMOS, M. et al. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Jornal de pediatria, v. 76, n. Supl 3, p. S229-S237, 2000. Disponível . Acesso em 16 abril 2018.

RAMOS, Maurem et al. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Jornal de pediatria, v. 76, n. Supl 3, p. S229-S237, 2000. Disponível . Acesso em 16 abril.2018.

RAMOS; M. & STEIN; L. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Disponível em:< http://www.cookie.com.br/site/wp-content/uploads/2014/07/Desenvolvimento-do-comportamento-alimentar-infantil.pdf> Acesso em: 16 abril. 2018.

RAMOS; Mauren e STEIN; Lilian. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Disponível em:< http://www.cookie.com.br/site/wp-content/uploads/2014/07/Desenvolvimento-do-comportamento-alimentar-infantil.pdf> Acesso em: 16 abril. 2018.

REZENDE, Denis Alcides. Engenharia de software e sistemas de informação. 3.ed. Rio de Janeiro: Brasport

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto científica. 29. ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

SCHUYTEMA, Paul. Design de games: Uma abordagem prática. São Paulo: Cengage Learning, 2016.

SCHWARTZ, Gisele Maria. Dinâmica lúdica: novos olhares. Barueri, SP: Manole, 2004.

SECURE PHP. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 19 jun. 2018.

SOMMERVILLE, Ian. Engenharia de software. 9. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

TAROUCO; M. R., Liane et al. Jogos educacionais. 2004. 7 p. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, [S.l.], 2004. V 2. Disponível em: . Acesso em 16 de Abril de 2018.

TEOREY, Toby. Projeto e modelagem de banco de dados. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

TRELLO. Página institucional. Disponível em: Acesso em: 19 jun. 2018.

TSUI, Frank. KARAM, Orlando. Fundamentos da engenharia de software. 2.ed. Rio de Janeiro: LTC 2013

VIANA, V. (2002). Psicologia, saúde e nutrição: Contributo para o estudo do comportamento alimentar. Análise Psicológica, 4(20), 611-624.

W3C. CSS Curso W3C Escritório Brasil. Disponível em: Acesso em: 19 jun. 2018.

W3C. HTML Curso W3C Escritório Brasil. Disponível em: Acesso em: 19 jun. 2018.

WARDLE, J., & COOKE, L. (2008). Genetic and environmental determinants of childrens food preferences. British Journal of Nutrition, 99(Suppl. 1), S15–S21.

WAZLAWICK, Raul Sidnei. Engenharia de software - Conceitos e prática. Rio de Janeiro : Elsevier 2005




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-396

Refbacks

  • There are currently no refbacks.