Análise das propriedades mecânicas em concreto para pavimento rígido com a inserção de resíduo de garrafão de água como agente de reforço da matriz / Analysis of mechanical properties in concrete for rigid pavement with water bottle waste as a reinforcement agent in the matrix

Cristiane Araujo dos Santos Silva, Sabino Alves de Aguiar Neto, José Victor Brasil de Souza, Fábio Augusto Silva Machado, Mateus Antônio Nogueira Oliveira, Jefferson M. Lima, Marcelo de Souza Picanço

Abstract


No presente estudo, compósitos com matriz cimentícia destinados a pavimento rígido foram produzidos, com fibras produzidas a partir do rejeito de garrafão de água de polipropileno geradas após a extrusão do mesmo em uma fábrica de reciclagem. A partir de um traço padrão foram elaborados concretos com adições de 0%, 0,5%, 1,0% e 2,0% de resíduo de GA, e outro para efeito comparativo com a inserção de 0,5% (orientação do fabricante) de microfibras comerciais de polipropileno). Avaliou-se as características mecânicas do concreto na compressão simples, tração por compressão diametral e módulo de elasticidade nas idades de 28, 56 e 84 dias. Ainda, foram realizadas análises de microscopia eletrônica por varredura (MEV) para as mesmas idades. De forma geral, os resultados apresentados demonstraram que o concreto reforçado com fibra de GA obteve um bom desempenho dentro das características analisadas, indicando a aplicabilidade e a demanda de novas investigações.

 


Keywords


Resíduo, fibra, garrafão de água, concreto reforçado com fibra, propriedades mecânicas.

References


Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da diretoria colegiada - RDC Nº. 173. Regulamento técnico de boas práticas para industrialização e comercialização de água mineral natural e de água natural e a lista de verificação das boas práticas para industrialização e comercialização de água mineral natural e de água natural, 2006.

Al-Shather L,M, Ali AA, Abed HM. The Shear Behavior of Reinforced Concrete I-Beams With Polypropylene Fiber. Al-Nahrain Journal for Engineering Sciences. 2017; 5: 1040-1046.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5738: Concreto - Procedimento para moldagem e cura de corpos de prova, Rio de Janeiro, 2016.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5739: Concreto - Ensaios de compressão de corpos-de-prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 2007.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7222: Concreto e argamassa - Determinação da resistência à tração por compressão diametral de corpos de prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8522: Concreto - Determinação dos módulos estáticos de elasticidade e de deformação à compressão. Rio de Janeiro, 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR NM 45: Agregados - Determinação da massa unitária e do volume de vazios. Rio de Janeiro, 2006.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR NM 52: Agregado miúdo - Determinação da massa específica e massa específica aparente. Rio de Janeiro, 2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR NM 53: Agregado graúdo - Determinação da massa específica, massa específica aparente e absorção de água. Rio de Janeiro. 2009.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR NM 248: Agregados - Determinação da composição granulométrica. Rio de Janeiro, 2003.

Associação Brasileira da Industria do Plástico [Internet]. Indústria Brasileira de Transformação e Reciclagem de Material Plástico. c2016 [citado em 8 de setembro de 2017]. Abiplast. São Paulo. 2016. Disponível em: .

Assunção W. R, Oliveira M. A. B, Almeida, G. M, Gomes L. G, Texeira R. M, Macêdo A. N. Análise estatística do comportamento mecânico de concreto híbrido reforçado com aço e fibras de polipropileno. Brazilian Journal of Development. 2021; 183: 2684-2704.

Bentur A, Mindess S. Fibre Reinforced Cementitious Composites, Second Edition. Modern Concrete Technology Series. London and New York; 2007.

Brasil [Internet]. Ministério do Meio Ambiente. Resíduos de plástico, papel, papelão, papel metalizado, vidro e metal. c2017 [citado em 2 de maio de 2017]. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/informma/item/9411-res%C3%ADduos-de-pl%C3%A1stico,-papel,-papel%C3%A3o,-papel-metalizado,-vidro-e-metal>.

Buratti N, Mazzotti C, Savoia M. Post-cracking behavior of steel and macro-synthetic fiber-reinforced concretes. Construction and Building Materials. 2011; 25 (5): 2713-2722.

Callister WD. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução. 9. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos, 2016.

Department for Transport. Vehicle Licensing Statistics: Quarter 4 (Oct - Dec) 2015, 2016 08/05/2016]; Available from: Acesso em: 17 de out. 2018.

Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Manual técnico de elaboração do Sumário Mineral-2015. Brasília: DNPM, 2016. Disponível em: < http://www.dnpm.gov.br/dnpm/sumarios/sumario-mineral-2015>. Acesso em: 15 dez. 2017.

Diaz-Silvarrey LS. Phan NA. Kinetic study of municipal plastic waste. International Journal of Hydrogen Energy. 2016; 732: 16352-16364.

EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. EN 14899-2. Fibres for concrete - Part 2: Polymer fibres - Definitions, specifications and conformity. European Standard, 2008.

Fallaf S, Nematzadeh M. Mechanical properties and durability of high-strength concrete containing macro-polymeric and polypropylene fibers with nano-silica and silica fume. Construction and Building Materials. 2017; 132: 170-187.

Figueiredo AD, De La Fluente A, Aguado A, Molins C, Viñolas B. Análise de Viabilidade do Uso de Fibras Metálicas em Tubos de Concreto. Parte 1: Campanha Experimental. Anais do 52º Congresso Brasileiro do Concreto; October of 2010; Fortaleza, Brazil. São Paulo: IBRACON, 2010. Portuguese.

Figueiredo AD. Concreto com Fibras. [Tese]. São Paulo: Escola Politécnica da Universidade de São Paulo; 2011. Portuguese.

Jafarifar N, Pilakoutas K, Bennett T. Moisture transport and drying shrinkage properties of steel-fiber-reinforced-concrete. Construction and Building Materials. 2014; 73: 41-50.

Khaled M, Özgür E, İbrahim Y. Compression specific toughness of normal strength steel fiber reinforced concrete (NSSFRC) and high strength steel fiber reinforced concrete (HSSFRC). Materials Research. 2011; 14(2): 239-247.

Hesami S, Hikouei IS, Emadi SAA. Mechanical behavior of self-compacting concrete paviments incorporating recycle tire rubber crumb and reinforcerd with polupropylene fiber. Journal of Cleaner Production. 2016; 133: 228-234.

Hopewell J, Dvorak R, Kosior E. Plastics recycling: challenges and opportunities. Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci. 2009; 364(1526): 2115-26.

Medeiros A. Estudo do comportamento à fadiga em compressão do concreto com fibras. [Dissertação]. Rio de Janeiro: Departamento de Engenharia Civil, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro; 2012. Portuguese.

Mehta PK, Monteiro PJM. CONCRETO. Microestrutura, Propriedades e Materiais. 2. ed., IBRACON. São Paulo; 2014.

Mogre RP, Parbat DK. Behavior of polypropylene fiber reinforced concrete with artificial sand. International Refereed Journal of Engineering and Science. 2012; 1 (2): 37-40.

Nunes GN. Silva LV. Amico SC. Viana JD. Amado FDR. Study of Composites Produced with Recovered Polypropylene and Piassava Fiber. Materials Research. 2016; 20(1): 144-150.

Pimentel MG, Borges JPC, Picanço MS, Ghavami K. Bending answer and toughness analysis of mortar reinforced with Curauá fibers. Revista Matéria. 2016; 21: 18-26. Portuguese.

US Environmental Protection Agency (EPA). Energy and the Environment, 2016; Available from: https://www.epa.gov/energy. Acesso em: Acesso em: 11 nov. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-370

Refbacks

  • There are currently no refbacks.