Impacto da musicoterapia em uma unidade de terapia intensiva em São Luís MA : relato de experiência / Impacto da musicoterapia em uma unidade de terapia intensiva em São Luís MA : relato de experiência

Valdiclea de Jesus Veras, Alcimary da Silva Rodrigues, Rosemary Fernandes Correa Alencar, Maria Almira Bulcão Loureiro, Aline Vieira dos Santos Costa, Karla Andréia da Costa Carvalho, Wallacy Pereira Arouche

Abstract


INTRODUÇÃO:. A música é um dos aspectos da arte, que tem contribuído, decisivamente, no processo terapêutico e educativo, em muitas unidades hospitalares. O uso desta ferramenta é apontado, entre outros métodos, como uma abordagem não farmacológica efetiva para o controle da dor, por se caracterizar como um método de distração e estar entre as estratégias mais eficazes, além de apresentar um alto nível de aceitabilidade pelos pacientes. È do conhecimento de todos que a música está ligada a diferentes momentos da vida humana e é difícil perceber a falta de sons prazerosos quando se está em um leito de hospital, especialmente em locais com acesso restrito de tecnologia, como nas Unidades de Terapia Intensiva. Sendo assim a Musicoterapia surge como alternativa, influenciando o paciente, fisiológica, psicológica e emocionalmente durante o tratamento de doenças ou ferimentos a que se submeteu, estudos comprovam que a implementação dessa pratica integrativa dentro de uma unidade hospitalar traz vários benefícios ao paciente tais como:  redução da angústia e da ansiedade, além de levar o paciente a modificar sua maneira de encarar a situação, pode ainda motivar o sono e o descanso, criando uma atmosfera de calma, ajudando a filtrar os sons estranhos e desagradáveis que fazem parte do ambiente do hospital e também reduzindo, assim, a necessidade de drogas sedativas, o que conduz a uma recuperação mais rápida.OBJETIVO:. Tem-se como objetivo relatar a implementação do uso de musicoterapia em uma UTI adulto de hospital, referência em tuberculose e HIV/AIDS em São Luis -Ma visando melhorar a qualidade da assistência prestada.MÉTODOS: Trata-se de um relato de experiência de uma intervenção realizada de forma interdisciplinar pela equipe médica e de enfermagem no período de janeiro de 2019 a dezembro de 2019 na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Presidente Vargas em São Luis Ma..RESULTADOS Percebeu-se que a musicoterapia impactou em diversos aspectos biopsicossociais e espirituais, validando a utilidade da estratégia, por meio de relatos verbais como agradecimento e participação, e não verbais, tais como expressões de afeto, choro ou sorriso, com possível alteração dos parâmetros vitais. Verificou-se ainda que a escuta musical no ambiente da UTI propiciou aos participantes sentimentos de esperança; paz interior e fé; alegria e expressões de relaxamento, contribuindo para maior enfrentamento da hospitalização.CONCLUSÃO: Conclui-se que terapias alternativas como a musicoterapia demonstrou ser uma ferramenta eficaz à terapêutica do indivíduo internado em uma Unidade de Terapia Intensiva  conduzindo a um processo de cuidar sensível, criativo e humanizado

 


Keywords


Práticas Integrativas, Musicoterapia, Unidade de Terapia Intensiva.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e complementares no SUS (PNPIC). Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Manual de implantação de serviços de práticas integrativas e complementares no SUS. Brasília: MS; 2018. Disponívelem:http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/manual_implantacao_servicos_pics.pd

DAMASCENO, Camila Mahara Dias; BARRETO, Alexandre Franca. Cuidado além da biomedicina: práticas integrativas e complementares para pacientes e acompanhantes do Hospital Universitário Da Univasf (HU-UNIVASF). Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 2, p. 3478-3485, 2020.

HORTA, W. de A. Enfermagem: teoria das necessidades humanas básicas. Enf. Novas Dimens., São Paulo, 5(3):133-6, 1979.

LEINIG C. (1977). Tratado de Musicoterapia. S. Paulo, Sobral

MILLECCO, Ronaldo Pomponét. É preciso cantar – musicoterapia, cantor e canções. Rio de Janeiro: Enelivros, 2001.

OLIVEIRA, G. C.; LOPES, V.R.S.; DAMASCENO, M.J.C.F.; SILVA, E.M. A contribuição da musicoterapia na saúde do idoso. Cadernos UniFOA. Edição n°20 – Dezembro/2012.

ROCHA, L. N. Relevância da musicoterapia na saúde e bem-estar de idosos institucionalizados no município de Boa Vista-RR. 2017. 83f. Dissertação (Mestrado em ciências da saúde). Universidade Federal de Roraima, Boa Vista, 2017.

SILVA, Gabriela Jorge, et al. Utilização de experiências musicais como terapia para sintomas de náusea e vomito em quimioterapia. Rev Bras Enferm. Vol. 67, n. 4, p. 630- 636, 2014

VALENÇA, C. N. et al. Musicoterapia na assistência de enfermagem em terapia intensiva. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, Rio de Janeiro, dez. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-356

Refbacks

  • There are currently no refbacks.