Obtenção do extrato hidroalcoólico da folha de nogueira (juglans regia l.) E identificação de parâmetros físico-químicos e microbiológicos para múltiplas aplicações / Obtaining hydro-alcoholic extract from walnut leaf (juglans regia l.) And parameter identification physical-chemical and microbiological for several applications

Bruna Calixto de Jesus, Camila Shiokawa Kakazu, Letícia Alves Luciano, Ester Regina Gomes Tito, Elineides Santos Silva

Abstract


Conhecida como Noz-da-Pérsia ou Noz comum, a Nogueira apresenta diversas propriedades farmacologicamente ativas com uso medicinal, inclusive. Extratos são obtidos de matérias-primas vegetais com uso de um solvente caracterizado pela baixa toxicidade e/ou baixo potencial de poluição ambiental. As plantas podem produzir metabólitos secundários como óleos essenciais, compostos fenólicos, terpenos, alcaloides etc., que poderão produzir efeitos terapêuticos. As características físico-químicas desses produtos podem ser influenciadas pela localização geográfica, idade da planta, condições climáticas, características do solo, tipo de extração. Despertou-se o interesse na Nogueira devido à escassez de informações sobre suas características e utilização. Foi utilizado o álcool 70° como solvente hidroalcoólico na obtenção do extrato da folha de Nogueira e posterior identificação das propriedades físico-químicas e   microbiológicas para aplicações diversas. Utilizou-se álcool etílico hidratado 70° (v/v), folha de Nogueira seca (Farmaervas), filtro de papel descartável (n° 102), balança de precisão (0,0001 g) no laboratório cedido pela Uninove. Executou-se 3 vezes no mesmo dia, sob as mesmas condições.  Após pesagem de 5 g da folha seca de Nogueira sem os talos, foi feita a maceração manual com o acréscimo gradativo do solvente, até volume   máximo de 150 ml. O conteúdo foi transferido para um béquer, e colocado coberto no agitador em velocidade máxima por 2 horas ininterruptas. Depois, o extrato ficou em repouso por 72 horas à temperatura ambiente (25 ± 3 °C). Após o repouso, fez-se a filtragem, o volume foi completado para 150 ml com o solvente. Em seguida, submetido às análises. Foram obtidos e tabelados os parâmetros microbiológicos e físico-químicos da amostra.   Diversos são os fatores que podem influenciar a eficiência da extração e as características obtidas: densidade, pressão, temperatura, vazão do solvente. As aplicações dos extratos vegetais são diversas podendo ser através dos alimentos, cosméticos e medicamentos. Destaca-se ainda a   aplicação para o controle de pragas agrícolas, como repelentes, bactericida e fungicida, inibidores de micotoxinas e relevante capacidade   antioxidante. Evidencia-se a importância de maior exploração das características do referido composto com o objetivo de melhor subsidiar suas aplicações e   oferecer maior segurança ao uso.


Keywords


Extrato natural, Extrato hidro alcoólico, Nogueira, Juglans regia L, Folha de Nogueira.

References


Andreo D, Jorge N. Antioxidantes Naturais: Técnicas de extração. Boletim Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos. 2006; 24 (2): 319-336.

Delaviz H, Mohammadi J, Ghalamfarsa G, Mohammadi B, Farhadi N. A Review Study on Phytochemistry and Pharmacology Applications of Juglans regia Plant. Rev. Pharmacogn. 2017; 11(22):145‐152.

Pollegioni P, Woeste K, Chiocchini F, Del Lungo S, Ciolfi M, Olimpieri I, et al. Rethinking the history of common walnu (Juglans regia L.) in Europe: Its origins andhuman interactions; 2017; 12(3):1-24 [internet]. [Acesso em 25 mai 2019]. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0172541

Liu MC, Yang SJ, Hong D, Yang JP, Liu M, Lin Y et al. A simple and convenient method for the preparation of antioxidant peptides from walnut (Juglans regia L.) protein hydrolysates. Chem Cent J. 2016; 10-39.

Raafat K. Phytochemical analysis of Juglans regia oil and kernel exploring their antinociceptive and anti-inflammatory potentials utilizing combined bio-guided GC–FID, GC–MS and HPLC analyses. Revista Brasileira de Farmacognosia 2018; 28(3): 358-368 [internet]. [Acesso em 26 mai 2019]. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0102695X17306865?via%3Dihub

Panth N, Paudel KR, Karki R. Phytochemical profile and biological activity of Juglans regia. J Integr Med 2016; 14, (5):359-373.

Ahn CB, Song CH, Kim WH, Kim YK. Effects of Juglans sinensis dode extract and antioxidant on mercury chloride-induced acute renal failure in rabbits. J Ethnopharmacol; 2002. Vol: 82, p.45-49.

Plate Count Ágar. [Bula]. Rua Cassemiro de Abrel, 521- Vargem Grande 83.321-210 Pinhais/PR. Laboratorio de Análises Clínicas Laborclin LTDA; 2018.

Sousa CP. Segurança alimentar e doenças veiculadas por alimentos: Utilização do grupo coliforme como um dos indicadores de qualidade de alimentos. Rev APS, 2006: 9(1):83-88 [internet]. [Acesso em 20 de Jul de 2019]. Disponível em: http://www.ufjf.br/nates/files/2009/12/Seguranca.pdf

Morelli AMF. Escherichia coli O157:H7: Ocorrência em ambiente de produção de leite na microrregião de Viçosa, adesão em diferentes superfícies e resistência a sanitizantes [tese]. Minas Gerais: Universidade Federal de Viçosa; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde/Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução da Diretoria da Colegiada (RDC) Nº 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e

dá outras providências. [Online]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0010_09_03_2010.html

Marco JC, Paoli A, Andrade JC. A Determinação da Densidade de Sólidos e Líquidos. Chemkeys-liberdade para a prender 2004; 1-8.

Pilling S. Prática 11 – Refratometria. Determinação do índice de refração de líquidos. Universidade do Vale do Paraíba-SP 2017; 1-8 [internet]. [Acesso em mai de 2019]. Disponível em: https://www1.univap.br/spilling/FQE2/FQE2_EXP11_Refratometria.pdf

Extratos vegetais. Revista Food Ingredientes Brasil 2010; 11: 16-20.

Dutra LS. Desenvolvimento e Validação de Metodologia Analíticas para Quantificação ß ensina em extratos de Aesculus hippocastanum L. (Castanha da Índia) [dissertação]. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora; 2012.

Filho VC. Estratégias para a obtenção de compostos farmacologicamente ativos a partir de plantas medicinais. Conceitos sobre modificação estrutural para otimização da atividade Departamento de Química - Universidade Federal de Santa Catarina, 1997; 99-105 [internet]. [Acesso em 07 de jun 2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/qn/v21n1/3475.pdf

Longhini R, Raksa SM, Oliveira ACP, Svidzinski TIE, Franco SL. Obtenção de extratos de própolis sob diferentes condições e avaliação de sua atividade antifúngica. Rev. Bras. Farmacogn 2007; 17 (3): 388-395.

Ganesh N, Akthar S, Shah TI. Preliminary Phytochemical Evaluation and Antibacterial Potential of Different Leaf Extracts of Juglana regia: A Ubiquitous Dry Fruit from Kashmir-India Int. J. Pharm. Sci. Rev. Res 2013; 19 (2): 93-96.

Amaral JS, Seabra RM, Andrade PB, Valentão P, Pereira JA, Ferreres F. Phenolic profile in the quality control of walnut (Juglans regia L.) leaves. Food Chemistry; 2004.p.373–379

Chaleshtori AS, Chaleshtori RS, Chaleshtori FS, Rafieian M. Antibacterial effects of ethanolic extract of walnut leaves (Juglans regia) on propionibacterium acnes. J Adv Med Biomed Res 2010; 18 (71) :42-49.

Neves JR, Francesconi F, Costa A, Ribeiro BM, Follador I, Almeida LMC. Propionibacterium acnes e a resistência Bacteriana. Surg Cosmet Dermatol 2015;7 (3): 27-38.

Maciel MAM, Pinto AC, Veiga VF. Plantas medicinais: A necessidade de estudos multidisciplinares. Quím. Nova 2002; 25(3): 429-438.

Akram E, Olamafar S, Zaringhalam J, Rezazadeh S, Eidi M. Protective effect of Walnut (Juglans regia L.) extract against CCl4 – induced hepatotoxicity in rats. Induced hepatotoxicity in rats. Research in Medicine. 2011; 35 (2) :87-92 [internet]. Disponível em: [Acesso em 7 de jul 2019]. Disponível em: http://pejouhesh.sbmu.ac.ir/article-1-886-en.html.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-345

Refbacks

  • There are currently no refbacks.