Percepção de sintomas depressivos em estudantes de ensino médio de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul/ Perception of depressive symptoms in high school students in a city in the interior of Rio Grande do Sul

Laura Eduarda Mallmann Kieling, Muriel Closs Boeff, Tatiana Souza de Camargo

Abstract


Este trabalho surgiu a partir de um projeto de iniciação científica júnior construído em parceria com profissionais de saúde de uma cidade do interior do RS, preocupados com a percepção de elevados índices de depressão na comunidade. O objetivo desta pesquisa foi levantar dados sobre os sintomas depressivos em estudantes do Ensino Médio deste município, dados inexistentes até então. Como metodologia foi aplicado o Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9), um questionário que contém nove perguntas e se propõe a identificar indivíduos com risco para o desenvolvimento de depressão, analisando seu cotidiano nas últimas duas semanas e determinarem, em escala likert de 1 a 3, com qual frequência apresentaram sintomas descritos em cada pergunta. A análise do material coletado baseou-se na nota de corte do questionário utilizado (≥ 9); os dados foram tabulados no Excel. Dessa forma, do total de alunos de Ensino Médio do município, 69,3% participaram da pesquisa, sendo que os resultados obtidos demonstraram que 28,9% possuíam sintomas depressivos, e, dentre eles, 76,6% foram estudantes autodeclaradas do sexo feminino. Além disso, 10% declararam apresentar pensamentos suicidas, atingindo a frequência máxima do questionário, ou seja, em quase todos os dias. A partir dos resultados obtidos destaca-se que ações voltadas ao cuidado em saúde mental tornam-se indispensáveis já na adolescência, demonstrando também que intervenções sobre essa temática na escola são muito importantes, pois através delas os alunos poderão ter a oportunidade de falar sobre o tema, o que justamente é uma das melhores estratégias de promoção da saúde mental.


Keywords


Depressão, Adolescência, Promoção da Saúde, Saúde Mental.

References


BROCHADO, F.; BROCHADO, A. Estudo da presença de sintomatologia depressiva na adolescência. Revista Portuguesa de Saúde Pública, v. 26, n. 2, p. 27-36, 2008. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2018.

CALLAHAN, P. et al. Evidence map of prevention and treatment interventions for depression in young people. Depression Research and Treatment, v. 1, n. 11, p. 735-820, 2012. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2018.

NOCK, M. et al. Prevalence, correlates, and treatment of lifetime suicidal behavior among adolescents: Results from the National Comorbidity Survey Replication Adolescent Supplement. Journal of the American Medical Association Psychiatry, v. 70, n. 3, p. 300-310, 2013. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2018.

OMS. Preventing suicide: A global imperative, 2014. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2018.

SPITZER, R. L.; WILLIAMS, J.B.W.; KROENKE, K. PHQ-9. Patient Health Questionnaire-Nine. 2001. Disponível em: . Acesso em 10 de agosto de 2017.

SANTOS, J. et al. +Contigo: Promoção de saúde mental e prevenção de comportamentos suicidários na comunidade educativa. Revista de Enfermagem Referência, v. 3, n. 10, p. 203-2017, 2014. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2018.

WILCOX, H. et al. Prevalence and predictors of persistent suicide ideation, plans, and attempts during college. Journal of Affective Disorders, v. 127, n. 1, p. 287-294, 2010. Disponível em: . Acesso em 05 de maio de 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-332

Refbacks

  • There are currently no refbacks.