Formação de professores para o ensino híbrido: análise da percepção docente sobre o uso de metodologias ativas / Teacher training for hybrid education: an analysis of teachers' perceptions on the use of active methodologies

Edgar Alvarenga Simões, Míriam Klitzke Seibel, Victor Gagno Grillo, Márcia Gonçalves de Oliveira

Abstract


Este artigo promove uma reflexão sobre o processo de formação continuada de professores da educação básica, com base no desenvolvimento de uma oficina sobre as metodologias ativas, enfocando o ensino híbrido, tendo como objetivo capacitar os docentes e investigar a partir do levantamento de dados a percepção dos professores sobre as possibilidades e desafios oferecidos pela proposta de ensino híbrido. A metodologia utilizada é a pesquisa-ação, em uma escola da rede estadual do Espírito Santo. Os resultados evidenciam que estamos diante da possibilidade de uma formação integral. Os professores participantes reconhecem a relevância da temática, contudo ainda subsiste a iminência de refletir sobre as percepções dos docentes e a necessidade de constante formação continuada, com apoio da equipe gestora para novas práticas e saberes na era das tecnologias digitais em sala de aula.


Keywords


Formação de professores. Metodologias ativas. Ensino Híbrido. Educação básica.

References


BACICH, Lilian; MORAN, José. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BACICH, Lilian; NETO, Adolfo Tanzi; TREVISANI, Fernando de Mello. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BORGES, Tiago Silva; ALENCAR, Gidélia. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, 2014, 3.4: 119-143

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Resolução CNE Nº 2/2015. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file >. Acesso em: 22 mai. 2019.

CAMPOS, Flavio Rodrigues; BLIKSTEIN, Paulo. Inovações radicais na educação brasileira. Porto Alegre: Penso, 2019.

FELDMANN, Marina Graziela. Formação de professores e escola na contemporaneidade. São Paulo: Senac, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

HORN, Michael B.; STAKER, Heather. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. [tradução: Maria Cristina Gularte Monteiro; revisão técnica: Adolfo Tanzi Neto, Lilian Bacich]. Porto Alegre: Penso, 2015.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed Editora, 2010.

KRONBAUER, Selenir Corrêa Gonçalves; SIMIONATO, Margareth Fadanelli. Formação de professores: abordagens contemporâneas. São Paulo: Paulinas, 2008.

MACEDO, Lino de. Ensaios pedagógicos: como construir uma escola para todos? Porto Alegre: Artmed Editora, 2005.

MARQUES, Mário Osório. Formação do profissional da educação. 4.ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2003.

MORAN, José. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. São Paulo: Papirus, 2007.

MORAN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, 2015.

RODRIGUES, Maria José.; VIEIRA, Rui Marques. Formação continuada para a mudança de práticas didático-pedagógicas de educadoras. III Encontro Internacional de Formação na Docência (INCTE): livro de atas, 2018, 474-482.

SANTAROSA. Lucila Maria Costi et al. Formação continuada de professores em tecnologia da informação e comunicação acessíveis. Porto Alegre: Evangraf, 2014.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2011




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-319

Refbacks

  • There are currently no refbacks.