Preferências e disponibilidades de recursos educacionais: a produção slides por professores/ Preferences and availabilities of educational resources: the slides production by teachers

Renata de Oliveira Sbrogio, Vânia Cristina Pires Nogueira Valente

Abstract


O uso de slides como recurso de apoio na exposição e explicação de conteúdos educacionais é uma realidade e, embora não muito recente, tem se tornado cada vez mais presente na práxis docente. A diversificação de marcas e modelos dos projetores de slides, além da redução dos custos destes equipamentos ao longo dos últimos anos, faz com que as instituições de ensino adotem tal tecnologia como estratégia para engajar alunos tornando as aulas mais dinâmicas e para um melhor aproveitamento do tempo de aula, com atividades mais produtivas do que a repetitiva cópia de conteúdo escrito no quadro-negro, por exemplo. Porém, para que slides sejam bons recursos de ensino-aprendizagem, assim como o planejamento visual (e de conteúdo) que se utiliza na produção de livros didáticos, há necessidade de uma preparação e formação mais específica dos educadores, para que façam esse trabalho com fundamento. Para entender melhor essa realidade dos professores atuantes em diversos níveis de ensino, por meio de um estudo netnográfico, foi possível visualizar melhor como tem sido o uso (ou não uso) de slides por estes profissionais da educação. Ainda que seja o recurso preferencial, e com equipamento disponibilizado pela maioria das instituições de ensino em que atuam, poucos afirmam ter formação específica, além de demonstrarem falta de conhecimento das possíveis tecnologias, de uso livre e gratuito, de que se dispõe atualmente para realização de tal trabalho.


Keywords


Equipamentos de Projeção, Slides, Formação de Professores

References


FREIRE, Paulo.; GUIMARÃES, Sérgio. Educar com a mídia: novos diálogos sobre educação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013 [recurso eletrônico].

DICIO. Dicionário Online de Português. 2019. Disponível em: https://www.dicio.com.br/ Acesso em: 21, jan. 2020.

FISCARELLI, Rosilene Batista de Oliveira. Material didático e prática docente. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 31-39, dec. 2007. ISSN 1982-5587. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/454. Acesso em: 27 jan. 2020. doi: https://doi.org/10.21723/riaee.v2i1.454.

KOZINETS, Robert V. On netnography: Initial reflections on consumer research investigations of cyberculture. Advances in Consumer Research. Volume 25, 1998. P. 366-371. Disponível em: https://www.acrwebsite.org/search/view-conference-proceedings.aspx?Id=8180. Acesso em 23, mai. 2018.

KOZINETS, Robert V. Netnography. Redefined. 2 ed. Thousand Oaks, Sage Publications. 2015. Disponível em: https://www.acrwebsite.org/search/view-conference-proceedings.aspx?Id=8180. Acesso em 23, mai. 2018.

MEDINA, Márcio Nasser.; BRAGA, Marco; SENRA, Clarice. A utilização do livro didático pelos professores e alunos imersos em um mundo de cibercultura. In: PEDRO, Neuza.; PEDRO, Ana; MATOS, João Filipe; PIEDADE, João; FONTE, Magda. (Org.). TICEDUCA Digital Technologies & Future School. 1ed. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2016, v. 1, p. 691-698. Disponível em: https://cld.pt/dl/download/e7500488-3c2a-4d99-9de0-ade4c5cc9aba/Livro_Artigos.pdf. Acesso em 23, mai. 2018.

MICHAELIS. Dicionário Brasileiro de Língua Portuguesa. Ed. Melhoramentos, 2020(a). Disponível em: hhttps://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/retroprojetor/. Acesso em: 21, jan. 2020.

MICHAELIS. Moderno Dicionário Inglês. Ed. Melhoramentos, 2020(b). Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-ingles/busca/ingles-portugues-moderno/slide/. Acesso em: 21, jan. 2020.

NETMARKETSHARE. Operating System Market Share. Market Share Statistics for Internet Technologies. 2019 Disponível em: https://netmarketshare.com/. Acesso em: 21, jan. 2020.

NEVES, Ângela Balzano.; ZAMPERETTI, Maristani Polidori. Artes visuais, tecnologia e educação: experiências pedagógicas com o retroprojetor na sala de aula. Momento - Diálogos em Educação, ABNT, v. 19, n. 2, p. 9-22, set. 2011. ISSN 2316-3100. Disponível em: https://periodicos.furg.br/momento/article/view/1421. Acesso em: 21, jan. 2020.

OLIVEIRA, Sonia Maria Soares de; SILVA, Carlos Diogo Mendonça da. Formação de professores em tempos de retrocesso: o que dizem os documentos oficiais? Brazilian Journal of Development, 2021, 7.1: 141-152. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/22512/18020 Acesso em: 02, jan. 2021.

PREZI INC.O que faz o Prezi tão único? 2020. Disponível em: https://prezi.com/product/?click_source=logged_element&page_location=header_product_dropdown&element_text=presentations. Acesso em: 21, jan. 2020.

ROCHA, Paula. Jung; MONTARDO, Sandra Portella. Netnografia. Incursões metodológicas na cibercultura. Revista E-compós, 2005, v. 4, Brasília. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Sandra_Montardo/publication/267552543_Netnografia_incursoes_metodologicas_na_cibercultura/links/54f045df0cf2432ba6598ad7/Netnografia-incursoes-metodologicas-na-cibercultura.pdf. Acesso em 23, mai. 2018.

ROSA, Paulo Ricardo da Silva. O uso dos recursos audiovisuais e o ensino de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.17, n.1, p.33-49, 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/viewFile/6784/6249. Acesso em: 17, jan. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-308

Refbacks

  • There are currently no refbacks.