Dermatite de contato alérgica a lanolina: um relato de caso / Lanolin allergic contact dermatitis: a case report

Cynthia Vitória Lopes da Fonsêca, Elba Soraya Magalhães da Luz, Walfrido José Bezerra da Costa Neto, Gabriela Pinho de Alcântara, Letícia Maria Silva Soares, Yuri Navega Vieira, Maria Eduarda Medeiros de Lima, Priscilla Barbosa Sales de Albuquerque

Abstract


Introdução: A pele é o maior órgão do corpo humano, reconhecida como órgão periférico do sistema imune por apresentar mecanismos próprios, cujas propriedades de defesa variam de acordo com o local e sua espessura (MOTTA et al, 2011). As dermatites de contato são associadas a desregulações da autoimunidade, cujo agente causador é relacionado a penetração percutâneas que costuma ser subdivididas em irritativas e alérgicas (SBD, 2017). Relato de caso: V. B. S. P., 18 anos, negra, estudante e sem histórico de alergia ou hipersensibilidade na família, foi diagnosticada em 2016 com alergia a lanolina após o teste de contato. A paciente retornou em 2019 com um quadro mais brando dos mesmos sintomas, onde foi constatado o uso contínuo de produtos com traços de lanolina e quando questionada, afirmou que os produtos manipulados eram muito caros e demoravam para ficarem prontos. A recomendação de suspender o uso de produtos com lanolina continuou e foi pensada a possibilidade de iniciar tratamento com corticoides tópicos.  Discussão: As dermatites alérgicas de contato (DCA) são desencadeadas por uma resposta imune específica contra determinados antígenos e substâncias, respondendo por uma reação do tipo IV da escala de Gell & Coombs, mediada por via aferente com a ativação de queratinócitos e liberação de citocinas inflamatórias, como IL-1, IL-6 e TNF-α, seguindo por via do linfócito Th1 (MOTTA et al, 2011). A sintomatologia é bastante variável, desde pequenos ardores até queimação e prurido (SBD, 2017).  Assim, é necessário um teste de contato para diferenciar o agente causador e conduzir melhor a terapêutica. A primeira leitura do teste acontece após 48 horas e a segunda com 96 (MOTTA; KALIL; BARROS, 2005). Conclusão: Como uma doença que apresenta mediação do sistema imune, DCAs devem ter controle primário baseado no afastamento do agente irritante. O tratamento deve ser individualizado e os exames clínicos usados para complementar o diagnóstico.


Keywords


Dermatite de Contato Alérgica (DCA), Lanolina, Teste de Contato.

References


CARVALHO, Vânia O. et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte II:: abordagem terapêutica. Arquivos de Asma, Alergia e Imunologia, [S. l.], 2017. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Consenso_-_Dermatite_Atopica_-_vol_2_n_2_a04__1_.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

MARTINS, Luis E. A. M.; REIS, Vitor M. S. dos. Imunopatologia da dermatite de contato alérgica. Anais Brasileiros de Dermatologia, [S. l.], 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v86n3/v86n3a01.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

MOTTA, Antônio A. et al. Dermatite de contato. Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia, [S. l.], 2011. Disponível em: http://www.asbai.org.br/revistas/vol343/V34N3-ar01.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

MOTTA, Antônio A.; KALIL, Jorge; BARROS, Myrthes T. Testes Cutâneos. Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia, [S. l.], 2005. Disponível em: http://www.asbai.org.br/revistas/Vol282/testescutaneos.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

ROSMANINHO, Isabel; MOREIRA, Ana; SILVA, José P. M. da. Dermatite de contato: revisão de literatura. Revista portuguesa de imunoalergologia, [S. l.], 2016. Disponível em: https://www.spaic.pt/client_files/files/dermatite-de-contacto-reviso-da-literatura.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

SBD (SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA). Dermatite de contato: O que é?. [S. l.], 2017. Disponível em: https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/dermatite-de-contato/2/. Acesso em: 16 set. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-301

Refbacks

  • There are currently no refbacks.