Desenvolvimento de Catasetum Schmidtianum Miranda & Lacerda em diferentes concentrações de extrato pirolenhoso obtido de Enterolobium Contorstisiliquum / Development Catasetum Schmidtianum Miranda & Lacerda in different concentrations extract pyroligneous got Enterolobium Contorstisiliquum

Mariela Fagundes Florestino Silva, Marcos Corbellini, Ana Paula Rodrigues da Silva, Jean Carlos Silva, Melca Juliana Peixoto Rondon, Viviane Martins, Isane Vera Karsburg, Ricardo Gallo

Abstract


O extrato pirolenhoso tem demonstrado possuir várias propriedades como fertilizante orgânico, fungicida, repelente e nematicida. O objetivo desse trabalho foi avaliar o desenvolvimento vegetativo de protocormios de Catasetum schmidtianum em diferentes concentrações de extrato pirolenhoso obtido de Enterolobium contortisiliquum. Após 90 dias a partir da germinação da semente, 5 protocormios foram transferidos para cada frasco com capacidade para 300 mL, contendo 30 mL de meio de cultura alternativo. Foram realizadas 20 repetições de cada tratamento. Os tratamentos constituíram de: 0, 1, 2, 3, 4, e 5m L L-1 do extrato pirolenhoso (EP) obtido de timburí (Enterolobium contortisiliquum). Para a espécie Catasetum schmidtianum o uso de extrato pirolenhoso não incrementou o número de folhas e nem o número de raízes, sendo esta uma característica muito importante no cultivo das orquídeas. Em relação à formação de bulbo, a dose recomendada de EP é 1mL L-1 e 5 mL L-1.


Keywords


Orchidaceae, Timburi, Protocormios.

References


BERG, C. Banco genético de orquídeas: diversidade e conservação. In BANDEL, G. & VELLO, N. A. Encontro sobre temas de genética e melhoramento, 15. Piracicaba, SP. Anais. 1998.

BILCE, T. FORTE, A.; KARSBURG, I. V. Germinação in vitro de sementes de Cattleianobile em meio de cultura alternativo. Universidade Estadual de Mato Grosso. Pró-reitoria de pós-graduação. 2ª jornada cientifica. Cáceres, MT. 2009.

CAMPOS, A. D. Técnicas para produção de extrato pirolenhoso para uso agrícola. (2007) Pelotas, Embrapa CPACT. 8p. (Circular Técnica, 65). Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/30826/1/Circular-65.pdf

COLOMBO, L. A.; FARIA R. T.; CARVALHO, J. F. R. P.; ASSIS, A. M.; FONSECA, I. C. B. influência do fungicida clorotalonil no desenvolvimento vegetativo e no enraizamento in vitro de duas espécies de orquídeas brasileiras. Acta Scientiarum, Maringá, v.6, n.2, p. 253-258, 2004.

COSTA, L. G. Efeito do extrato pirolenhoso no desenvolvimento de protocornios de Catasetum longifolium rich. 2012. 12f. Monografia- Curso de Agronomia, Universidade do Estado de Mato Grosso.

FARIA R. T.; STANCATO, G.C. Orquídeas – semeadura. In TOMBOLATO, A. F. C. & COSTA, A. M. M. p. 37-39. Micropropagação de plantas ornamentais. IAC, Campinas, SP. Boletim Técnico, 174.1998.

FERREIRA, D. A. T. Germinação e desenvolvimento in vitro de Cattleya aurantiaca Bateman ex Lindley em meio de cultura alternativo com diferentes concentrações de extrato do licor pirolenhoso. 2011. 18f. Monografia- Curso de Lincenciatura em Biologia, Universidade Estadual de Mato Grosso.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computerstatisticalanalysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), v. 35, n.6, p. 1039-1042, 2011.

GUERREIRO, C. J. et al. Efeito da incorporação de extrato pirolenhoso em substrato no desenvolvimento inicial de mudas de tomate. VIII Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 8, n.1, 2012, p. 1-9

MARTINI, P. C. Propagação de orquídeas Gongora quinquenervis por semeadura in vitro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.36, p. 1319-1324, 2001.

MENEGALE, V. L. de C.; Estudo do potencial do licor pirolenhoso como aditivo em condicionador de solo e no crescimento inicial de Eucalipto. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2013.

MIRANDA, D. P.; VIEIRA, A.; KARSBURG, I. V. Crescimento in vitro de catasetum x apolloi Benelli & Grade (orchidaceae) em meio de cultura com adição de licor pirolenhoso de teca (tectona grandis). ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.10, n.18; p. 1096, jan 2014.

MIYASAKA, S.; YACAKI, H.; OHKAWARA, T.; NAGAI, K.; KUBOTA, Y. Derivados de carvão vegetal, extrato pirolenhoso e fino de carvão na agricultura natural. São Paulo, 2006. Apostila.

PEREIRA, A. P. S. Extrato pirolenhoso no desenvolvimento de Catasetum osculatum Lacerda & P. Castro. 2011. 7f. Monografia-Curso de Agronomia, Universidade do Estado de Mato Grosso.

RODRIGUES, D. T. Nutrição e fertilização de orquídeas in vitro e em vasos. Dissertação de mestrado (Programa de Pós- Graduação em Solos e Nutrição de Plantas). 90 f. 2005. UFV-Viçosa- MG.

SANTOS, A.F.; VENTURA, G.M.; DIAS, J.M.M.; GOULART, M.S.; NOVAIS, R.F.; CECON, P.R.; TEIXEIRA, S.L.; MOURA, E. Otimização da propagação de Sophronitis coccinea (Orchidaceae) considerando meios de cultivo com adição de carvão ativado. Horta, v.46, p.8-12, 2006.

SCHNITZER, J. A.; FARIA, R. T. de; VENTURA, M. U.; SORACE, M. Substratos e extrato pirolenhoso no cultivo de orquídeas brasileiras Cattleya intermédia. 2009. 58 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Pós- Graduação em Agronomia, Universidade Estadual de Londrina.

SCHNITZER, J. A.; SU, M. J.; VENTURA, M. U.; DE FARIA, R. T. Doses de extrato pirolenhoso no cultivo de orquídea. Revista Ceres, v. 62, n. 1, p. 101–106, 2015.

SILVA, C. J.; KARSBURG I. V; DIAS P. C; ARRUDA T. P. M; PYROLIGNEOUS LIQUOR EFFECT ON IN AND EX VITRO PRODUTION OF Oeceoclades maculata (Lindl). Lindl. Revista. Caatinga, Mossoró, v. 30, n. 4, p. 947 – 954, out. – dez., 2017.

SILVA, G. Z.; MARTINS, C. C.; CRUZ, J. DE. O.; JEROMINI, T. S.; BRUNO, R. DE. L. A. Evaluation the physiological quality of brachiaria brizantha cv. Brs ‘piatã’ seeds. Biosci. J., Uberlândia, v. 33, n. 3, p. 572-580, may/june. 2017.

SILVA, W. Cultivo de orquídeas no Brasil. 6ª Ed. São Paulo: Nobel, p.96, 1994.

WANG, Y.; QIU, L.; SONG, O.; WANG, S.; WANG, Y.; GE, Y.; Root Proteomics Reveals the Effects of Wood Vinegar on Wheat Growth and Subsequent Tolerance to Drought Stress; Int. J. Mol. Sci. 2019, 20, 943; doi:10.3390/ijms20040943.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-299

Refbacks

  • There are currently no refbacks.